gtag('config', 'UA-48662746-2'); oficina70.com

Encontrando ouro no quartzo

Encontrando ouro na rocha de quartzo
encontrar ouro na rocha de quartzo
Quando o ouro ainda está envolto em rocha de quartzo, é chamado de espécime de ouro. Estes são um verdadeiro deleite para garimpeiros e colecionadores de ouro, bem como são frequentemente avaliados como um prêmio devido à beleza e raridade destes tipos de pepitas.

A mineração em rochas duras, também conhecida como mineração de lodo, é obviamente o melhor método para encontrar espécimes de ouro, já que você está explorando a verdadeira fonte do ouro seguindo veios de minério de alta qualidade na montanha. Infelizmente, esse tipo de mineração é muito caro e não é realista para a maioria dos prospectores de pequena escala, mas ainda existem métodos que pode ser usada para atingir especificamente estes espécimes de ouro.
quartzo aurífero
O ouro é encontrado em quase toda parte, inclusive dissolvido na água do mar.
Quando está diretamente associado ao quartzo, muitas vezes aparece em zonas de contato onde a rocha hospedeira é misturada com depósitos de quartzo.
O ouro visível em quartzo é relativamente incomum: as minas de ouro mais produtivas são drenadas por depósitos aluviais (movidos por água), ou distribuídas no solo ou em rochas duras (geralmente de quartzo) por vezes sendo muito pequeno para ver a olho nu.
ouro livre na pedra de quartzo
Então, se você encontrou um veio de quartzo, tenha em atenção ao ouro que pode estar contido nele.

Caso só tenha encontrado um filão de cristais de quartzo multicoloridos provavelmente eles valem seu peso em ouro.

Supondo que você tenha encontrado uma veia de quartzo esbranquiçado com inclusões avermelhadas ou enegrecidas, é bem simples, se não fácil, aumente a sua busca desenterando o quartzo mais do fundo.

Aqui estão algumas dicas que aumentarão suas chances para obter sucesso:

Onde procurar ouro em quartzo
procurar ouro em quartzo
Qualquer área que produza ouro tem o potencial de produzir ouro em espécimes de quartzo, mas se você quiser direcionar especificamente para eles, você tem que identificar áreas que foram descobertas no passado. Muitas vezes existem distritos de mineração que são conhecidos por produzir grandes pepitas, outras áreas que podem produzir apenas ouro fino, e outras áreas, por vezes, produzem uma alta porcentagem de pepitas com matriz de quartzo nelas. Fale com mineiros ou garimpeiros mais antigos locais que estão familiarizados com a área.

Faça alguma pesquisa sobre a área que você está querendo ir prospectar ouro. Muitas vezes, livros antigos e manuais de geologia fazem referência a grandes pepitas e espécimes encontrados na área. Isso pode ajudar você a apontar na direção certa.
filão de cobre e ouro no quartzo
Como sabemos que as minas dos filões têm as melhores chances de produzir um espécime, esse pode ser o melhor lugar para concentrar seus esforços. Enquanto córregos e rios são ótimos lugares para procurar ouro, a erosão que ocorre normalmente faz com que o ouro encontrado lá seja liso porque foi polido naturalmente, em vez de áspero e irregular com quartzo anexado.

Concentre seus esforços mais perto da fonte, perto de onde o ouro foi formado. Quanto menor a distância que o ouro percorreu de sua localização original, maior a chance de se encontrar um pedaço de amostra.

Depois de ter localizado a área que você acha que pode produzir um espécime, você precisa decidir como você realmente vai encontrá-lo.

Amostra de ouro anexado no quartzo:
partículas de ouro anexado no quartzo

Amostra de ouro livre no quartzo:
ouro livre na matriz de quartzo

Os detectores de metal funcionam nestas áreas?
Qualquer tipo de equipamento de prospecção encontrará ouro, mas neste caso um detector de metal será a sua melhor ferramenta para usar.

Um detector de metal permitirá cobrir uma área grande e, como estamos segmentando especificamente peças maiores de ouro visível em quartzo, um detector permitirá que você pesquise uma área grande e cubra mais terreno.

Verifique os montes de rejeitos e resíduos de rocha perto da entrada de minas antigas. Lembre-se que os garimpos antigos não tinham detectores de metal naqueles anos, então era fácil ignorar o ouro que estava aparecendo em um pedaço de quartzo.

Outra coisa interessante a considerar é que, naquela época, era preciso muito ouro para valer o esforço para processar. Os mineradores podem ter descartado material que tinha apenas uma pequena quantidade de ouro porque não era lucrativo processá-lo e extrair o ouro do quartzo.

As peças que os velhos garimpeiros perderam
ouro livre no quartzo oxidado
Pode ser bastante surpreendente ver quanto ouro pode esconder em um espécime; muitas vezes há várias gramas de ouro em um pedaço de minério, com apenas uma minúscula peça visível ao olho. Aos olhos dos garimpeiros antigos nos primeiros dias da corrida do ouro passaram despercebidas pequenas pepitas, mas agora um detector de metal moderno nos permitirá "ver" o que outros mineiros não poderiam ver.

Um belo ouro em amostras de quartzo é altamente valorizado por colecionadores de minerais. Como cada espécime é único, nunca há dois iguais e podem ser peças espetaculares para eles adicionarem à sua coleção.

Então, ainda no dias de hoje, fazendo alguma pesquisa e usando os métodos apropriados, ainda é possível para os novos garimpeiros encontrarem essas belezas raras.

Comprar pepitas de ouro para coleção ou para fazer jóias:

Estudo completo sobre mineralização aurífera:
Estudo completo sobre mineralização aurífera

Fontes:

Densidade relativa de pedras preciosas

Identificação de pedras preciosas pelo peso (densidade relativa)
Densidade relativa é frequentemente utilizado por geólogos, gemólogos e mineralogistas para ajudar a determinar o mineral, o conteúdo de uma rocha ou outra amostra. Gemologistas usam-na como uma ajuda na identificação de pedras. Água é preferida como referência porque as medidas são, então, fáceis de realizar em campo.
Densidade relativa de pedras preciosas
Densidade relativa para pedras preciosas, (também denominado, gravidade específica) é o peso de um material específico comparado com o peso do mesmo volume de água. Uma gema com a densidade relativa de 2,6 é, portanto, 2,6 vezes mais pesado que o mesmo volume de água.

A densidade relativa das gemas varias entre 1 a 7. Valores abaixo de 2 são considerados leves (âmbar 1,1), aqueles entre 2 a 4, normais (quartzo 2,6); e aqueles acima de 4, pesados (cassiterita 7).

As gemas mais importantes (brilhante, rubi, safira) têm densidade relativas acima das dos minerais formadores das rochas, especialmente quando estes são o quartzo e feldspatos.

Por isso elas podem ser facilmente separadas das areias quartzosas dos rios, que formam os assim denominados depósitos de aluviões antigas. A determinação da densidade relativa pode ser muito útil na identificação de uma gema (especialmente para colecionadores).
Entretanto, os peritos fazem uso crescente de métodos ópticos de identificação que exigem aparelhos dispendiosos.

Métodos para calcular
Em gemologia, onde a maioria das pedras envolvidas é de dimensões pequenas, dois métodos de determinação da densidade relativa demonstraram ser úteis: determinar o peso em uma balança hidrostática e o método é complicado, pode ser dispendioso, mas produz resultados bons em um tempo curto com lotes maiores de gemas desconhecidas.

O método de se pesar com uma balança hidrostática baseia-se no princípio de Archimedes. Determina-se o volume da gema a ser estudada e da densidade relativa é então facilmente calculada.

O que é Densidade Relativa?
A pedra a ser determinada é colocada em um líquido com uma densidade relativa alta (um líquido pesado), o qual é diluído e desta forma tornado menos pesado até que a pedra tenha a mesma densidade relativa do líquido, isto é, até que ela fique suspensa.

Há vários líquidos pesados disponíveis. Os que podem ser tornados menos densos com água destilada são os mais convenientes para o leigo.

Um deles é a solução de Thoulet (solução de iodeto de potássio e mercúrio) com uma densidade relativa de 3,2. Com ela pode-se identificar a maioria das gemas. Para pedras mais pesadas pode-se usar a solução de Clerici (uma solução de formiato e malonato de tálio) com uma densidade relativa de 4,2.

Esta última cobre as densidades relativas de todas as gemas, mas é cara e venenosa: os leigos não deveriam usá-la. Para densidades relativas acima de 3,5 pode ser usada a solução de Rohrbach (solução de iodeto de bário e mercúrio) mas pode ser difícil lidar com ela já que o iodeto de mercúrio tende a separar-se.

O líquido que se tornou menos denso não está inutilizado; ele pode ser recuperado até sua densidade relativa original por meio de evaporação em um banho de vapor.

Video explicativo de como medir a gravidade relativa:

Balança Hidrostática
Balança hidrostática para pesar metais e pedras preciosas
Uma balança hidrostática pode ser construída por qualquer pessoa. O iniciante pode adaptar escalas com letras. alguém mais adiantado deveria usar uma balança de precisão como a usada pelo químico ou farmacêutico.
O objeto a ser determinado é pesado primeiramente no ar (no prato da balança sob a plataforma) e depois na água (na cestinha dentro do copo com água).
A diferença de peso corresponde ao peso da água deslocada e portanto o volume do objeto. para um leigo com prática é possível por este método determinar corretamente a densidade relativa até 2 casas decimais. É importante assegurar-se que a pedra não esteja em contato com uma substância estranha, que esteja solta e que, quando pesada no ar, esteja seca.
O método líquido pesado exige que o objeto esteja suspenso em um líquido de mesma densidade relativa, assim ele não afunda e nem se dirige para a superfície.

Balanças para medir a gravidade específica de pedras:
Densidade relativa de pedras preciosas
Densidade relativa de pedras preciosas

Outros métodos
A densidade relativa do líquido pesado menos denso é determinada pelo perito com o auxílio de uma balança de Wetphal; os leigos são aconselhados a usarem indicadores.
Estes são pedaços de vidro (disponíveis no comércio) ou minerais de diferentes densidades relativas conhecidas. Quando um indicador fica em equilíbrio no líquido, sua densidade relativa é a mesma da do líquido e assim do objeto a ser ensaiado.
O método do líquido pesado é complicado, mas é recomendado quando certas gemas devem ser separadas de um lote de pedras desconhecidas, ou quando gemas sintéticas ou imitações têm que ser identificadas.

ATENÇÃO:
Não use isto como o único método de identificação de pedras preciosas e/ou minerais, isto é só um complemento junto de outros testes para identificação precisa de pedras preciosas.

Exemplos de densidade relativa (g/cm3):
Água: 1
Berilo: 2,63 / 2,9
Chumbo: 11,35
Cobre: 8,96
Corindo: 4.05
Diamante: 3,51
Esmeralda: (berilo) Média 2,76
Ferro: 7.87
Gelo: 0,99
Limonita: 3,3 / 4
Magnetita: 5,15
Mercúrio: 13,56
Nióbio: 8,57
Opala: 2.09
Ouro 19,3
Ósmio 22,59
Platina: 21.45
Pirita: 5.01
Piropo: (grupo da Granada) 3.65 / 3.84
Prata: 10,5
Quartzo: 2,62
Topázio: 3,55
Tourmalina: 3 / 3.2
Urânio empobrecido 19.1
Zircão: 4,65
(As amostras podem variar e esses valores são aproximados)

Lista da densidade relativa dos minerais:

Fontes:

Segue oficina70.com