oficina70.com: PLATINA
Mostrar mensagens com a etiqueta PLATINA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta PLATINA. Mostrar todas as mensagens

Metais preciosos e suas origens

Quem descobriu e qual é a origem dos nomes dos
metais preciosos

 Metais preciosos
O grupo de metais preciosos é composto por dois metais para cunhagem de moedas, seis metais do grupo da platina e um metal considerado o último elemento estável natural a ser descoberto. Com exceção de ouro e prata (os dois metais de cunhagem), o resto dos metais preciosos registraram descobertas.
Metais preciosos e suas origens
Na lista a seguir, são fornecidas os nomes dos descobridores e etimologias do nome dos sete metais preciosos (novamente, aqueles com descobertas gravadas). O ano da descoberta de cada um desses elementos, tal como apresentado aqui, refere-se ao ano quando o elemento foi identificado como o elemento puro. São também fornecidas suas etimologias do respectivo nome.

Metais preciosos e as suas origens: 
rutênio, iridio e ósmio alguns dos metais preciosos

Platina
platinunn bar bullion
Antonio de Ulloa, um explorador espanhol e astrônomo, geralmente é creditado com a redescoberta moderna (em 1735) da platina. Este metal precioso na verdade foi primeiramente descrito em 1557 por Giulio Cesare della Scala, um médico italiano, ele foi o primeiro a encontrá-la, por acaso, em uma mina de prata na América do Sul, platina foi nomeada como tal, após a palavra espanhola “platina”, que se traduz em “pequena prata ou pratinha”.

Paládio
palladium bullion bar
William Hyde Wollaston, um químico e físico inglês, descobriu paládio em 1803 em amostras de minério de platina obtido da América do Sul. Ele deu nome do asteróide Pallas, que foi descoberto em 28 de março do ano anterior.

Ósmio
Smithson Tennant, um químico inglês, descobriu o ósmio em 1803, de resíduos de minérios de platina que foram dissolvidos em ácido nitro- clorídrico. A característica do ósmio de ter um mau cheiro que levou à sua nomeação como tal, que foi derivada da palavra grega “osme”, a palavra significa “cheiro”.

Irídio
Smithson Tennant descobriu o irídio em 1803, ao mesmo tempo de sua descoberta do ósmio da mesma solução de minérios de platina. Irídio é nomeado derivado da palavra em latim “iris”, que significa “arco-íris”.

Ródio
rhodium bar bullion
William Hyde Wollaston o descobriu em 1803, pouco tempo depois ele descobriu paládio. Ele descobriu este metal precioso de amostras de platina brutas obtido a partir da América do Sul. O nome ródio foi derivado da palavra grega “rhodon”, que significa “rosa”.

Rutênio
Karl Karlovich Klaus, um químico russo e naturalista, geralmente é creditado com a descoberta de rutênio (em 1844). Descobriu-o a partir de amostras de minério de platina que obteve do montes Urais na Rússia. Ele chamou este metal precioso nome “Ruthenia”, palavra em latim para Rússia, país de origem do Klaus.

Rênio
Uma equipe de químicos alemães, composto por Walter Noddack, Ida Tacke e Otto Carl Berg, descobriu o rênio em 1925. Eles descobriram o elemento em amostras do mineral de platina, bem como no mineral columbita. Eles o batizaram com a palavra em latim “rhenus”, para “Reno”, um dos mais longos e mais importantes rios europeus.

Ouro e Prata
Quanto aos metais preciosos ouro e prata, ambos são conhecidos por serem usados desde os tempos antigos (ouro estava em uso provavelmente tão cedo como antes de 6000 a.C., enquanto a prata provavelmente tão cedo como antes de 5000 a.C.). O nome “ouro” derivou-se da palavra latim “aurum”, que se traduz como “brilhante”. O nome “prata”, por outro lado, é de do latim vulgar “platta”. Estima-se que a prata tenha sido descoberta depois do ouro e do cobre, sendo que o cobre foi o primeiro metal (não precioso) descoberto e trabalhado pelo homem com estimativas de que 9000 a.C. já era trabalhado no Oriente Médio. 

Berílio
Foi descoberto pelo francês Louis Nicolas Vauquelin em 1798 na forma de óxido no berilo e na esmeralda. O elemento foi isolado independentemente por Friedrich Wöhler e Antoine Bussy em 1828. O berílio é encontrado em cerca de 30 minerais diferentes, sendo o mais importante o berilo, dai o seu nome.

Índio
Pure indium bars for investiments
Foi descoberto por Ferdinand Reich e Theodor Richter em 1863 quando estavam buscando tálio em minas de zinco. O nome índio, procede da linha de cor índico de seu especto atômico. O Índio é um metal branco prateado brilhante . Quando o metal é dobrado, emite um som característico.

Germânio
Descoberto em 1886 pelo químico alemão Clemens Winkler quando analisava um minério de Freiberg, da Saxônia, o germânio teve, no entanto sua existência prevista 15 anos antes por Mendeleiev, que o chamou aca-silício. O nome deve-se ao fato de que o principal mineral para a extração do germânio são a germanita (69% de germânio).

Telúrio
O telúrio (do latim tellus que significa “terra”) foi descoberto em 1782 ou 1783 por Franz Joseph Müller von Reichenstein, na Romênia, a partir de um minério de ouro denominado calaverita (AuTe2) proveniente de uma mina da Transilvânia. Em 1798 foi isolado e nomeado por Martin Heinrich Klaproth.

Gadolínio
coins for investiments
Foi descoberto em 1880 por Jean Charles Galissard de Marignac. O gadolínio foi assim nomeado a partir do mineral gadolinita, por sua vez nomeado em homenagem ao químico e geólogo finlandês Johan Gadolin. Em 1880, o químico suiço Jean Charles Galissard de Marignac observou linhas espectroscópicas, devidas à presença do gadolínio, em amostras de didímio e gadolínia (óxido de gadolínio).

Bismuto
O bismuto foi confundido durante muito tempo com o estanho e o chumbo devido a semelhança com os dois elementos. O químico francês Claude Geoffroy Junine demonstrou em 1753 que este metal não é o chumbo, porém um novo elemento metálico. O bismuto existe na crosta terrestre na forma nativa, não muito abundante, e na forma de minerais.Os mais importantes minerais do bismuto são a bismutinita e a bismita de onde vem seu nome.

Metais preciosos usados nos computadores:
https://www.oficina70.com/2018/01/metais-preciosos-usados-nos.html

Para investidores e colecionadores
Comprar moedas de metais preciosos e raros:
http://www.elementsales.com/ecoins.htm

Fontes:

Metais preciosos nos automóveis

Metais preciosos usados na fabricação de carros
Nós explicamos o papel surpreendente que os metais preciosos desempenham nos carros.
metais preciosos no carro
Ao contrário do que muitos pensam, o ouro esta presente em um pequena quantidade no carro, ele esta contido apenas em alguns componentes como em memórias e em chips no interior da centralina dos automóveis.

Circunstâncias atuais em torno dos automóveis
Os automóveis usam muitos componentes feitos de metais, incluindo aço, alumínio e cobre, mas você sabia que muitas das peças também contêm metais preciosos?
Abaixo, explicamos o papel surpreendente que os metais preciosos desempenham nos carros.

À medida que se tornaram mais comuns, os carros melhoraram a qualidade de nossas vidas. No entanto, eles também deram origem a vários problemas, incluindo o esgotamento de recursos energéticos, o aquecimento global, a poluição ambiental e as questões de segurança. Existem muitos esforços importantes para abordar a preservação do meio ambiente global, incluindo a melhoria da eficiência de combustível e a redução de emissões. Uma vez que os Estados Unidos estabeleceram padrões de emissão de automóveis na década de 1960, a indústria automobilística cumpriu regulamentos cada vez mais rigorosos usando tecnologia avançada. Além disso, a inovação tecnológica para automóveis está em contínua demanda, já que os regulamentos Euro 6 entraram em vigor em países da UE em setembro de 2014, com controles ainda mais rigorosos sobre emissões de partículas (PM) e óxidos de nitrogênio (NOx). Esses desenvolvimentos estão ocorrendo não só em países desenvolvidos, mas também estão se expandindo para países que estão passando por motorização, como China, Tailândia, Brasil e outras regiões.

As vendas gerais de automóveis de próxima geração, como veículos elétricos e veículos de células de combustível, começaram e as circunstâncias em torno dos automóveis estão prestes a entrar em um período de grandes mudanças. Em 2010, a produção global de automóveis foi de 80 milhões de veículos, e este número deverá aumentar para 200 milhões até 2050. A produção anual de veículos com motores alternativos, incluindo veículos híbridos, deverá atingir 130 milhões de veículos em 2040.

Tabela periódica que mostra a composição de metais usados em um automóvel
oscaro

Principais metais preciosos usado no carros:
principais metais preciosos usado no carros
A maioria destes metais estão nos sensores e nos catalisadores.

As funções dos metais preciosos que são essenciais para os automóveis
À medida que os mercados automotivos em todo o mundo continuam a expandir, serão aplicados requisitos cada vez mais rigorosos aos automóveis, incluindo o uso de menos recursos, redução de emissões e segurança e conforto aprimorados.

À medida que as unidades de poder se tornaram cada vez mais diversificadas nos últimos anos, estão sendo feitas demandas maiores, incluindo motores de injeção direta, motores com sobrealimentação reduzida, motores diesel limpos e sistemas híbridos. Além disso, as demandas de melhor eficiência de combustível, desempenho de saída, durabilidade e confiabilidade que mantêm o desempenho nos ambientes mais severos e o melhor desempenho ambiental que reduz os poluentes ambientais nas emissões até o ponto de tornar os veículos inofensivos. Os metais preciosos são usados ​​em várias peças de automóveis para atender a essas demandas abrangentes.

Unidades de motor
As peças de automóveis que utilizam os metais mais preciosos são as unidades de motores, o coração do automóvel. Os metais preciosos são encontrados na unidade de bomba de combustível que fornece combustível para o motor, sensores que medem a quantidade de combustível, equipamentos de injeção de combustível e velas de ignição que inflamam a mistura de combustível e ar na câmara de combustão do motor. Eles também são usados ​​nos sensores de emissão e sensores de oxigênio que impedem a liberação de poluentes ambientais em emissões, incluindo hidrocarbonetos (HC), monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx) e partículas (PM).
A  centralina eletrônica, controla o motor para manter as condições ideais e os inúmeros sensores que detectam e medem várias informações que a Unidade de Controle do Motor (em inglês ECU - Engine Control Unit) necessita para funcionar, também usam metais preciosos.

Principais peças que utilizam metais preciosos:
onde estão os metais preciosos nos automóveis, oscaro
1. Unidade de controle do motor (ECU),
2. Remetente de combustível,
3. Sensor de posição do acelerador,
4. Sensor de aceleração,
5. Sensor de fluxo de ar,
6. Injetor de combustível,
7. Sensor de pressão,
8. Velas de ignição,
9. Sensor de oxigênio,
10. Catalizador de controle de emissão de gases de escape,
11. Sensor de temperatura do gás de escape.
Comutadores
Os relés, que detectam o estado de ligar/desligar de vários interruptores ou a posição dos interruptores multi-etapas utilizados para vários dispositivos, como janelas elétricas e ar-condicionado, utilizam metais preciosos para permitir a circulação de eletricidade. O número desses relés está aumentando, pois eles têm alta confiabilidade para suportar diferenças extremas de temperatura no interior do veículo, variando de -30° C a 90° C. Além disso, os contatos elétricos que usam metais preciosos como a prata possuem maior condutividade, durabilidade e confiabilidade e são compatíveis com uma ampla gama de cargas a partir de correntes de minutos.

Peças de carro que utilizam metais preciosos:
onde estão os metais preciosos nos automóvei, oscaro
1. Interruptor rotativo
(Sinais direcionais, faróis, limpadores de pára-brisas, etc.);
2. Botões de controle
(Janelas eléctricas, ar condicionado, sistema estéreo, sistema de navegação, etc.).

Outras Partes
Uma ampla gama de peças de automóveis usam metais preciosos.
onde estão os metais preciosos nos carros, oscaro
1. Filme reflexivo em espelhos interiores e laterais;
2. Conectores de fio de ligação.

Reciclando os metais preciosos contidos nos carros:
oscaro
Os metais preciosos são usados ​​em várias peças de automóveis como discutido acima, os veículos em fim de vida tornaram-se em um recurso valioso através da reciclagem.
Existem de 3 a 7 g de platina em uma tonelada de minério natural, cerca da quantidade em um único anel, o suficiente em cerca de quatro automóveis inteiros, incluindo o catalisador usado em sistemas de purificação de emissões.

À medida que o uso de TI e equipamentos elétricos em automóveis aumenta, os metais preciosos continuarão a desempenhar um papel importante como matéria-prima usada em autopeças. Ainda mais metais preciosos serão necessários à medida que o maior desempenho ambiental é exigido e o número de veículos continua a crescer. Sob as circunstâncias, estoques estáveis ​​de metais preciosos e redução de custos são cruciais para manter a produção de automóveis.

Fonte:

Metais preciosos usados nos computadores e eletrônicos

A maioria dos computadores e dispositivos eletrônicos contém placas de circuitos e outros componentes dentro que contêm muitos tipos de metais preciosos, incluindo ouro, platina e prata.
mina de ouro nos computadores
Os componentes do computador que contêm metais valiosos incluem placas-mãe, cartões de conector, placas gráficas, cartões de memória, CPU e outros vários componentes eletrônicos pequenos, conectores/cabos e discos rígidos.

Componentes do computador com o maior conteúdo de metais preciosos por peso
CPU do computador (processadores);
Memória (RAM) e Placa de Circuito Dedos / Conectores / Pinos;
Placas de circuito (placas-mãe);
Cabos / fios;
Discos rígidos;
Computadores inteiros.

Nota:
Os computadores aeroespaciais/militares, científicos e de telecomunicações normalmente terão placas de circuitos e outros componentes com um nível mais alto de metais preciosos (principalmente chapeamento de ouro) devido à necessidade de maior qualidade e confiabilidade, ou seja, tudo aquilo que precisa de precisão além de computadores e placas sinalisadoras aeroportuários e ferroviários.

Componentes do computador com pouco ou nenhum valor de metal precioso:
Unidades de CD/DVD;
Monitores de vídeo;
Gabinete/caixa de computador;
Teclados e mouse/rato;
Impressoras;
Scanners;
Fonte de alimentação.

Onde são encontrados os metais preciosos dentro de computadores
ouro no computador
Ouro - Placas de circuito impresso, chips de computador (CPU), conectores/dedos;
Prata - Placas de circuito impresso, chips de computador, membranas de teclado, alguns capacitores;
Platina - Discos rígidos, componentes da placa de circuito;
Paládio - Discos rígidos, componentes da placa de circuito (capacitores);
Cobre - dissipadores de calor da CPU, fiação e cabos, placas de circuito impresso, chips de computador;
Níquel - Componentes da placa de circuito;
Tântalo - Componentes da placa de circuito (alguns capacitores);
Cobalto - Discos rígidos;
Alumínio - placas de circuitos impressos, chips de computador, discos rígidos, dissipadores de calor da CPU;
Estanho - placas de circuito impresso, chips de computador;
Zinco - Placas de circuitos impressos;
Silício - circuito integrado, cristal oscilador, alto-falantes piezelétrico;
Neodímio - Discos rígidos (ímãs).

Extração
A extração química de ouro, prata, platina, paládio e ródio pode ser extraída de tais componentes e também é realizada a remoção e eliminação de materiais perigosos, incluindo mercúrio, cádmio, óxido de berílio e baterias (NiCd, lítio etc.).

Os elementos encontrados em vestígios incluem o amerício, o antimônio, o arsênico, o bário, o bismuto, o boro, o cobalto, o pólipo, o gálio, o germânio, o ouro, o índio, o lítio, o manganês, o níquel, o nióbio, o paládio, a platina, o ródio, o rutênio, o selênio, a prata, tântalo, terbium, tório, titânio, vanádio e ítrio.

Quase todos os eletrônicos contêm chumbo e estanho (como solda) e cobre (como fio e faixas da placa de circuito impresso), embora o uso de solda sem chumbo esteja se espalhando rapidamente.

ouro no computador
Os processadores de CPU do computador (processadores) possuem o valor de metal mais precioso em peso, seguido de memória (RAM) e placas de circuito / conectores / pinos, placas de circuito (placas-mãe), depois cabos flat / fios, com discos rígidos e computadores inteiros sendo os últimos.

As unidades de CD/DVD, monitores, caixas, teclados/mouse, impressoras, scanners e fontes de alimentação tipicamente não possuem suficientemente metal precioso para ser considerado de valor, a menos que em grande quantidade.

Lista de elementos químicos usados ​​em computadores e eletrônicos:
Magnésio, Radium, Bário, Nióbio, Osmium, Cobalto, Manganês, Titânio, Hafnium, Tungstênio, Germânio, Ouro, Prata, Cobre, Mercúrio, Bismuto, Silício, Gálio, Zinco, Ferro, Enxofre, Fósforo, Cádmio, Paládio, Tântalo, Platina, Alumínio, Carbono, Chumbo, Níquel, Boro, Cromo, Potássio, Fâncio, Casio, Sódio, Lítio, Cálcio, Nitrogênio, Oxigênio, Arsênio, neodímio, Selênio e Estanho.

Fontes:

Metais preciosos - A Platina

Quantos e quais são os metais preciosos com maior valor comercial
São chamados de metais preciosos (ou metais nobres) o ouro, a prata e os metais do grupo da platina. Estes compreendem platina, paládio, ródio, rutênio, irídio e ósmio. O ouro e a prata são os mais importantes e os mais conhecidos. Mas a platina é bem mais valiosa. Na indústria joalheira, usa-se ouro, prata, platina, paládio e ródio, este último geralmente como revestimento de outros metais (banho de ródio). Os metais preciosos são todos raros na crosta terrestre, embora possam estar muito disseminados, como é o caso do ouro. Possuem alta densidade, são maleáveis (podem ser reduzidos a folhas) e dúcteis (podem ser reduzidos a fios).

A Platina mineral
A platina é um mineral do sistema cúbico, geralmente encontrada em grãos irregulares, raramente em octaedros ou cubos. Tem cor cinza-aço, traço cinza brilhante, brilho metálico, sem clivagem. É, às vezes, magnética. Tem dureza 4,0 a 4,5 e densidade 21,40 (altíssima).

Metal
A platina é um metal maleável, dúctil, resistente à corrosão pelo ar, solúvel em água-régia. Absorve hidrogênio como o paládio. Provoca explosão do hidrogênio ou do oxigênio. Seu ponto de fusão é 1.773,5 °C.

Fontes de Obtenção
Pode ser extraída de vários minerais: sperrylita, platini­rídio, polixênio, cooperita e ferroplatina. A platina nativa ocorre na natureza geralmente misturada com ferro, irídio, paládio e níquel. Ocorre em aluviões e em rochas básicas, como dunitos, piroxenitos e gabros.

Usos
É empregada em joalheria (com 35% de paládio e 5% de outros metais), instrumental para laboratório, odontologia, eletricidade, ogivas de mísseis, catalisadores, pirômetros, liga com cobalto, fornos elétricos de alta temperatura, fotografia e em vários outros produtos industriais.
Lista de usos da platina:
Empregado no acabamento de armas de luxo, principalmente para engastes e detalhes em canos raiados;
Fabricação de utensílios cirúrgicos, como pregos, tubos para ensaios e outros;
Em odontologia protética para implantes e fixação de brocas;
Usado nas pontas das velas de ignição dos lança-chamas a explosão e nas pontas dos para-raios;
Utilizado para a produção de luvas que resistem a altas temperaturas;
Implantes em medicina, como o DIU (Dispositivo Intra Uterino);
Fabricação de instrumentos musicais, odontológicos e eletromagnéticos.
Em medicamento no combate contra o câncer, na Quimioterapia;
Utilizado na indústria cerâmica como elemento decorativo em azulejos.

Principais Produtores
A platina é produzida principalmente pela África do Sul, seguindo-se Rússia, Canadá e Estados Unidos.

Preço
A onça-troy de platina valie quase o dobro do preço do ouro.

Curiosidade
Em 1985, foi exposto em Tóquio (Japão) um vestido feito à mão com fios de platina, pesando 12 kg e avaliado em um milhão de dólares.

Fontes:

Oficineiros

oficina
em 19 de Setembro (2014/2017)
oficina
1 MILHÃO de oficineiros já visitaram

Obrigado a todos e SUCESSO
J. Charles Silva

Oficineiro:
O oficineiro é um profissional que ministra oficinas. Desempenha um papel que não se limita a uma efetividade na resolução de problemas, mas que também envolve a capacidade de fazer surgir questões emergentes.

Ao ministrar uma oficina, o oficineiro é quem apoia a reflexão sobre a problemática apresentada e mede a produção de conhecimento coletivo dos envolvidos. Ele é componente de uma rede contínua pautada pelo diálogo entre todos os que participam do processo, em uma teia sob a qual se desenham possibilidades de relação e identificação.

Essa dinâmica dialoga com o pensamento do filósofo chileno Francisco Varela sobre o processo de cognição: “…o ato de comunicar não se limita a uma transferência de informação de um remetente a um destinatário, mas pela modelagem mútua de um mundo comum por meio de uma ação conjugada”.

A atividade cognitiva, da qual o oficineiro é um possível condutor, se dá por meio de vivências e experimentações e é, portanto, construtiva uma vez que os caminhos aparecem conforme se percorrem os processos de aprendizagem, considerando como fundamental a troca de saberes e a construção coletiva.

A partir de uma dinâmica lúdica e informal, as oficinas e os oficineiros permitem uma participação pautada, sobretudo, no desejo de experimentar e vivenciar, o que pode diferenciar o processo de ensino e aprendizagem e somar a métodos formais de educação.


Fonte:

Empresas que recuperam metais preciosos no Brasil e em Portugal

Esta é uma lista incompleta de empresas que reciclam metais preciosos no Brasil

Deixe para quem já tem know-how na arte de reciclagem de sucatas eletrônicas fazer isto por você.
Mesmo tendo grande quantidade de sucata eletrônica se você for querer separar e recuperar o ouro dela provavelmente irá perder ouro e outros metais seja por qualquer método de recuperação que você escolheu, pelo método de água régia, desplacantes, solução Ap, solução Hcl/cl, ácido nítrico, eletrólise, moagem, copelação, hidrometalurgia, solução vinagre/sal marinho, etc,etc.

Entrega de materiais:
Muitas destas empresas estipulam que a sua sucata seja separada e classificada antes de entregar-lhes.
Algumas empresas que enviam a sucata para serem processadas no exterior exigiram documentação da sua empresa, assim como aluguer de contentores.
Informe-se antes para evitar constrangimentos e maus entendidos.
Quem tem um ferro velho com muita sucata eletrônica o melhor será vender estas sucatas diretamente para uma destas empresas poderem reciclar o ouro a prata e outros metais preciosos.

Exigências de documentação:
Será necessário você ter uma empresa aberta, com licença ambiental, se possível, na maioria dos casos.

Pagamentos:
Algumas destas empresas pagam em dinheiro conforme a cotação do ouro ou da platina na data de hoje, por exemplo.
Outra forma de pagamento é em barras de ouro da porcentagem da sucata que enviou-os, porém é raro este tipo de pagamento devido à problemática de segurança no Brasil, no entanto se assim quiser algumas destas empresas pedem para você ir buscar as barras de ouro em países cuja sede da empresa esta instalada, no caso da Umicore, deverá viajar até a Bélgica.

Mas vale a pena entregar sucata eletrônica para estas empresas?
Sim, uma vez que lidar com ácidos é perigoso e difícil de se obterem além do tempo de se obter licenças ambientais, sim, será melhor entregar a sua sucata para alguma das seguintes empresas.

Antes de entrar em contato com alguma destas empresas, tenha em atenção que eles só compram com toneladas (TON), exceto alguns tipos de sucatas como catalisadores.

Brasil:

Umicore

Hamarec

Lorene

Hamaya do Brasil

Valorema
Portugal:

ReciSmart

Bulgária:
НАДИН, управление на отпадъците.
NADIN
http://nadin.bg

Alemanha:
Rückgewinnung von Edelmetallen in Deutschland
Aurubis
https://www.aurubis.com/en

Valorema
http://www.valorema.de/de/electronics/


Valorema in the world
recuperação de metais preciosos de sucata eletrônica e placas de computador
France
Italy
Spain
England
Brazil
Germany
http://www.valorema.com/en/electronics/
(please, select your language)


Nota:
As negociações são de inteira responsabilidades dos intervenientes.

O que acontece quando você coloca ouro em água régia?

O ácido clorídrico, é um líquido simples, corrosivo, com propriedades químicas bem estudadas. Quando o ouro é submetido a tratamento com ácido clorídrico sozinho, nada acontece.
Mas quando o ácido clorídrico é combinado com o ácido nítrico, o ouro dissolve-se.

(dissolução progressiva de ouro em água régia)

Mas ai você se pergunta:
Por que alguém iria querer disolver ouro?

OBJETIVO
Dissolver algo valioso parece equivaler a auto-sabotagem. No entanto, a dissolução do ouro que contém impurezas químicas pode aumentar o seu valor comercial, porque o ouro pode ser reconstituído em sua forma pura elementar em poucas etapas.
A esse processo chamasse, refinar ouro.
Primeiro o ouro é colocado em água régia até que ele esteja completamente dissolvido.
Em seguida, é adicionada uma pequena quantidade de ureia juntamente com um precipitante (metabissulfito de sódio), o que faz com que o ouro dissolvido comece a formar-se novamente como no seu estado sólido.
O ouro, agora livre de impurezas pode ser recuperado através de filtragem, enxágüe, secagem e depois a fusão.

Além do ouro, água régia também dissolve prata e platina.

FUNDAMENTOS QUÍMICOS
A fórmula química para o ácido clorídrico é HCℓ, e para o ácido nítrico HNO3. Cada um deles pode doar um átomo de hidrogênio, ou próton, carregando uma carga positiva. No caso do ácido clorídrico, isso deixa um íon cloreto, Cl-; No caso do ácido nítrico, um íon nitrato permanece e tem a fórmula NO3-.
O nome do produto que pode dissolver o ouro é água regia (AR), que é o latino para "água real".
É uma mistura de 3 partes de HCℓ para 1 parte de HNO3, ou aproximadamente.


Nota:
A mistura perde a sua força rapidamente, por isso deve ser utilizada imediatamente após o preparo.

Mesmo que a água régia ataque o ouro, nenhum dos seus ácidos constituintes pode atacá-lo isoladamente.
Cada ácido executa uma tarefa diferente.

REAÇÕES
Duas reações separadas ocorrem no processo de dissolução do ouro.
O ácido nítrico atua como um agente oxidante, com três moléculas do ácido para cada doação de um protão ao ouro para dar-lhe uma carga positiva de +3.
Simultaneamente, os iões de cloreto resultantes da separação de HCℓ nos seus componentes combinam com o ouro recentemente oxidado para formar iões cloroáurico, ou HAuCl-4.
Isso fornece ouro mais sindicalizado para o ácido nítrico trabalhar, levando a dissolução de todo o ouro presente.


SEGURANÇA
Os ácidos são substâncias cáusticas capazes de danificar tecidos biológicos, e ácido nítrico e ácido clorídrico são ambos ácidos fortes. Portanto, a segurança é uma consideração vital na dissolução do ouro desta maneira. Idealmente, o processo deve ser realizado ao ar livre. Qualquer ácido derramado sobre a pele deve ser lavado imediatamente usando quantidades copiosas de água. O ácido muriático libera gás cloreto de hidrogênio, que é tóxico se inalado, razão pela qual uma área ao ar livre ou outro espaço aberto é fortemente recomendado.

Fontes:

Como recuperar ouro e paládio das fitas de testes de glicose

Se você pensar em quantas tiras de teste de glicose são usadas no mundo a cada dia, você vai entender que essas tiras de teste criam um grande negócio. Ao mesmo tempo, você deve se perguntar por que essas tiras de teste são tão caras. Apenas em 2013, a Roche Estados Unidos fez $ 463 milhões de lucro em produtos de glicose no sangue. E isso é apenas um fabricante nos Estados Unidos. Estima-se que a maioria das tiras de teste de glicose não custam mais de 15 centavos para produzir, os fabricantes parecem adquirir 70 a 80% do lucro. Basta olhar para os números, você pode pensar que as empresas farmacêuticas são "otários de sangue". No entanto, existem poucos fatores a considerar.



Como funciona uma tira de teste para glicose e porque são tão caras?
Entendemos que as tiras de teste de glicose funcionam usando a enzima glucose oxidase que converte a glicose em sua amostra de sangue em uma corrente elétrica. Mas como é que essa pequena peça de plástico consegue essa reação? Para responder a esta pergunta, devemos primeiro olhar para a construção das tiras-teste.

Embora apesar de tantas marcas diferentes de tiras de teste de glicose presentes no mercado, cada uma tem sua própria tecnologia e design, todos eles fundamentalmente funcionam da mesma maneira. Conforme mostrado no diagrama, uma tira de teste é realmente composta de várias camadas e cada uma serve a sua própria função. Essencialmente, a camada superior serve como uma mini esponja para absorver uma amostra de sangue. As camadas médias servem como um filtro para canalizar a amostra de sangue para o centro de reacção. A próxima camada inclui três partes básicas: a enzima que reage com a glicose do sangue, um mediador químico que acelera os elétrons ao longo do circuito da tira de modo que uma leitura precisa possa ocorrer antes da dissipação da reação e uma mistura de produtos químicos que estabilizam e preservam a Enzima e mediadores químicos. Na parte inferior fica o ouro e o circuito revestido de paládio que transferem os elétrons de reação para o medidor para uma análise final.

O corte do intrincado circuito banhado a ouro deve ser preciso. Simplesmente não há espaço para erro, pois resultaria em um circuito defeituoso que resultará na transferência defeituosa da corrente elétrica para o medidor ou no mau funcionamento total de toda a tira de teste.

Sendo assim pode-se dizer que estas tiras são tão caras porque são feitas de ouro. Bem, é. Para que as tiras de teste sejam precisas, ouro e paládio são usados ​​para os circuitos. Além disso, todas as enzimas e produtos químicos utilizados no processo pode ser bastante caro. E para produzir todas estas tiras de teste com precisão, um monte de investimento são colocados no design, criação e manutenção da maquinaria de produção.

Como são feitas as tiras de teste do medidor de glicose no sangue?

ATENÇÃO:
(ao manusear tiras usadas de glicose)

Obviamente, você não gostaria de coletar essas tiras de alguém que você não conhece pelo medo de auto-contaminação.
Qualquer coisa que entra em contato com o sangue é uma preocupação real de segurança. Nunca manuseie com as mãos nuas USE SEMPRE LUVAS DE LÁTEX. O padrão para higienização na indústria é 180ºF para o mínimo 180s em um ambiente molhado (fervê-los por cinco minutos), isto matará todo os patogênicos vivos, embora não denature as proteínas todas, deverá fazer sempre que possível a esterilização das tiras.

Como recuperar ouro, paládio de tiras de testes de glicose?
As tiras têm ouro, paládio, platina e prata banhada, bem como pontos de contato facilmente reconhecíveis.

 Embora eu tenha algumas fitas Eu ainda não tentei recuperar ouro das tiras de glicose.
Acredito que se possa recuperar os metais com as mesmas técnicas que se recuperam  a prata de cartões RFID ou a prata da membrana de mylar dos teclados de computador. 

AR = Água Régia (ácido nítrico + ácido clorídrico) vai dissolver o ouro que depois poderá ser recuperado com metabissulfito de sódio fazendo que o ouro saia refinado a 999,99)

AP = Ácido Muriático(hcl) + peróxido de hidrogênio (água oxigenada) não dissolverá o ouro a menos que quantidades excessivas de peróxido sejam usadas e somente pequenas quantidades se dissolverão, este método vai apenas precipitar o ouro e o ouro não vai estar totalmente refinado contendo resíduos.

Hcl/cl = Ácido Muriático (hcl) + cloro (lixívia doméstica, hipoclorito de sódio), idem ao AP.

Se você estiver familiarizado com regia água, use isso, se você estiver familiarizado com hcl/cl, então isso irá funcionar igualmente bem. Se você não conhece um ou outro destes dois processos, então você deve estudar as reações e práticá-las com um pouco da sua sucata eletrônica.

Sobre o rendimento de ouro das tiras:
Estes são rendimento que eu pesquisei na internet sobre as tiras de ouro mas que nunca foi confirmado.
Cerca de 1g para 2.400 peças, se eles são dourados.
Cada tira têm entre 0,006 e 0,009 gramas, porém depende muito da marca.

Outros tipos de tiras com outros metais preciosos:
As tiras de teste Accu Chek (aquelas com duas tiras metálicas prateadas) contêm Palladium (Pd).
Outras tiras de teste de glicose usam biossensores nanoestruturados com platina e prata além das já vistas aqui em ouro e paládio.

Porém não são só as fitas de glicose que contém metais preciosos...
Lentes de contactos para monitorar diábéticos vão ser uma realidade.
Chega de alfinetadas nos dedos, agora já pode controlar os níveis de açucar no sangue através de uma lente de contacto em que o circuito é em ouro.


Vídeos de recuperação do ouro das tiras de glicose:

Fontes:

Como recuperar Platina de conversores catalíticos

Quando o ouro é comum em electrónica, devido à sua superior capacidade de conduzir electricidade, a platina é um componente essencial de conversores catalíticos.

Mas antes:
A importância dos catalisadores
O conversor catalítico é utilizado por causa dos gases dos escapes que são constituídos por três componentes:

Monóxido de carbono (CO), da combustão parcial dos hidrocarbonetos;
Compostos orgânicos voláteis (VOC), da reação parcial dos hidrocarbonetos;
Monóxido de nitrogênio, (NO), provenientes das reações entre azoto atmosférico e o oxigênio.
Os conversores catalíticos são a opção mais comum para o controle das emissões dos motores a gasolina, uma vez que são muito eficazes na redução das emissões de hidrocarbonetos (HC) e monóxido de carbono (CO), que poderão ser convertidas em mais de 80 e 90% respectivamente.

Dodge Ram Van
(um conversor catalítico de três vias em um Dodge Ram Van 1996 movido a gasolina)

Os conversores catalíticos do escapamento de carros limpa os hidrocarbonetos venenosos e monóxido de carbono que caso contrário iriam parar na atmosfera e acabariamos por os respirarmos.

(detalhe do favo de um conversor catalítico ou catalisador)

Um favo de mel cerâmico revestido de platina usa o calor do motor do carro para interceptar esses poluentes. A platina é um catalisador numa reacção química.

Em apenas um ano a indústria automobilística utiliza mais platina para produzir seus conversores catalíticos do que a industria electrónica.

Um conversor catalítico típico contém um total de 1,5 gramas de platina e outros metais.
Os outros metais preciosos e que tem alto valor de revenda além da Platina são o Ródio e Paládio.

Processos de remoção e métodos de recuperação:
O catalisador deverá estar frio.
Remova o conversor catalítico através do corte do tubo em ambos os lados ou por remoção dos grampos, se o conversor estiver simplesmente fixado.

Bata nas laterais e nas extremidades do conversor com um martelo ou marreta para quebrar o material de favo dentro dele. O favo vai quebrar em pedaços menores dentro da concha de metal.

Incline o conversor e segure-o sobre um recipiente de metal ou então em uma toalha limpa. Agite o conversor para desalojar os pedaços de favo de mel e levá-los a cair no recipiente. A platina, ródio e paládio são ligados ao favo de mel como um revestimento.

Recuperar com Água Régia
(é uma das poucas substâncias que podem dissolver o ouro (Au) e a platina (Pt))
A quantidade precisa de platina varia de acordo com a fórmula utilizada de cada fabricante. Como estes são em pequenas quantidades, utilizar água régia é uma excelente maneira de dissolver a sais de platina.
Em seguida os sais de platina podem ser refinados de volta à platina pura.

Recuperar com Ácido Sulfúrico:
Numa outra técnica, o ácido sulfúrico dissolve o favo de mel de cerâmica, deixando para trás a platina.

Recuperar reduzindo-o a gás ou a vapor:
A cerâmica pode também ser volatilizada, ou transformado em um gás ou líquido, um processo que deixa para trás a platina.

ATENÇÃO:
A recuperação de platina de catalisadores e componentes eletrônicos é um processo muito mais caro e difícil do que a recuperação de ouro.
Só terá rendimento se tiver uma grande quantidade de catalisadores.
Também será mais seguro se vender estes catalizadores para alguma empresa que recupera metais preciosos ou sucatas.

Fontes:

Segue oficina70.com