oficina70.com: PIRITA
Mostrar mensagens com a etiqueta PIRITA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta PIRITA. Mostrar todas as mensagens

Como testar e identificar ouro bruto

Identificar o ouro não é tão difícil como muitas pessoas pensam
pepita de ouro

Garimpar ouro, seja profissionalmente ou por lazer, se trata basicamente de procurar flocos, pepitas ou pó em ouro escavando o solo com a ajuda de água ou escavando partes de alojamento de ouro nos rios.
Veios auríferos podem sofrer erosão de um rio, fazendo com que o pó de ouro caia na água e acumule-se em suas margens.
ouro em pó na areia preta
As pessoas costumam usar bateias, caixa de eclusa (sluice box) ou recipientes planos para coletar os depósitos de um rio em busca de pó de ouro. De acordo com o site Gold Fever Prospecting, entre 95 e 98% do ouro do planeta está na forma de pó, não em pepitas.


Você pode ter lidado com ouro de tolo ou pedras brilhantes que eram douradas na cor e as confundiu com ouro. Tais itens são um pouco diferente em aparência em comparação com o ouro bruto real.

O ouro é aleatório em formato e mede desde pequenos pedaços à grandes e arredondadas pepitas que é mais difundido, sendo assim é mais fácil identificar ouro bruto quando se refere a uma imagem de ouro refinado ou pepitas de ouro, sendo que flocos de ouro ou ouro em pó pouco conseguem identificar.

Entretanto, só porque parece ouro e está no mesmo lugar, não significa que é. Muitas pessoas não fazem ideia do que procurar, e mesmo que encontrem ouro, podem acidentalmente jogá-lo fora.
ouro em pó na bateia
Existem alguns testes simples para identificar flocos de ouro e pepitas quando os encontrar, já o pó de ouro muito provavelmente um iniciante facilmente o jogará fora por falta de conhecimentos.

Classificação do ouro, pó, pepita e flocos:
classificação do ouro, pó, pepita e flocos
O ouro é frequentemente classificado e rotulado de acordo com seu tamanho.
O sistema comumente usado para classificar as diferenças de tamanho do ouro é normalmente realizado com o uso da tela de malha. "Malha" significa o número de aberturas contidas ao longo de uma polegada linear de tela ou tela metálica. Por exemplo, uma tela rotulada “10 mesh” conteria 10 aberturas por polegada linear, ou 100 aberturas por polegada quadrada. "Vinte-malha" teria 20 aberturas por polegada linear, ou 400 aberturas por polegada quadrada, e assim por diante.
ouro fino ou ouro em flocos
“Ouro grosseiro” ou “pepitas” são aceitos como quaisquer peças de ouro que não passem por uma tela de 10 malhas.
Peças de tamanho médio de ouro, flocos e assim por diante, são da faixa de 10-20 mesh. O "ouro fino" é do tamanho da malha de 20-40.
"Farinha de ouro" ou "pó" inclui todas as peças que são menores que 40 mesh, incluindo as partículas de tamanho microscópico.

Identificação caseira de ouro bruto
pepita de ouro presa na calha sluice box
Avalie a cor da substância. Ouro bruto possui um amarelo-bronze e é brilhante.
Segure a substância sob a luz. Ouro de verdade possui uma superfície brilhante que reluz quando misturada a luz, mas não cintila nem bruxuleia como o ouro de tolo que reflete a luz e cria um efeito de glitter. Ouro de verdade é de um amarelo brilhante de camada metálica.

Sinta a textura da objeto. O ouro bruto tem uma camada suave e o ouro de tolo é entalhado devido à sua estrutura de cristal. A camada do ouro bruto pode possuir corcovas e elevações, mas ele é claramente metálico em sua textura e não cristalizado.

Perfure o ouro com um alfinete. O ouro é extremamente macio e maleável, por isso, se ele rachar ou se estilhaçar, não é ouro de modo algum.
Ouro é um metal macio e maleável que pode ser dobrado facilmente, ao contrário de outros minerais que quebram ao serem martelados. Acerte o ouro firmemente com um martelo para checar se ele fica machucado mas sem quebrar, porém não recomendo isto, pois se for uma pepita ou um floco de ouro ele terá melhor valor devido a estar em estado natural, execute este teste a menos que quera depois fundir o ouro.
pepita de ouro bruta vale mais
As pepitas de ouro são raras e, consequentemente, mesmo uma pequena pepita em estado bruto vale uma vez e meia a duas vezes o preço do ouro em cotação.

Se tiver uma pepita, tente arrastá-la em um espelho. O ouro real é mais macio que o vidro espelhado e não deixará nenhuma marca no espelho.

pepita de ouro encontrada na Bahia
Teste as pepitas e os flocos de ouro com um ímã. Se o ouro for atraído pelo ímã, não é verdadeiro, mas provavelmente ouro de tolo a pirita, que contém ferro.

Coloque o ouro em ácido nítrico. Ouro bruto não dissolve ou mancha. Contudo, o ouro de tolo também não é afetado por esse ácido, mas os outros métodos de identificação acima ajudarão a determinar se o objeto é ou não ouro de tolo.

ATENÇÃO:
Tenha cuidado ao usar ácido nítrico.
É necessário precaução, como usar óculos e luvas de proteção além de estar em local bem ventilado.

Nota:
detector de ouro by ParáDetectores
Pepita e flocos de ouro podem ser detectadas com um detector de metais razoável, mas o ouro em pó não, a menos que este esteja acumulado.

Três das maiores pepitas de ouro do mundo foram encontradas no Brasil, em Serra Pelada (Pará), e estão expostas, em estado natural, no Museu de Valores do Banco Central do Brasil, em Brasília.

Fontes:

Oficineiros

oficina
em 19 de Setembro (2014/2017)
oficina
1 MILHÃO de oficineiros já visitaram

Obrigado a todos e SUCESSO
J. Charles Silva

Oficineiro:
O oficineiro é um profissional que ministra oficinas. Desempenha um papel que não se limita a uma efetividade na resolução de problemas, mas que também envolve a capacidade de fazer surgir questões emergentes.

Ao ministrar uma oficina, o oficineiro é quem apoia a reflexão sobre a problemática apresentada e mede a produção de conhecimento coletivo dos envolvidos. Ele é componente de uma rede contínua pautada pelo diálogo entre todos os que participam do processo, em uma teia sob a qual se desenham possibilidades de relação e identificação.

Essa dinâmica dialoga com o pensamento do filósofo chileno Francisco Varela sobre o processo de cognição: “…o ato de comunicar não se limita a uma transferência de informação de um remetente a um destinatário, mas pela modelagem mútua de um mundo comum por meio de uma ação conjugada”.

A atividade cognitiva, da qual o oficineiro é um possível condutor, se dá por meio de vivências e experimentações e é, portanto, construtiva uma vez que os caminhos aparecem conforme se percorrem os processos de aprendizagem, considerando como fundamental a troca de saberes e a construção coletiva.

A partir de uma dinâmica lúdica e informal, as oficinas e os oficineiros permitem uma participação pautada, sobretudo, no desejo de experimentar e vivenciar, o que pode diferenciar o processo de ensino e aprendizagem e somar a métodos formais de educação.


Fonte:

Como reconhecer e testar pirita

Como fazer testes para saber se é pirita

Aquelas partículas de mineral douradas brilhando atrativamente em uma rocha podem ser ouro, ou podem ser piritas de ferro astutamente disfarçadas de ouro e que são comumentes chamados de "ouro de tolo". Um explorador precavido tem algumas diferentes análises à sua disposição para calcular se depositou suas esperanças em nada ou se realmente deu sorte. Muitas das análises envolvem o uso de ferramentas comuns de uso doméstico ou simples conhecimentos das características específicas do mineral que transforma milionários do ouro em tolos.
Como reconhecer pirita chamado de o ouro de tolo
Rocha encontrada na Bahia, Brasil
Só porque você encontrou uma pedra que brilha como ouro não significa que esteja realmente segurando uma fortuna em sua mão. Vários outros minerais, principalmente pirita ou "ouro dos tolos", têm o mesmo brilho e aparência do ouro, mas valem muito menos.

Materiais que vai precisar para identificar pirita:
testar pirita
Ímã;
Martelo;
Pinça ou faca;
Lupa, lente de camera ou microscópio;
Ácido hidroclorídrico ou Ácido Muriático;
dois pedaços de vidro:

Testes caseiros para identificar pirita:

Teste do brilho:
Verifique atentamente a cor do mineral sob o sol, se as pedras forem grandes o suficiente. Se refletir contra o sol é pirita, ouro não reflete mantém a cor e o mesmo brilho. Já a pirita vai refletir com um glitter.

Lupa, lente ou microscópio:
Se as pedras forem pequenas ou em forma de areia então use uma lente de aumento.
Se a rocha for consistente e com a camada superficial uniforme e a cor do "ouro" for realmente dourado ou amarelo prateado, pode ser realmente ouro. Pirita de ferro é ligeiramente diferente, da cor do bronze, indo do pálido a um bronze médio quando vista sob uma lente. Piritas de ferro também têm estrutura mais parecida com a de um cristal (formas regulares como um cubo ou um octaedro) do que o ouro. O ouro ocorre mais frequentemente em forma de pepitas, em lençóis, em pequenas lascas e pedaços disformes. O ouro raramente é encontrado em estrutura cristalina. A pirita de ferro também existe em pedaços disformes.

Teste com uma faca ou pinça:
Arranhe amostras grandes com uma faca. O ouro pode ser cortado, soltando um pó residual amarelo, mas a pirita de ferro é mais dura e não pode ser arranhada com uma faca. Provavelmente ela irá se fragmentar.

Use um martelo ou uma pinça:
Bata na amostra com um martelo, isto se a pepita for grande o bastante, porém se for uma rocha bonita não efetue este teste, ela pode ter um valor comercial melhor do que partida. O ouro é maleável e mais mole do que a pirita de ferro. A pirita irá se despedaçar e podem voar lascas, mas o ouro irá apenas deformar, ao invés de quebrar. Em amostras menores, utilize uma pinça para verificar se são inquebráveis.

Teste do cheiro:
Esfregue partes pontuais de uma pepita grande contra uma superfície dura, tipo outra rocha ou em uma base de cimento mais rígido. Se surgir um cheiro de enxofre (ovo podre), a amostra é, muito provavelmente, pirita de ferro. Ouro não produz nenhum tipo de cheiro.

Teste da densidade:
Verifique se a substância esta assentada no fundo do coletor. O ouro é mais pesado do que a pirita de ferro e se o "ouro" permanece no alto ou flutua quando chacoalha-se o coletor, provavelmente isto é pirita ou outro metal.

Teste do magnetismo:
Amostra de solo da Ilha de São Miguel, Açores, Portugal
Use um ímã sobre a amostra. A pirita de ferro às vezes é magnética e o ouro nunca o é. Se o "ouro" grudar no ímã, transfira-o para outro coletor e chacoalhe e gire o coletor novamente. Ocasionalmente o ouro podera estar grudado em algum sedimento magnético e fixar-se ao ímã em um torrão de areia. Repetindo o passo com o ímã uma ou mais vezes garatirá que o "ouro de tolo" é definitivamente magnético e, portanto, não é ouro.

Testes com ácidos:
Outra forma simples de testar se a rocha, na verdade, tem o ouro ou pirita é raspar alguns pedaços do material brilhante em uma solução de ácido clorídrico ou muriático. Qualquer material que se dissolva em ácido não é ouro, pois o ouro só é dissolvido com Água Régia (AR).

Teste com vidro:

Teste muito usado em garimpo, prático e rápido.
Pegue dois pedaços de vidro, mas não um vidro muito fino, pois dependendo do pedaço de pirita a testar pode ser perigoso.
Coloque a prova do teste entre os pedaços e pressione, se o material estrilhaçar e/ou quebrar é pirita, se apenas esmagar, é ouro, pois como deve saber o ouro nativo é maleável, macio.

ATENÇÃO:

Pirita o ouro de tolo
(ao manusear ácidos, use sempre equipamentos de proteção)
Coloque suas luvas de borracha e óculos de segurança. O ácido muriático é altamente corrosivo e e os gases podem ser venenoso se estiver em um ambiente fechado e sem ventilação, por isso você deve usar equipamentos de segurança em todos os momentos em que manusear tais líquidos.

Ácido Muriático
Despeje uma pequena quantidade de ácido muriático na proveta de vidro. Tenha muito cuidado para não derramar.

Use uma ferramenta de raspagem para raspar vários pedaços pequenos da rocha no ácido. Raspe em vários pontos sobre a rocha, onde quer que você ache que o ouro possa estar localizado.

Agite o ácido na proveta de vidro suavemente e deixe que o conteúdo assentar. Examine a proveta depois de vários minutos. Qualquer material não dissolvido pelo ácido será ouro.


Ácido Clorídrico
Goteje um pouco de ácido hidroclorídrico sobre a amostra. A pirita de ferro irá espumar e dissolver-se, mas o ouro permanecerá inalterado.

Testes efetuados em amostras de solo enviado da 
Ilha de São Miguel nos Açores-Portugal.
Logo na recepção do material reparei que não se tratava de ouro;
Mas continuei fazendo os testes que considero importantes a nível caseiro;
Exposta sob a luz do sol a amostra refletiu um brilho de espelhamento tipo glitter;
Segui para o teste da pinça em que um pedaço se estilhaçou;
Efetuei o teste com imã e o material agarrou dando a indicação de ser ferroso;
Foi o suficiente para chegar à decisão que a amostra de solo se tratava definitivamente de areia com pirita.

Não desanime e saiba porque encontrar pirita às vezes não é de todo um mal:
Ironicamente, contudo, pequenas quantidades de ouro podem às vezes ser encontradas disseminadas nas piritas. Com efeito, dependendo da quantidade de ouro, a pirita aurífera pode mesmo ser uma fonte valiosa deste metal precioso. Em piritas podem ocorrer também arsênio, níquel, cobalto e cobre.

Sendo encontrado em qualquer parte do mundo, a pirita é o sulfeto mineral mais comum. Encontra-se geralmente associado com outros sulfetos ou óxidos em veios de quartzo, rocha sedimentar ou rocha metamórfica, em leitos de carvão e também como mineral de substituição nos fósseis.

Entretanto, a pirita não serve apenas para passar-se por ouro, ela possui também aplicações importantes.

Por exemplo, a partir dela, é produzido o ácido sulfúrico (H2SO4), que é a substância química mais utilizada nas indústrias, tanto que o consumo per capita dele constitui um importante indicador do desenvolvimento técnico do país. Esse mineral também pode ser convertido em sulfato férrico, sulfato ferroso e óxidos de ferro ou como fonte do próprio enxofre.

Nas siderúgicas, a pirita pode ser usada para a produção de ferro e, consequentemente, do aço (liga metálica do ferro).
A pirita também é confundida com outros minerais, a marcassita, arsenopirita, calcopirita e pirrotita.

Fontes:

Segue oficina70.com