oficina70.com: OURO
Mostrar mensagens com a etiqueta OURO. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta OURO. Mostrar todas as mensagens

Donde se encuentra oro en Espanã

Dónde és posible buscar y encontrar oro en España
Con los altos precios del oro y su estabilidad,los buscadores de oro y los 'bateadores' de oro están vuelve la fiebre del oro en Espanã.
No, no está prohibido buscar oro en España, cuando se trata de buscadores de oro aficionados, utilizándose sólo de herramientas y materiales de pequeño porte y sin por ello la depredación de la naturaleza.
bateadores de oro en venezuela
Donde encuentrar oro en Espanã
En España existen 174 depósitos de oro referenciados. Pero aún así, hay lugares que aún no han sido catalogados porque no se ha hecho ningún levantamiento geológico o relatos de que allí pueda haber oro. Pero de estos 147 lugares referenciados sólo algunos se podrán ejecutar el pasatiempo de garimpo de oro.

Como pueden ver logo abajo, en la Provincia de León en la comunidad autonómica de Castilla y León es el lugar en España donde hay más referencias de oro.

Nota:
Si por casualidad falta algún yaciamiento que nos olvidamos, de donde ya se ha encontrado oro en suelo español, por favor ayudenos y mejorar esta lista dejando el local en el comentario al final de este artículo. Gracias.

 Yacimientos de oro en Andalucia
Almeria
Albox,  Armuña de Almanzora,
Cabo de Gata: Mina Rodalquilar e Seron.
Rodalquilarita, Oro Nativo y Jarosita.
Filón 340, Rodalquilar, Almería, Andalucía, España.
El Oro Nativo se presenta como pequeños puntos en las zonas

oscuras de la matriz de Calcedonia blanca. Col. y foto Nacho Gaspar.

Córdoba
Cerro Muriano.


Granada
Caniles, Granada, Río Darro,
Río Genil, Ugijar y en Velez de Benaudalla.

Huelva
Minas de Cala, Calañas, Minas Riotinto y en Tharsis.

Málaga

Carratraca, Ojén y en Ronda.


Sevilla
Aznalcollar, La Puebla de los Infantes, Lora del Río y en Peñaflor.

Yacimientos de oro en Aragón
Huesca
Jaca, Macizo del Aneto, Sabiñanigo,
Sallent de Gállego y en Valle de Gistain.

Zaragoza
Calatayud.

Yacimientos de oro en el Principado de Asturias

Asturias
Carlés, Allande, Luarca, Salas, Tapia de Casariego,
Tineo: Navelgas, Sierra del Aramo y en el Valle de Boinás.

Yacimientos de oro en Castilla La Mancha
Guadalajara
El Ordial, Hiendelaencina y en Navas de Jadraque.

Toledo
La Nava de Ricomalillo.
Oro nativo con Cuarzo - Mina Pilar, La Nava de Ricomalillo, Comarca La Jara, Toledo, Castilla-La Mancha España
Oro nativo con Cuarzo - Mina Pilar, La Nava de Ricomalillo,
Comarca La Jara, Toledo, Castilla-La Mancha España

Yacimientos de oro en Catalunya

Girona

Comarca del Alt Empordà:

Colera, La Jonquera y en Sant Llorenç de la Muga.
Comarca del Ripollès:
Queralbs y en el Vall de Ribes.

Lleida
Comarca de la Vall d'Aràn

Tarragona
Comarca de la Conca de Barberà
Monasterio de Poblet:
Coma Fosca, Roca de Ponent y en Sant Miquel.

Yacimientos de oro en la Extremadura
Badajoz
La Codosera y en la Puebla de la Reina.

Cáceres
Calzadilla, Logrosán, Membrio,
Montehermoso, Valencia de Alcántara y en Zarza la Mayor.

Yacimientos de oro en la Comunidad Murciana
Murcia
Murcia Ciudad.

Yacimientos de oro en Galicia
A Coruña
Cabana, Carballo, Valdoviño e en Zas.

Lugo
Becerreá, Monforte de Lemos y en Quiroga.

Ourense
Arnoia, Avión, Beariz, Cabanelas,
Carballino, Cenlle, Irijo e en el Puerto del Rodicio.

Pontevedra
Lalín
Variedad electrum de oro nativo en la matriz de cuarzo
Variedad electrum de oro nativo en la matriz de cuarzo.
Yacimientos de oro en Castilla y León
León
Bembibre, Banabides de Orbigo, Benuza,
Boca de Huergano, Borrenes, Brazuelo, Burón,
Bustillo del Paramo, Cacabelos, Camponaraya, Candin,
Carucedo, Castrillo de Valduerna, Castrillo de los Polvazares,
Castrocalbón, Castrocontrigo, Castropodame, Cimanes del Tejar,
Congosto, Corullón, Destriana, Fabero, Folgoso de la Ribera,
Hospital de Orbigo, Igüeña, La Bañeza, La Robla, Las Omañas,
Lucillo, Luyego de Somoza, Magaz de Cepeda, Maraña,
Murias de Paredes, Noceda del Bierzo, Palacios del Sil,
Paradaseca, Páramo del Sil, Ponferrada, Posada de Valdeón,
Priaranza de la Valduerna, Priaranza del Bierzo,
Puente de Domingo Flórez, Quintana del Castillo,
Quintana y Congosto, Rabanal del Camino,
Reguera de Arriba, Riaño, Riego de la Vega,Riello,
Rioseco de Tapia, Salamón, Santa Colomba de Somoza.
Santa Elena de Jamuz, Santa Marina del Rey, Santiago Millas,
Sierrra de Ancares, Sobrado, Soto y Amio,
Toral de los Vados, Torre del Bierzo, Trabadelo, Truchas,
Turcia, Val de San Lorenzo, Valdesamario, Vega de Espinareda,
Villablino, Villafranca del Bierzo, Villagatón, Villamejil,
y en los Villares de Orbigo.

Salamanca
Bermellar, Berrocal de Salvatierra, Calzadilla de Mendigos,
Encinasola de los Comendadores, Masueco, Membribe,
Navasfrias, Palacios de Salvatierra, Peña de Francia,
Pizarral de Salvatierra, Puebla de Azaba, Saldeana,
Saucelle, Sierra de Gata y en Valderrodrigo.

Segovia
San Rafael y en Sierra de Ayllón.

Zamora
Alcañices, Fonfría, Hermisende, Losacino, Muelas de los Caballeros,
Pino del Oro, Rabano de Aliste, Trabazos y en Villadepera.

Continúa leyendo más:


Fuentes de referencia de este artículo:

Electrum, variedades do ouro

Variedades de ouro:
Electro
variedade de ouro electro encontrado no estado do Nevada, USA
Electro (em português, no latim: electrum) é uma liga que ocorre naturalmente de ouro e prata, com vestígios de cobre e outros metais.
(Também pode ser produzido artificialmente sendo conhecido como ouro verde).

Nem toda pepita de ouro encontrada na natureza é de 24k, isto é muito raro, somente algumas pepitas de ouro encontradas na Austrália e no Alaska são puras, as demais geralmente tem algum outro metal em sua composição estrutural.
A variedade de ouro Electro é encontrada um pouco por todo o mundo sendo até uma das mais comuns.
As impurezas mais comum numa pepita de ouro electro são:
Telúrio, Selênio, Prata, Bismuto, Paládio, Ródio, Irídio, Platina, Cobre.

Porém a prata domina na variedade electro
fios de ouro electro no quartzo encontrado nos EUA
O Electro é uma variedade de ouro com mais de 20% de prata. Cor branca a amarela, dependendo da relação Au / Ag. Dureza: 2,5 a 3. Densidade: 16 a 17. Impurezas de: Cu, Sn, Pb, Zn. O electrum tem uma variedade chamada Argentocuproaurite de fórmula (Au, Ag, Cu, Pd, Rh) da qual dois grãos foram encontrados na Rússia:
Argentocuproaurite I - Au50Cu21Ag17Rh6Pd6
Argentocuproaurite II - Au47Ag26Cu24Pd3

Onde é encontrado a variedade de ouro electro:
No Brasil
Bahia
Barrocas: Mina da Fazenda Brasileiro e Fazenda Canto

Goiás
Campo de ouro de Crixás
Pilar de Goiás
Cinturão de Pilar de Goiás: Cachoeira do Ogó reclama
Distrito de Mara Rosa
Mara Rosa: Zacarias minha

Minas Gerais
Santa Barbara: Mina São Bento

Pára
Província mineral de Carajás
Canaã dos Carajás
Mina Sossego: Pista-Sequeirinho-Baiano
Parauapebas: Mina Águas Claras
Depósito de Cobre do Alemão: Mina Igarapé Bahia e Mina de Breves

Em Portugal:
ouro electro em matriz de quartzo esfalerita
Distrito de Beja
Castro Verde
Santa Bárbara de Padrões: Mina Neves-Corvo

Distrito do Porto
Gondomar
Melres: Minas de Banjas
Paredes
Sobreira: Minas de Banjas
Valongo
Valongo: Minas de Serra de Pias

Distrito de Vila Real
Boticas
Bobadela: Depósito de Limarinho
Vila Pouca de Aguiar
Alfarela de Jales: Mina da Gralheira e Minas de Jales
Tresminas: Minas de Jales
Vreia de JalesMinas de Jales

Distrito de Viseu
Penedono
Granja: Mina Santo António
Penedono: Minas Ferronha
Penela da Beira: Mina Vieiros
Vila Nova de Paiva: Queiriga
ouro electro encontrado na Suécia

Fontes:

Ouro nativo, principais variedades

Antes de falarmos das variedades do ouro nativo, vamos falar de como o ouro pode ser encontrado na natureza.
Ouro nativo, principais variedades

Como o ouro pode se encontrar na natureza:
Pepita,
grãos (areia),
flocos,
dendrítico (em forma de folha ou árvore).


Uma pepita de ouro é uma peça natural de ouro nativo.

Os cursos de água concentram frequentemente pepitas e ouro mais fino em placers. As pepitas são recuperadas pela mineração de placer, mas também são encontradas em depósitos residuais onde as veias ou os lodos portadores de ouro são desgastados. Pepitas também são encontrados nas pilhas de rejeitos de operações de mineração anteriores, especialmente aquelas deixadas por dragas de mineração de ouro.

Breve e simples explicação de onde vem o ouro:
ouro nativo na matriz de quartzo
Na verdade todo tipo e formas de ouro parte de filões que explicando melhor partiu há milhões de anos das profundezas da terra tipo como uma lava subindo junto com outros minerais, sobretudo com o quartzo, derretidos para o sub solo e consequentemente ia resfriando até se solidificar juntamente com a rocha e minerais, e com o tempo o passar dos tempo a rocha envolto ao ouro começou a sofrer um desgaste, seja pela ação do vento da chuva, derrocadas ou terremotos. Parte deste ouro ao longo do caminho que percorrem sofrem danos assim podem se desfazer fazendo com que o ouro se desfaça em partículas menores ou não. Geralmente uma pepita pequena já fez parte de uma maior.
https://www.oficina70.com/2015/12/como-se-forma-o-ouro.html

Característica e formação do ouro nativo:
É principalmente ouro puro acima de 99% - comumente com impurezas de prata, cobre, ferro e mercúrio, mais raramente com muitos outros elementos, que cristalizam no sistema cristalino cúbico ou isométrico.

Forma duas séries de solução sólida, uma em que a substituição gradual de ouro, prata totalmente miscível com tamanho semelhante e cristalizar tanto no sistema isométrica, irá dar origem a intermediários minerais com diferentes proporções: quando ambos os elementos são entre 20 % a 80% é referido este mineral crisoargirita ou electro, se o ouro é mais de 80% é chamado de ouro prata e se o ouro é inferior a 20% é chamado de prata-da aura. Uma segunda série está a formar com o palio ouro substituição, o que tipicamente leva impurezas de platina.
ouro em flocos do Alaska,USA
É amplamente espalhados por todo o mundo em quantidades muito pequenas em rochas de vários tipos, bem como na água do mar. Ela aparece em veias para fumarolas epitermais tipicamente veios de quartzo com pirita e outros sulfetos e teluretos minerais; Também em rochas e depósitos pegmatite vulcânica em contato com rochas metamórficas, às vezes em rios Pleasures em forma de pepita de ouro.
https://www.oficina70.com/2018/02/geologia-do-ouro-e-indicadores-naturais.html

Minerais associados ao ouro nativo:
Geralmente o ouro é encontrado associado com outros minerais, como pirita, calcopirita, arsenopirita, pirrotita, silvanita, krennerite, calaverita, altaite, tetradymite, scheelita, ankerita, turmalina ou quartzo.
https://www.oficina70.com/2017/07/quais-minerais-estao-associados-ao-ouro.html

Formação:
Pepitas são fragmentos de ouro retirados de um filão original. Eles geralmente mostram sinais de polimento abrasivo por ação de fluxo e, às vezes, ainda contêm inclusões de quartzo ou outro material de matriz de lodo. Um estudo de 2007 sobre pepitas australianas descartou teorias especulativas de formação de supergenes via precipitação in situ, soldagem a frio de partículas menores ou concentração bacteriana, uma vez que as estruturas cristalinas de todas as pepitas examinadas provaram que elas foram originalmente formadas em alta temperatura no subsolo (eles eram de origem hipogênica).
ouro dendritico em matriz de quartzo
Ouro dendrítico em matriz de quartzo encontrado na Inglaterra
Outros metais preciosos, como a platina, formam pepitas da mesma maneira. Um estudo posterior de ouro nativo do Arizona, EUA, baseado em isótopos de chumbo, indica que uma parte significativa da massa em pepitas de ouro de aluvião nesta área se formou dentro do ambiente do placer.

Composição:
As pepitas geralmente têm pureza de 20,5 a 22K (83% a 92% em massa). Pepitas de ouro na Austrália geralmente são de 23K ou ligeiramente mais altas, enquanto as pepitas do Alasca geralmente estão no limite inferior do espectro. A pureza pode ser avaliada grosseiramente pela cor da pepita, quanto mais rico e mais profundo o laranja-amarelo, maior o teor de ouro. A pepita também é referida por sua delicadeza, por exemplo, "865 fine" significa que a pepita é 865 partes por mil em ouro em massa. As impurezas mais comuns em uma pepita nativa são prata e cobre.

Ouro e Prata:
pepita electro de ouro
Ouro e a prata têm a mesma estrutura cristalina e tamanho atômico similar, então eles são completamente miscíveis e há uma solução sólida completa entre ouro e prata. Quando o ouro predomina (Au, Ag) a espécie mineral é chamada ouro (ouro nativo) e quando a prata predomina (Ag, Au) é denominada prata (prata nativa). A variedade electrum é utilizada para composições entre cerca de 20 a 80% de ouro ou 20 a 80% de átomos de prata. Ouro altamente puro é raramente encontrado, quase sempre contém alguma prata ou outro metal precioso.

Variedades de Ouro nativo:
Electro (geralmente com> 20% em peso de prata)
Argentífero (1/5 de prata para ouro)
Paladinado (com alto teor de paládio)
Porpezita (com 5-10% de paládio)
Pirrocrisite (com prata)
Rodita (com ródio)
Ouro-bismuto (com 13% de bismuto)
Chumbo de ouro (com chumbo)
Ouro-irídio (com irídio)

Sendo que as principais variedades são o electro, a porpezita, o paladinado e a rodita.

Falaremos das principais variedades em outros artigos onde vamos mostrar onde se encontram estas variedades de ouro no Brasil, em Portugal, na Espanha e na França.

Fontes:

Como identificar ouro

Como identificar ou testar se uma peça ou jóia é de ouro
Como saber se um metal é de ouro
barra de ouro melhor investimento
Com os seguintes testes você pode identificar se o ouro é verdadeiro em jóias de ouro, barra de ouro (ouro de investimento), ou ouro nativo (pepitas de ouro).

Teste da inspeção visual
contrastaria de portugal, banco de portugal, marca de ouro casa da moeda
A primeira coisa a fazer para verificar se o ouro é "verdadeiro" é observá-lo. Procure por sinais particulares que possam indicar se o material é verdadeiro.

Procure marcas oficiais na peça. Uma contrastaria indicará a pureza dele (10K, 14K, 18K, 22K ou 24K). Tudo menos de 10K não é considerado ouro verdadeiro. Uma lupa facilitará este processo.

Um pedaço mais velho pode não ter uma marca visível devido a desgastes. Muitas vezes, o ouro falso exibe uma marca que parece autêntica, nesta situação é necessária extrema atenção na análise e recurso a mais testes de despitagem..

2. Procure por descolorações notáveis.
É importante procurar descoloração em áreas que demonstrem fricção constante (tipicamente ao redor de bordas).

Você provavelmente possui um artigo que é apenas folheado a ouro caso o material esteja se desgastando e demonstre um metal diferente abaixo dele.

Teste da mordida
teste de ouro caseiro
Nós todos já vimos um filme em que um prospector morde um pedaço de ouro para testá-lo. Também vimos atletas olímpicos morderem a medalha de “ouro” ao recebê-la. A utilidade dessa última atitude, porém, é desconhecida.

1. Morda o ouro com pressão moderada.

2. Examine as marcas deixadas no material.
Na teoria, ouro real exibirá as marcas de seus dentes; marcas mais profundas indicam ouro mais puro.

Este teste normalmente não é recomendável, visto que você pode danificar os dentes ou a peça.
Sem mencionar que o chumbo é mais macio do que ouro e peças folheadas a ouro poderão parecer reais ao serem mordidas.

brinco de chumbo banhado a ouro
Ao invés de morder o ouro pode presssionar a peça com um objeto pontiagudo, pois o ouro é maleável.
Este teste foi efetuado no brinco de ouro da foto acima que após o teste verificou-se constatar que era apenas uma peça de chumbo banhada a ouro, foi verificado usando uma lupa 10X.
Muitas das falsificações de barras de ouro são usados chumbo e outros metais densos afim de confundir o comprador como se tratando de ouro, atenção a este modus operandi.

Teste do íman
Este é um teste fácil, mas não é algo garantido ou infalível. Algo fraco como um íman de frigorífico não será útil, mas ímans mais fortes encontrados em lojas especializadas e em objetos comuns como trancas de bolsas femininas, brinquedos infantis ou discos rígidos antigos serão fortes o suficiente para a realização do teste.

1. Posicione o íman acima do objeto.
O ouro não é um metal magnético, portanto ele é falso sempre que for atraído pelo íman. Entretanto, a falta de reações nem sempre indica a consistência do material, pois metais não-magnéticos são utilizados na falsificação de jóias.

Teste de densidade
kit de teste de ouro por gravidade específica
Existem poucos metais mais densos que o ouro. A densidade do ouro puro de 24K é cerca de 19.3 g/ml, o valor mais alto entre a maioria dos outros metais. Medir a densidade de seus objetos pode ajudá-lo a determinar se o ouro é real. Em regra geral, quanto maior a densidade, mais puro é o ouro. Certifique-se ao realizar o teste em jóias que não possuam gemas (pedraspreciosas).
Veja os avisos abaixo para informações importantes acerca do teste de densidade.

1. Pese o ouro.
Um joalheiro normalmente pode fazer isso gratuitamente caso você não tenha uma balança.

2. Encha um frasco com água.
Um frasco com marcações de mililitros no lado é útil, visto que isso pode facilitar as medidas para o teste.
Não importa quanta água você use desde que o frasco não se encha completamente. O nível da água subirá assim que o ouro for imerso nela.
Também é importante anotar a exata quantidade do nível de água antes e depois da imersão.

3. Coloque o ouro no frasco.
Anote o novo nível de água e calcule a diferença entre esses dois números em mililitros.

4. Use a seguinte fórmula para calcular a densidade: Densidade = deslocamento entre massa/volume. Um resultado próximo de 19 g/ml indica ouro real ou um material com densidade semelhante. Eis um cálculo de exemplo:

Seu objeto de ouro pesa 38 g e desloca 2 mililitros de água. Usando a fórmula de [massa (38g)]/[deslocamento de volume (2 ml)], seu resultado seria de 19 g/ml, algo muito próximo à densidade do ouro. 

Mantenha em mente que diferentes níveis de pureza terão diferentes resultados por g/ml:
14K – 12.9 a 14.6 g/ml
18K amarelo – 15.2 a 15.9 g/ml
18K branco – 14.7 a 16.9 g/ml
22K – 17,7 a 17,8 g/ml

Kit de teste de ouro como o da foto acima são encontrados em sites como o Mercadolivre.com no AliExpress.com ou no eBay.com

Teste do prato cerâmico
Este é um método fácil para descobrir a autenticidade do ouro. Mantenha em mente que a sua peça poderá ficar arranhada.

1. Encontre um prato cerâmico não vidrado.
É possível comprar uma peça deste género em quase todas as lojas de artigos domésticos.

2. Arraste o objeto pela superfície do prato.
Uma mancha preta indica que o ouro não é real, enquanto que uma mancha dourada indica a genuinidade do objeto.

Teste do ácido nítrico
É daqui que nasceu o termo “teste ácido”, e é um método espetacular de testagem. Porém, devido às dificuldades relativas à aquisição do ácido e aos riscos de segurança inerentes à prática, é melhor deixar este teste para o joalheiro profissional .

1. Posicione o pedaço de ouro sobre um pequeno recipiente de aço inoxidável.

2. Coloque uma gota de ácido nítrico sobre o ouro e observe qualquer reação.

Uma reação verde indica que seu objeto é um metal base ou folheado a ouro.
Uma reação da "cor do leite" indicaria um material de prata folheado a ouro.
Se não houver reação, então é provável que você esteja lidando com ouro real.

Caso queira aprender a fazer ácidos para testar ouro clica no link a seguir:

Os testes acima descritos também podem ser efetuados para testar pepitas de ouro no qual surjam dúvidas.
gold nuggets found brazil

Testadores de ouro eletrônicos
testador de ouro gold tester
O modelo de testador de ouro eletrônico acima é da Auracle Gold Tester
Para obter informações deste equipamento ou comprar um testador de ouro, clica no link a seguir:
Esta empresa disponibiliza no seu portfólio um modelo adaptável para tablets e smartphones Android, Windows e iOS. 

Analisador e testador de metais preciosos XRF
gold tester XRF
Para testar ouro e outros metais preciosos pode usar um Analisador e Testador chamados de espectrômetros XRF (X-ray fluorescence), esta é uma solução um pouco mais cara e para profissionais que precisam de equipamentos no terreno, pois a maioria destes tipos de equipamentos são portáteis.

A fluorescência de raios X por dispersão de energia é uma técnica analítica multi-elementar não destrutiva capaz de identificar elementos de vários materiais metálicos na qual a leitura para ouro será:  Au Lα1 0.1276


Fontes:

Filão principal de ouro

pepitas de ouro, Califórnia gold nuggets
O filão principal é um vei principal ou zona de minério de ouro ou prata. O termo também é usado coloquialmente para se referir à origem real ou imaginária de algo valioso ou em grande abundância.

O termo provavelmente veio de uma tradução literal do "veta madre" espanhol, um termo comum na mineração mexicana antiga. Veta madre, por exemplo, é o nome dado a um vei de prata de 11 quilômetros (6,8 mi) descoberto em 1548 em Guanajuato, Nova Espanha (atual México).

Califórnia Mother Lode
mapa do filão principal de ouro da Califórnia
Nos Estados Unidos, o chamado Califórnia Mother Lode é o mais famoso nome dado a um longo alinhamento de depósitos de ouro de rocha dura que se estende a noroeste-sudeste na Sierra Nevada da Califórnia. Foi descoberto no início dos anos 1850, durante a corrida do ouro na Califórnia. A Califórnia Mother Lode é uma zona de 1,5 a 6 km (0,93 a 3,73 mi) de largura e 190 km (120 milhas) de comprimento, entre Georgetown, no norte, e Mormon Bar, no sul.

O filão materno coincide com a linha de sutura de um terrane, o Bloco Smartville. A zona contém centenas de minas e prospectos, incluindo algumas das minas históricas mais famosas e conhecidas da era da corrida do ouro. Depósitos de ouro individuais dentro do filão principal são veios de quartzo portadores de ouro de até 15 metros de espessura e alguns milhares de metros de comprimento. O California Mother Lode era um dos principais distritos produtores de ouro mais produtivos dos Estados Unidos. Agora é conhecido como um destino para o turismo e para as suas vinhas.
mapa do filão principal de ouro da Califórnia
A corrida do ouro da Califórnia, como aconteceu com a maioria das corridas de ouro, começou com a descoberta de ouro nas areias e cascalhos de leitos de rios, onde o ouro tinha erodido a partir dos depósitos dos veios principais. Os mineiros de "placer" seguiram as areias portadoras de ouro rio acima para descobrir a fonte daquele ouro no leito da rocha. Esta fonte foi chamada de "mãe" do ouro no rio e por isso foi apelidado de "filão".

Fonte:

Metais preciosos e suas origens

Quem descobriu e qual é a origem dos nomes dos
metais preciosos

 Metais preciosos
O grupo de metais preciosos é composto por dois metais para cunhagem de moedas, seis metais do grupo da platina e um metal considerado o último elemento estável natural a ser descoberto. Com exceção de ouro e prata (os dois metais de cunhagem), o resto dos metais preciosos registraram descobertas.
Metais preciosos e suas origens
Na lista a seguir, são fornecidas os nomes dos descobridores e etimologias do nome dos sete metais preciosos (novamente, aqueles com descobertas gravadas). O ano da descoberta de cada um desses elementos, tal como apresentado aqui, refere-se ao ano quando o elemento foi identificado como o elemento puro. São também fornecidas suas etimologias do respectivo nome.

Metais preciosos e as suas origens: 
rutênio, iridio e ósmio alguns dos metais preciosos

Platina
platinunn bar bullion
Antonio de Ulloa, um explorador espanhol e astrônomo, geralmente é creditado com a redescoberta moderna (em 1735) da platina. Este metal precioso na verdade foi primeiramente descrito em 1557 por Giulio Cesare della Scala, um médico italiano, ele foi o primeiro a encontrá-la, por acaso, em uma mina de prata na América do Sul, platina foi nomeada como tal, após a palavra espanhola “platina”, que se traduz em “pequena prata ou pratinha”.

Paládio
palladium bullion bar
William Hyde Wollaston, um químico e físico inglês, descobriu paládio em 1803 em amostras de minério de platina obtido da América do Sul. Ele deu nome do asteróide Pallas, que foi descoberto em 28 de março do ano anterior.

Ósmio
Smithson Tennant, um químico inglês, descobriu o ósmio em 1803, de resíduos de minérios de platina que foram dissolvidos em ácido nitro- clorídrico. A característica do ósmio de ter um mau cheiro que levou à sua nomeação como tal, que foi derivada da palavra grega “osme”, a palavra significa “cheiro”.

Irídio
Smithson Tennant descobriu o irídio em 1803, ao mesmo tempo de sua descoberta do ósmio da mesma solução de minérios de platina. Irídio é nomeado derivado da palavra em latim “iris”, que significa “arco-íris”.

Ródio
rhodium bar bullion
William Hyde Wollaston o descobriu em 1803, pouco tempo depois ele descobriu paládio. Ele descobriu este metal precioso de amostras de platina brutas obtido a partir da América do Sul. O nome ródio foi derivado da palavra grega “rhodon”, que significa “rosa”.

Rutênio
Karl Karlovich Klaus, um químico russo e naturalista, geralmente é creditado com a descoberta de rutênio (em 1844). Descobriu-o a partir de amostras de minério de platina que obteve do montes Urais na Rússia. Ele chamou este metal precioso nome “Ruthenia”, palavra em latim para Rússia, país de origem do Klaus.

Rênio
Uma equipe de químicos alemães, composto por Walter Noddack, Ida Tacke e Otto Carl Berg, descobriu o rênio em 1925. Eles descobriram o elemento em amostras do mineral de platina, bem como no mineral columbita. Eles o batizaram com a palavra em latim “rhenus”, para “Reno”, um dos mais longos e mais importantes rios europeus.

Ouro e Prata
Quanto aos metais preciosos ouro e prata, ambos são conhecidos por serem usados desde os tempos antigos (ouro estava em uso provavelmente tão cedo como antes de 6000 a.C., enquanto a prata provavelmente tão cedo como antes de 5000 a.C.). O nome “ouro” derivou-se da palavra latim “aurum”, que se traduz como “brilhante”. O nome “prata”, por outro lado, é de do latim vulgar “platta”. Estima-se que a prata tenha sido descoberta depois do ouro e do cobre, sendo que o cobre foi o primeiro metal (não precioso) descoberto e trabalhado pelo homem com estimativas de que 9000 a.C. já era trabalhado no Oriente Médio. 

Berílio
Foi descoberto pelo francês Louis Nicolas Vauquelin em 1798 na forma de óxido no berilo e na esmeralda. O elemento foi isolado independentemente por Friedrich Wöhler e Antoine Bussy em 1828. O berílio é encontrado em cerca de 30 minerais diferentes, sendo o mais importante o berilo, dai o seu nome.

Índio
Pure indium bars for investiments
Foi descoberto por Ferdinand Reich e Theodor Richter em 1863 quando estavam buscando tálio em minas de zinco. O nome índio, procede da linha de cor índico de seu especto atômico. O Índio é um metal branco prateado brilhante . Quando o metal é dobrado, emite um som característico.

Germânio
Descoberto em 1886 pelo químico alemão Clemens Winkler quando analisava um minério de Freiberg, da Saxônia, o germânio teve, no entanto sua existência prevista 15 anos antes por Mendeleiev, que o chamou aca-silício. O nome deve-se ao fato de que o principal mineral para a extração do germânio são a germanita (69% de germânio).

Telúrio
O telúrio (do latim tellus que significa “terra”) foi descoberto em 1782 ou 1783 por Franz Joseph Müller von Reichenstein, na Romênia, a partir de um minério de ouro denominado calaverita (AuTe2) proveniente de uma mina da Transilvânia. Em 1798 foi isolado e nomeado por Martin Heinrich Klaproth.

Gadolínio
coins for investiments
Foi descoberto em 1880 por Jean Charles Galissard de Marignac. O gadolínio foi assim nomeado a partir do mineral gadolinita, por sua vez nomeado em homenagem ao químico e geólogo finlandês Johan Gadolin. Em 1880, o químico suiço Jean Charles Galissard de Marignac observou linhas espectroscópicas, devidas à presença do gadolínio, em amostras de didímio e gadolínia (óxido de gadolínio).

Bismuto
O bismuto foi confundido durante muito tempo com o estanho e o chumbo devido a semelhança com os dois elementos. O químico francês Claude Geoffroy Junine demonstrou em 1753 que este metal não é o chumbo, porém um novo elemento metálico. O bismuto existe na crosta terrestre na forma nativa, não muito abundante, e na forma de minerais.Os mais importantes minerais do bismuto são a bismutinita e a bismita de onde vem seu nome.

Metais preciosos usados nos computadores:
https://www.oficina70.com/2018/01/metais-preciosos-usados-nos.html

Para investidores e colecionadores
Comprar moedas de metais preciosos e raros:
http://www.elementsales.com/ecoins.htm

Fontes:

Ouro nativo com quartzo

Ouro nativo em pedras de quartzo
Ouro misturado com quartzo é algo bastante comum.
ouro nativo no quartzo

"O que eu faço com as pedras de quartzo de ouro misturadas?"

A maioria das amostras acaba em nossas mesas de café como peças de decoração para mostrar aos nossos amigos sobre o "Mother Lode" (filão principal de ouro) ou apenas como uma peça de conversação geral.

Claro que a questão inevitavelmente surge,
"Como você tira o ouro?"

Bem, não é fácil, mas vamos chegar a isso mais tarde. Quando você encontrar o quartzo e o ouro juntos, examine-o. Ele tem bordas gastas ou afiadas e bem definidas? A razão pela qual trago isto é que TODO OURO VEM DAS PROFUNDEZAS DA TERRA e está desgastado com o tempo, liberando-o de sua prisão de quartzo para nós encontrarmos.

Se você começar a encontrar pedras de quartzo e ouro quando estiver minerando, recomendo que você comece a procurar pela fonte, ou seja, procure pelo filão de ouro no quartzo nas proximidades, pois devido ao seu peso, as pepitas de ouro não vão viajar tão longe em um riacho ou rio.

Já os flocos e pó fino podem ser transportados muito mais longe da fonte do ouro. O que não se fala com muita frequência é a distância que o ouro percorrerá enquanto estiver suspenso em quartzo. É claro que estamos sempre procurando a origem das veias de ouro mesmo enquanto garimpamos em um riacho.

A maior razão para que poucos garimpeiros tentem encontrar a fonte de depósitos é a conveniência, pois:
- É mais fácil se deslocar e limpar o caminho da água do que "arriscar" desperdiçar nosso tempo procurando um depósito numa rocha dura.

Quando você encontra quartzo com veios finos (ou grandes) de ouro, você se depara com:
Como obtenho esse ouro para poder vendê-lo?

No entanto, se você garimpar com uma bateia ou fizer uma eclusa para o ouro, é quase inevitável que você encontre uma combinação de quartzo/ouro em breve ou mais tarde. Então é sempre bom saber de onde vem este ouro. É bom ter esse tesouro amarelo em sua mão, e se houver um afloramento de meia milha a montante que é a fonte de toda essa riqueza ... o bom é querer saber onde este ouro todo está.

ouro em quartzo hidrotermal
 Sobre que tipos de cores de rochas para olhar e procurar vestígios e possibilidades de solo e rochas que contém ouro, começe por procurar em antigos leitos de rios, mas a forma mais rápida e suja de encontrar ouro em pedras de quartzo é procurar enferrujado, botões de manchas de óxido localizados nas encostas. Também olhe em seções manchadas de um rio ou banco de fluxo. Estas secções de terra castanha/laranja são tipicamente formação de pirite de ferro oxidada onde são normalmente encontradas o quartzo associado com ouro. Depois de ter encontrado este quartzo sujo, corte um pedaço com o martelo (ou pá) e, em seguida, pegue a lâmina da faca e faça o teste de raspagem em qualquer linha fina de ouro que possa estar presente, este teste nos já ensinamos aqui na oficina70.

Três coisas que preciso mencionar:
1) Nem todo quartzo branco conterá linhas de ouro.
2) O ouro também é encontrado em quartzo não enferrujado.
3) Algumas linhas de ouro mais grossas serão de pirita de ferro.

A razão pela qual fazemos o teste de raspagem é determinar se localizamos ouro de pirita de cor dourada. O ouro vai amassar e é macio. Qualquer outra coisa que não seja valiosa estilhaçará.

Mas atenção às cores cinzentas em pedras de quartzo, pode se tratar de prata e em raros casos vai existir uma chance de encontrar platina com coloração cinza prateada. É muito mais raro do que o nosso metal amarelo favorito e as probabilidades são contra uma descoberta tão feliz. Eu também devo mencionar que a platina pode ocorrer por si só, mas geralmente é encontrada com minérios de níquel e cobre e não em quartzo, mas hey, você poderia pegar algumas peças menores ou flocos quando estiver garimpando, você nunca sabe.

OK, de volta à história de quartzo.
Os primeiros mineiros usaram esta combinação de quartzo/ouro para encontrar a maioria das minas de ouro em toda a América do Norte, geralmente perto de vias aquáticas. Quando eles encontrassem peças com bordas arredondadas, voltariam para o rio acima onde repararam que:
1) Os pedaços de combinação da rocha mineral ficaram maiores.
2) as amostras ocorreram comumente e com bordas não onduladas afiadas.
3) os garimpeiros costumavam ficar realmente excitados quando havia apenas pequenas quantidades de ouro "paneavel" no riacho se essas amostras estivessem presentes. Eles sabiam que o ouro não teve tempo ou distância para ser erodido do quartzo, então o local do filão (rocha mãe) tinha que estar por perto.

Ouro nativo com quartzo
Até certo ponto, podemos seguir métodos de descoberta dos mineiros antigos e hoje em dia temos a vantagem deste conhecimento, no entanto, temos a desvantagem de a maioria das áreas com rolamentos de ouro ter sido virada de cabeça para baixo antes de chegarmos a elas. Tenha em mente que essas áreas reviradas estão quase sempre focadas no fundo do vale onde a água flui e não em encostas ou formações rochosas que cercam as áreas mais baixas.

Pouquíssimos garimpeiros se interessam por estas áreas de veios de ouro em quartzo branco e eles não mostram qualquer interesse ou até mesmo não entendem o que eles estão olhando. Eles voltam a cavar cascalho através de suas caixas de eclusa procurando por grandes pepitas de ouro que são bastante raras nessas áreas bem trabalhadas e não dão a mínima importância de onde vem este ouro que são de filões que muitas das vezes estão em rochas de quartzo.

Ao manter nossos olhos abertos, podemos aprender a notar diferentes minerais ou potenciais reclamações de filões de ouro. Quando encontramos algum sinal mineral muito bom, tudo o que nos custará assegurar a nossa fortuna potencial é o preço de uma reivindicação. Isso é "muito barato" para os enormes retornos que uma boa mina pode produzir.

Ouro em pedra de quartzo, extrair ou não o ouro?
Não, pois muitos colecionadores vão pagar mais por este tipo de quartzo.

Agora que você tem estas informações sobre o Ouro na rocha de quartzo.
Ele esteve lá o tempo todo esperando por você para encontrar.
SUCESSO

Fonte:

Imagens:

Segue oficina70.com