A associação do ouro e magnetita

Associação do ouro a minerais ferrosos
Ferro, chumbo, pirita e magnetita são alguns dos metais e minerais mais pesados, e que frequentemente estão associados à localização de depósitos de ouro.
Isso ocorre porque esses metais, rochas e minerais são formados em torno dos veios de ouro, que se quebram e se espalham para fora do próprio ouro por meio de processos de erosão.
Alguns minerais e metais pesados oferecem uma pista de que o ouro pode estar por perto.

Informações sobre a Magnetita
Magnetita na matriz de xisto verde, Diamantina-MG.

O hábito é normalmente maciço ou granular (de granulação grossa ou fina). Forma agregados granulares, maciços ou formas lamelares. Os cristais são tipicamente octaédricos, às vezes dodecaédricos, estriados, e mais raramente cúbicos.
O mineral apresenta forma cristalina isométrica, geralmente na forma octaédrica. É um material de dureza 5.5 - 6,5, quebradiço, fortemente magnético, geralmente de cor preta, brilho metálico e com peso específico entre 5,158 a 5,180. É um mineral que se dissolve lentamente em ácido clorídrico (HCI) reagindo tanto para o ferro ferroso como para o ferro férrico forma solução amarelada ou esverdeada.
A cor da magnetita pode variar desde o Marrom, Preto até ao Preto acinzentado.
A magnetita é a pedra-imã mais magnética de todos os minerais da Terra.

A magnetita altera-se para hematita, goethita/limonita, e mais raramente para siderita.

Minerais com os quais ocorre associado
Ocorre associado à cromita, ilmenita, rutilo, olivina, piroxênio, apatita, silicatos (origem ígnea); pirrotita, pirita, calcopirita, pentlandita, esfalerita, hematita, silicatos (origem hidrotermal, metamórfica); hematita, quartzo, opacos (sedimentos).

Também é mais comumente encontrada em formato de pequenos grãos, disseminada nas rochas ígneas e metamórficas, sendo encontrada em grande quantidade nas areias de praia conhecidas como areia mineral, areia ferrosa ou areia preta sendo o resultado de erosão do solo que os rios levam para o mar, concentrando-se nas praias pela ação das ondas e das correntes marítimas.
Minerais de magnetita que contêm de 3,8% a 6,3% de manganês são denominados manganomagnetita, e quando está associada com o corindon é conhecida como esmeril.

A magnetita também é encontrada em meteoritos.

Depósitos de Magnetitas no Brasil
Embora não tenhamos conhecimento se algumas das minas que exploram magnetitas no Brasil tenha ouro associado, as maiores explorações de magnetita no Brasil estão nos estados da Bahia, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Pará e Rio Grande do Norte mas há magnetitas catalogadas e exploradas economicamente também nos seguintes estados.

Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.
No Brasil ainda há a variedade Magnetita Titanífera.

Mas então a magnetita contém ouro?

Associação do ouro à magnetita
Um tipo comum de depósito de ouro é aquele em que o ouro está associado à magnetita mineral, onde o ouro é formado em peles de magnetita granular. O mineral possui uma fórmula química Fe3O4 que é freqüentemente encontrada em áreas metamorfoseadas por contato associadas a intrusões de magma em rochas carbonáticas ou silico-carbonáticas. Nesses depósitos, os minerais comuns encontrados incluem piroxênios, anfibólios, granadas e menores quantidades de escapolita, vesuvianita e outros silicatos, mas o mais importante é a magnetita.
magnetita em matriz de calcopirita contrastante
Calcopirita depositada na magnetita. A magnetita são os cristais pretos.

No campo, a magnetita é um dos minerais mais facilmente encontrados, porque é magnético e atraído por um ímã; alguns desses minerais possuem o próprio magnetismo fraco, por isso é chamado de Lodestone.

A primeira associação do ouro e magnetita ocorre no fundo da bateia, na forma de areia preta que contém pequenas manchas de ouro.
Essa areia preta, juntamente com outros minerais pesados, é considerada minério por si só e é frequentemente refinada para recuperar o teor de ouro.

Cristais de magnetita em uma matriz de feldspato
Cristais de magnetita em uma matriz de feldspato.

A magnetita contendo ouro pode ser encontrada em depósitos maciços, onde o ouro é muitas vezes invisível a olho nu, com o ouro sendo disseminado por todo o depósito de magnetita. Os corpos inferiores neste tipo de depósito podem ser apresentados como um em particular, tubular ou mais raramente como depósitos em chapa.

Os minerais sulfetados encontrados em tal depósito são geralmente de natureza secundária que foram depositados por águas hidrotermais carregadas de minerais. Em alguns depósitos deste tipo, os objetivos também estão associados aos sulfetos, principalmente arseno-pirita e outros minerais sulfídricos.

Se o ouro estiver presente em um desses depósitos, ele não deve ser disseminado pelo corpo da rocha e quantidades tão pequenas fazendo que grande parte do ouro são invisíveis a olho nu, ou pode haver pequenas manchas de ouro visíveis. O teor usual desse tipo pode variar em cerca de 113gramas por tonelada.

Uma grande quantidade de ouro pode ser recuperada da magnetita usando o processo de lixiviação que tira proveito da capacidade do cianeto de sódio ou potássio em dissolver o ouro. Como regra geral, são necessários aproximadamente 56 gramas de cianeto em solução para tratar o ouro dessa maneira.
O cianeto é extremamente venenoso, pois são necessários apenas 10/10 de grama para matar uma pessoa. Também apresenta questões ambientais muito sérias que precisam ser abordadas. Se existirem as devidas salvaguardas ambientais, o uso de cianeto na extração de ouro é extremamente econômico.

GDA, o substituto do cianeto na recuperação do ouro:

Lista de minerais que estão associados ao achar ouro:

Sem comentários :

Segue oficina70.com