oficina70.com: PRATA
Mostrar mensagens com a etiqueta PRATA. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta PRATA. Mostrar todas as mensagens

Ouro nativo, principais variedades

Antes de falarmos das variedades do ouro nativo, vamos falar de como o ouro pode ser encontrado na natureza.
Ouro nativo, principais variedades

Como o ouro pode se encontrar na natureza:
Pepita,
grãos (areia),
flocos,
dendrítico (em forma de folha ou árvore).


Uma pepita de ouro é uma peça natural de ouro nativo.

Os cursos de água concentram frequentemente pepitas e ouro mais fino em placers. As pepitas são recuperadas pela mineração de placer, mas também são encontradas em depósitos residuais onde as veias ou os lodos portadores de ouro são desgastados. Pepitas também são encontrados nas pilhas de rejeitos de operações de mineração anteriores, especialmente aquelas deixadas por dragas de mineração de ouro.

Breve e simples explicação de onde vem o ouro:
ouro nativo na matriz de quartzo
Na verdade todo tipo e formas de ouro parte de filões que explicando melhor partiu há milhões de anos das profundezas da terra tipo como uma lava subindo junto com outros minerais, sobretudo com o quartzo, derretidos para o sub solo e consequentemente ia resfriando até se solidificar juntamente com a rocha e minerais, e com o tempo o passar dos tempo a rocha envolto ao ouro começou a sofrer um desgaste, seja pela ação do vento da chuva, derrocadas ou terremotos. Parte deste ouro ao longo do caminho que percorrem sofrem danos assim podem se desfazer fazendo com que o ouro se desfaça em partículas menores ou não. Geralmente uma pepita pequena já fez parte de uma maior.
https://www.oficina70.com/2015/12/como-se-forma-o-ouro.html

Característica e formação do ouro nativo:
É principalmente ouro puro acima de 99% - comumente com impurezas de prata, cobre, ferro e mercúrio, mais raramente com muitos outros elementos, que cristalizam no sistema cristalino cúbico ou isométrico.

Forma duas séries de solução sólida, uma em que a substituição gradual de ouro, prata totalmente miscível com tamanho semelhante e cristalizar tanto no sistema isométrica, irá dar origem a intermediários minerais com diferentes proporções: quando ambos os elementos são entre 20 % a 80% é referido este mineral crisoargirita ou electro, se o ouro é mais de 80% é chamado de ouro prata e se o ouro é inferior a 20% é chamado de prata-da aura. Uma segunda série está a formar com o palio ouro substituição, o que tipicamente leva impurezas de platina.
ouro em flocos do Alaska,USA
É amplamente espalhados por todo o mundo em quantidades muito pequenas em rochas de vários tipos, bem como na água do mar. Ela aparece em veias para fumarolas epitermais tipicamente veios de quartzo com pirita e outros sulfetos e teluretos minerais; Também em rochas e depósitos pegmatite vulcânica em contato com rochas metamórficas, às vezes em rios Pleasures em forma de pepita de ouro.
https://www.oficina70.com/2018/02/geologia-do-ouro-e-indicadores-naturais.html

Minerais associados ao ouro nativo:
Geralmente o ouro é encontrado associado com outros minerais, como pirita, calcopirita, arsenopirita, pirrotita, silvanita, krennerite, calaverita, altaite, tetradymite, scheelita, ankerita, turmalina ou quartzo.
https://www.oficina70.com/2017/07/quais-minerais-estao-associados-ao-ouro.html

Formação:
Pepitas são fragmentos de ouro retirados de um filão original. Eles geralmente mostram sinais de polimento abrasivo por ação de fluxo e, às vezes, ainda contêm inclusões de quartzo ou outro material de matriz de lodo. Um estudo de 2007 sobre pepitas australianas descartou teorias especulativas de formação de supergenes via precipitação in situ, soldagem a frio de partículas menores ou concentração bacteriana, uma vez que as estruturas cristalinas de todas as pepitas examinadas provaram que elas foram originalmente formadas em alta temperatura no subsolo (eles eram de origem hipogênica).
ouro dendritico em matriz de quartzo
Ouro dendrítico em matriz de quartzo encontrado na Inglaterra
Outros metais preciosos, como a platina, formam pepitas da mesma maneira. Um estudo posterior de ouro nativo do Arizona, EUA, baseado em isótopos de chumbo, indica que uma parte significativa da massa em pepitas de ouro de aluvião nesta área se formou dentro do ambiente do placer.

Composição:
As pepitas geralmente têm pureza de 20,5 a 22K (83% a 92% em massa). Pepitas de ouro na Austrália geralmente são de 23K ou ligeiramente mais altas, enquanto as pepitas do Alasca geralmente estão no limite inferior do espectro. A pureza pode ser avaliada grosseiramente pela cor da pepita, quanto mais rico e mais profundo o laranja-amarelo, maior o teor de ouro. A pepita também é referida por sua delicadeza, por exemplo, "865 fine" significa que a pepita é 865 partes por mil em ouro em massa. As impurezas mais comuns em uma pepita nativa são prata e cobre.

Ouro e Prata:
pepita electro de ouro
Ouro e a prata têm a mesma estrutura cristalina e tamanho atômico similar, então eles são completamente miscíveis e há uma solução sólida completa entre ouro e prata. Quando o ouro predomina (Au, Ag) a espécie mineral é chamada ouro (ouro nativo) e quando a prata predomina (Ag, Au) é denominada prata (prata nativa). A variedade electrum é utilizada para composições entre cerca de 20 a 80% de ouro ou 20 a 80% de átomos de prata. Ouro altamente puro é raramente encontrado, quase sempre contém alguma prata ou outro metal precioso.

Variedades de Ouro nativo:
Electro (geralmente com> 20% em peso de prata)
Argentífero (1/5 de prata para ouro)
Paladinado (com alto teor de paládio)
Porpezita (com 5-10% de paládio)
Pirrocrisite (com prata)
Rodita (com ródio)
Ouro-bismuto (com 13% de bismuto)
Chumbo de ouro (com chumbo)
Ouro-irídio (com irídio)

Sendo que as principais variedades são o electro, a porpezita, o paladinado e a rodita.

Falaremos das principais variedades em outros artigos onde vamos mostrar onde se encontram estas variedades de ouro no Brasil, em Portugal, na Espanha e na França.

Fontes:

Metais preciosos e suas origens

Quem descobriu e qual é a origem dos nomes dos
metais preciosos

 Metais preciosos
O grupo de metais preciosos é composto por dois metais para cunhagem de moedas, seis metais do grupo da platina e um metal considerado o último elemento estável natural a ser descoberto. Com exceção de ouro e prata (os dois metais de cunhagem), o resto dos metais preciosos registraram descobertas.
Metais preciosos e suas origens
Na lista a seguir, são fornecidas os nomes dos descobridores e etimologias do nome dos sete metais preciosos (novamente, aqueles com descobertas gravadas). O ano da descoberta de cada um desses elementos, tal como apresentado aqui, refere-se ao ano quando o elemento foi identificado como o elemento puro. São também fornecidas suas etimologias do respectivo nome.

Metais preciosos e as suas origens: 
rutênio, iridio e ósmio alguns dos metais preciosos

Platina
platinunn bar bullion
Antonio de Ulloa, um explorador espanhol e astrônomo, geralmente é creditado com a redescoberta moderna (em 1735) da platina. Este metal precioso na verdade foi primeiramente descrito em 1557 por Giulio Cesare della Scala, um médico italiano, ele foi o primeiro a encontrá-la, por acaso, em uma mina de prata na América do Sul, platina foi nomeada como tal, após a palavra espanhola “platina”, que se traduz em “pequena prata ou pratinha”.

Paládio
palladium bullion bar
William Hyde Wollaston, um químico e físico inglês, descobriu paládio em 1803 em amostras de minério de platina obtido da América do Sul. Ele deu nome do asteróide Pallas, que foi descoberto em 28 de março do ano anterior.

Ósmio
Smithson Tennant, um químico inglês, descobriu o ósmio em 1803, de resíduos de minérios de platina que foram dissolvidos em ácido nitro- clorídrico. A característica do ósmio de ter um mau cheiro que levou à sua nomeação como tal, que foi derivada da palavra grega “osme”, a palavra significa “cheiro”.

Irídio
Smithson Tennant descobriu o irídio em 1803, ao mesmo tempo de sua descoberta do ósmio da mesma solução de minérios de platina. Irídio é nomeado derivado da palavra em latim “iris”, que significa “arco-íris”.

Ródio
rhodium bar bullion
William Hyde Wollaston o descobriu em 1803, pouco tempo depois ele descobriu paládio. Ele descobriu este metal precioso de amostras de platina brutas obtido a partir da América do Sul. O nome ródio foi derivado da palavra grega “rhodon”, que significa “rosa”.

Rutênio
Karl Karlovich Klaus, um químico russo e naturalista, geralmente é creditado com a descoberta de rutênio (em 1844). Descobriu-o a partir de amostras de minério de platina que obteve do montes Urais na Rússia. Ele chamou este metal precioso nome “Ruthenia”, palavra em latim para Rússia, país de origem do Klaus.

Rênio
Uma equipe de químicos alemães, composto por Walter Noddack, Ida Tacke e Otto Carl Berg, descobriu o rênio em 1925. Eles descobriram o elemento em amostras do mineral de platina, bem como no mineral columbita. Eles o batizaram com a palavra em latim “rhenus”, para “Reno”, um dos mais longos e mais importantes rios europeus.

Ouro e Prata
Quanto aos metais preciosos ouro e prata, ambos são conhecidos por serem usados desde os tempos antigos (ouro estava em uso provavelmente tão cedo como antes de 6000 a.C., enquanto a prata provavelmente tão cedo como antes de 5000 a.C.). O nome “ouro” derivou-se da palavra latim “aurum”, que se traduz como “brilhante”. O nome “prata”, por outro lado, é de do latim vulgar “platta”. Estima-se que a prata tenha sido descoberta depois do ouro e do cobre, sendo que o cobre foi o primeiro metal (não precioso) descoberto e trabalhado pelo homem com estimativas de que 9000 a.C. já era trabalhado no Oriente Médio. 

Berílio
Foi descoberto pelo francês Louis Nicolas Vauquelin em 1798 na forma de óxido no berilo e na esmeralda. O elemento foi isolado independentemente por Friedrich Wöhler e Antoine Bussy em 1828. O berílio é encontrado em cerca de 30 minerais diferentes, sendo o mais importante o berilo, dai o seu nome.

Índio
Pure indium bars for investiments
Foi descoberto por Ferdinand Reich e Theodor Richter em 1863 quando estavam buscando tálio em minas de zinco. O nome índio, procede da linha de cor índico de seu especto atômico. O Índio é um metal branco prateado brilhante . Quando o metal é dobrado, emite um som característico.

Germânio
Descoberto em 1886 pelo químico alemão Clemens Winkler quando analisava um minério de Freiberg, da Saxônia, o germânio teve, no entanto sua existência prevista 15 anos antes por Mendeleiev, que o chamou aca-silício. O nome deve-se ao fato de que o principal mineral para a extração do germânio são a germanita (69% de germânio).

Telúrio
O telúrio (do latim tellus que significa “terra”) foi descoberto em 1782 ou 1783 por Franz Joseph Müller von Reichenstein, na Romênia, a partir de um minério de ouro denominado calaverita (AuTe2) proveniente de uma mina da Transilvânia. Em 1798 foi isolado e nomeado por Martin Heinrich Klaproth.

Gadolínio
coins for investiments
Foi descoberto em 1880 por Jean Charles Galissard de Marignac. O gadolínio foi assim nomeado a partir do mineral gadolinita, por sua vez nomeado em homenagem ao químico e geólogo finlandês Johan Gadolin. Em 1880, o químico suiço Jean Charles Galissard de Marignac observou linhas espectroscópicas, devidas à presença do gadolínio, em amostras de didímio e gadolínia (óxido de gadolínio).

Bismuto
O bismuto foi confundido durante muito tempo com o estanho e o chumbo devido a semelhança com os dois elementos. O químico francês Claude Geoffroy Junine demonstrou em 1753 que este metal não é o chumbo, porém um novo elemento metálico. O bismuto existe na crosta terrestre na forma nativa, não muito abundante, e na forma de minerais.Os mais importantes minerais do bismuto são a bismutinita e a bismita de onde vem seu nome.

Metais preciosos usados nos computadores:
https://www.oficina70.com/2018/01/metais-preciosos-usados-nos.html

Para investidores e colecionadores
Comprar moedas de metais preciosos e raros:
http://www.elementsales.com/ecoins.htm

Fontes:

A prata nos contatos de relés elétricos

A prata nos contatos de relés eletrônicos

Um relé, ou, menos frequentemente, relê, é um interruptor eletromecânico. A movimentação física deste interruptor ocorre quando a corrente elétrica percorre as espiras da bobina do relé, criando assim um campo magnético que por sua vez atrai a alavanca responsável pela mudança do estado dos contatos.

O relé é um dispositivo eletromecânico, com inúmeras aplicações possíveis em comutação de contatos elétricos, servindo para ligar ou desligar dispositivos. É normal o relé estar ligado a dois circuitos elétricos. No caso do relé eletromecânico, a comutação é realizada alimentando-se a bobina do mesmo. Quando uma corrente originada no primeiro circuito passa pela bobina, um campo eletromagnético é gerado, acionando o relé e possibilitando o funcionamento do segundo circuito. Sendo assim, uma das aplicações do relé é usar baixas tensões e correntes para o comando no primeiro circuito, protegendo o operador das possíveis altas tensões e correntes que irão circular no segundo circuito (contatos).eletroímã (bobina) constituído por fio de cobre em torno de um núcleo de ferro maciço


Outros metais preciosos usados nos relés:
Não é só a prata que pode ser reciclada de relés mas também o cobre e aço, isto nos relés mais comuns, sendo que são raros os relés onde o contato é banhado a ouro, sim, existem alguns relés usados em algumas aplicações onde os contatos ganham um bom banho de ouro.

Materiais mais usados nas bobines de relé:
bobine de cobre de relés
O material usado na bobine será consoante a aplicação do uso de um relé, sendo que a resistividade do material, vai depender da natureza do material e da temperatura que pode aguentar um relé e sua longevidade.
Praticamente todas as bobines utilizadas nos relés usam fio de cobre, sendo que em raros casos são usados fios de prata, alumínio, ferro, níquel-crômio ou grafite.

Onde estão os relés:

As típicas aplicações dos relés incluem controle e automação industrial, instrumentos de laboratório, equipamentos de teste e medição, sistemas de telecomunicação, interfaces computacionais, aplicações domésticas, ar condicionado e aquecimento, sistemas elétricos para automóveis, controlo de trefego, controlo de iluminação, domótica, controlo sistemas de potência, maquinas industriais, controlo de motores e solenoides, aparelhos domésticos e ferramentas.

Ligas típicas usadas para contatos elétricos
ligas metálicas de contatos
O desgaste elétrico e mecânico contribui para a perda de material de contato. Para aumentar a resistência à corrosão e a vida útil dos contatos elétricos, os fabricantes utilizam ligas de metais preciosas e semi-preciosas.
Consoante o tipo de aplicação/carga, existem materiais que se adequam mais do que outros.
Para diferentes tipos de carga, diferentes tipos de materiais/ligas são usados nos contatos.

Ligas que são usadas ​​na fabricação de contato elétrico:
ligas metálicas que são usadas ​​na fabricação de contato elétrico
Prata;
Prata de grão fino;
Prata-Nickel;
Prata-Ferro;
Prata-Graphite;
Prata-tungstênio;
Óxido de prata-cádmio;
Óxido de prata-estanho.

Quase todos os pontos de contatos elétricos são ligados com outros metais. A prata pode variar entre 20% a 40% em um ponto de contato típico padrão, sendo que em pontos de contato de equipamentos todo de gama de grandes empresas de tecnologia, alguns pontos de contato podem ultrapassar facilmente este teor de prata, estando muitas vezes próximo da prata pura.

 Vantagens e Desvantagens das ligas metálicas nos contatos de relés:
tabela de Vantagens e Desvantagens das ligas metálicas nos contatos de relés
tabela de Vantagens e Desvantagens das ligas metálicas nos contatos de relés

Retirando a prata de contatos elétricos
Para reciclar a prata de sucata, é necessário removê-las primeiro. Procure um objeto circular com forma de botão, brilhante, como o mostrado na figura abaixo.
prata nos contatos de relés eletrônicos
Use uma tocha de gás MAP para aquecer a parte de trás do contato até a solda de prata derreter e soltar o contato de prata em um balde de água.
Ou então corte com um alicate ou tesoura e reserve até obter mais.
contato de prata em relés
E se puder separe-os por ligas.

Saiba como recuperar a prata dos contatos elétricos:
http://www.oficina70.com/2017/12/como-reciclar-prata-dos-contatos.html

Nota: em outro artigo eu vou abordar os relés automotivos.

Fontes:

Metais preciosos usados nos computadores e eletrônicos

A maioria dos computadores e dispositivos eletrônicos contém placas de circuitos e outros componentes dentro que contêm muitos tipos de metais preciosos, incluindo ouro, platina e prata.
mina de ouro nos computadores
Os componentes do computador que contêm metais valiosos incluem placas-mãe, cartões de conector, placas gráficas, cartões de memória, CPU e outros vários componentes eletrônicos pequenos, conectores/cabos e discos rígidos.

Componentes do computador com o maior conteúdo de metais preciosos por peso
CPU do computador (processadores);
Memória (RAM) e Placa de Circuito Dedos / Conectores / Pinos;
Placas de circuito (placas-mãe);
Cabos / fios;
Discos rígidos;
Computadores inteiros.

Nota:
Os computadores aeroespaciais/militares, científicos e de telecomunicações normalmente terão placas de circuitos e outros componentes com um nível mais alto de metais preciosos (principalmente chapeamento de ouro) devido à necessidade de maior qualidade e confiabilidade, ou seja, tudo aquilo que precisa de precisão além de computadores e placas sinalisadoras aeroportuários e ferroviários.

Componentes do computador com pouco ou nenhum valor de metal precioso:
Unidades de CD/DVD;
Monitores de vídeo;
Gabinete/caixa de computador;
Teclados e mouse/rato;
Impressoras;
Scanners;
Fonte de alimentação.

Onde são encontrados os metais preciosos dentro de computadores
ouro no computador
Ouro - Placas de circuito impresso, chips de computador (CPU), conectores/dedos;
Prata - Placas de circuito impresso, chips de computador, membranas de teclado, alguns capacitores;
Platina - Discos rígidos, componentes da placa de circuito;
Paládio - Discos rígidos, componentes da placa de circuito (capacitores);
Cobre - dissipadores de calor da CPU, fiação e cabos, placas de circuito impresso, chips de computador;
Níquel - Componentes da placa de circuito;
Tântalo - Componentes da placa de circuito (alguns capacitores);
Cobalto - Discos rígidos;
Alumínio - placas de circuitos impressos, chips de computador, discos rígidos, dissipadores de calor da CPU;
Estanho - placas de circuito impresso, chips de computador;
Zinco - Placas de circuitos impressos;
Silício - circuito integrado, cristal oscilador, alto-falantes piezelétrico;
Neodímio - Discos rígidos (ímãs).

Extração
A extração química de ouro, prata, platina, paládio e ródio pode ser extraída de tais componentes e também é realizada a remoção e eliminação de materiais perigosos, incluindo mercúrio, cádmio, óxido de berílio e baterias (NiCd, lítio etc.).

Os elementos encontrados em vestígios incluem o amerício, o antimônio, o arsênico, o bário, o bismuto, o boro, o cobalto, o pólipo, o gálio, o germânio, o ouro, o índio, o lítio, o manganês, o níquel, o nióbio, o paládio, a platina, o ródio, o rutênio, o selênio, a prata, tântalo, terbium, tório, titânio, vanádio e ítrio.

Quase todos os eletrônicos contêm chumbo e estanho (como solda) e cobre (como fio e faixas da placa de circuito impresso), embora o uso de solda sem chumbo esteja se espalhando rapidamente.

ouro no computador
Os processadores de CPU do computador (processadores) possuem o valor de metal mais precioso em peso, seguido de memória (RAM) e placas de circuito / conectores / pinos, placas de circuito (placas-mãe), depois cabos flat / fios, com discos rígidos e computadores inteiros sendo os últimos.

As unidades de CD/DVD, monitores, caixas, teclados/mouse, impressoras, scanners e fontes de alimentação tipicamente não possuem suficientemente metal precioso para ser considerado de valor, a menos que em grande quantidade.

Lista de elementos químicos usados ​​em computadores e eletrônicos:
Magnésio, Radium, Bário, Nióbio, Osmium, Cobalto, Manganês, Titânio, Hafnium, Tungstênio, Germânio, Ouro, Prata, Cobre, Mercúrio, Bismuto, Silício, Gálio, Zinco, Ferro, Enxofre, Fósforo, Cádmio, Paládio, Tântalo, Platina, Alumínio, Carbono, Chumbo, Níquel, Boro, Cromo, Potássio, Fâncio, Casio, Sódio, Lítio, Cálcio, Nitrogênio, Oxigênio, Arsênio, neodímio, Selênio e Estanho.

Fontes:

Como saber se um metal é de prata

Como saber se um metal é prata
oficina da prata
Existem diferentes maneiras de identificar prata real de "falsa", embora alguns métodos sejam mais difíceis com itens pequenos.

A primeira e óbvia maneira é através da inspeção visual
oficina da prata
O metal de prata tem uma cor prateada, e os itens mais antigos desenvolverão um pouco de mancha. Se o metal parecer amarelo ou acastanhado, então não é prata. Também inspecione visualmente se o item tem alguma marca. Prata de lei ou sterling terá a peça marcada, pode ter um número como 925, 900, etc., juntamente com o nome ou símbolo do fabricante.

Outra das maneiras é pelo teste do som
A prata real tem um bom som de toque. Se você tocou itens feitos de cristal antes, você lembrará aquele som "ting" que faz em comparação com um feito de vidro simples. O som que o metal de prata faz não é tão parecido com o de tocar o cristal, mas é semelhante. Não é tão longo ou agudo. Se você tem acesso a uma moeda de prata, porexemplo, você pode fazer uma comparação direta com uma peça de que queira testar.

Teste do gelo
O teste de gelo é útil para testar itens maiores. Se alguém colocar um cubo de gelo no item a ser testado, ele começará a derreter quase que imediatamente. Isto é devido à propriedade da prata de ter a maior condutividade térmica de todos os metais.

Teste do imã
oficina da prata
Uma vez que a prata é essencialmente não magnética com ímãs normais, existem dois testes que podem ser realizados. Usando um forte ímã forte feito de materiais de terras raras (como o Neodímio), o íman não deve ficar com o metal. O segundo teste é para peças maiores com uma superfície plana, como barras de prata. Colocando o item em um ângulo de 45 graus, coloque a peça sobre ele, o íman deve deslizar lentamente (em oposição a uma queda livre). Isso ocorre porque a propriedade altamente condutora da prata faz com que as correntes de Foucault se formem como o ímã desliza, que se tornam pequenos campos magnéticos que atuam como freio.
Nota: Nenhum desses dois testes por si só são conclusivos, no entanto, uma vez que podem ser feitas algumas ligas que tenham uma cor semelhante à prata usando metais não magnéticos.

Teste com fósforo

A prata forma um composto negro quando reage com enxofre (Sulfeto de Prata), por isso fica escura em contato com o ar.
Esfregue uma cabeça de fósforo na peça, e depois acenda o resíduo com outro fósforo. O enxofre presente na mistura deixará uma marca negra na peça. Mas não marcará níquel, aço, cromo ou qualquer outro metal brilhante.

Nota:
Todos os métodos acima ainda não são conclusivos e exigem alguma experiência para usar corretamente.


Teste da densidade
Pese a peça em uma balança com ao menos duas casas decimais, e calcule o volume da peça (para barras: altura x largura x espessura; para moedas: Pi x Raio ao quadrado x Espessura), e em seguida sua densidade ( peso/volume ). A densidade da prata é: 10,49 g/cm3.

Teste com kit de ácido
oficina da prata
Outro método que deve ser usado além de todos acima é usar um kit de teste de prata. Esses kits geralmente consistem em uma pedra de teste preto e um conta gotas com ácido. Os testes podem ser feitos colocando uma pequena gota do ácido sobre o item a ser testado ou esfregando a peça em uma parte limpa da pedra de teste, depois aplicando o ácido na área da pedra onde a peça foi esfregada. O ácido, como o vendido por algumas joalherias reagirá com o metal e resultará em um cinza escuro se a peça contiver 90% ou mais de prata, cor cinza se a porcentagem de prata estiver entre 77% a 90%, e cor verde claro se entre 65% a 70%.

O ácido nos kits é principalmente ácido nítrico, e enfraquece ao longo do tempo.
É importante notar também que este não é um teste recomendado para itens que não devem sofrer nenhum dano. Quando o item é esfregado na pedra, pode deixar uma marca, uma vez que uma pequena quantidade de metal está sendo esfregada. Se o ácido for colocado diretamente sobre a peça que está sendo testada, ele deixará uma marca apagada ou uma corrosão localizada na superfície do item, pelo que é só limpar a área com um pano e sabão neutro.

Como limpar peça ou jóias de prata com folha de papel alumínio
oficina da prata

O escurecimento da prata nada mais é que Ag2S, chamado Sulfeto de prata. Algumas pessoas secretam mais enxofre (S) no suor, e por isso a prata acaba escurecendo mais rapidamente com elas. Este é um processo eletrolítico reversível, ou seja: se você associar algum componente químico de maior potencial elétrico, removerá o enxofre da prata e ficará com sua prata brilhando de novo. E, para isso, podemos usar o alumínio, que você tem em casa.

Como fazer:
– Pegue uma panela de alumínio e um pouco de papel laminado, conhecido também como papel alumínio.
– Lave a peça ou objeto a ser limpo, com água e sabão.
– Envolva o objeto em papel alumínio, de modo que ele fique embrulhado, mas ainda possa ser molhado se mergulhado em água (faça um embrulho frouxo) – isso aumenta a área de contato da prata com o alumínio.
– Coloque um pouco de detergente dentro da panela de alumínio, encha de água e acenda o fogo.
– Coloque o embrulho da sua peça de prata na panela.
– Deixe ferver por meia-hora.
– Retire o embrulho do fogo.
– Lave com sabão e uma escovinha. Se ainda não estiver ao seu gosto, repita o processo.

ATENÇÃO:
Esteja ciente de que devem ser tomadas precauções adequadas com o ácido. Evite o contato com a pele e todos os outros materiais e evite completamente o cheiro dos fumos. Os fumos de ácido nítrico destruirão as membranas mucosas em nossos pulmões, e em casos graves a morte causará asfixia.

Cuidado com as falsificações
Cuidado com as descrições de ‘tipos’ de prata, como “nickel silver”, “Mexican Silver”, “German Silver,” “Indian Silver,” “Montana Silver,” etc, estas peças não contém nada de prata, sendo apenas outros metais ou liga com aparência prateada brilhante. As indicações ‘100 Mills’, ‘layred’ ou ‘clad’ revelam que são barras de algum metal comum apenas banhadas com uma fina camada de Prata.

Metais preciosos - A Prata

Quantos e quais são os metais preciosos com maior valor comercial
São chamados de metais preciosos (ou metais nobres) o ouro, a prata e os metais do grupo da platina. Estes compreendem platina, paládio, ródio, rutênio, irídio e ósmio. O ouro e a prata são os mais importantes e os mais conhecidos. Mas a platina é bem mais valiosa. Na indústria joalheira, usa-se ouro, prata, platina, paládio e ródio, este último geralmente como revestimento de outros metais (banho de ródio). Os metais preciosos são todos raros na crosta terrestre, embora possam estar muito disseminados, como é o caso do ouro. Possuem alta densidade, são maleáveis (podem ser reduzidos a folhas) e dúcteis (podem ser reduzidos a fios).

A Prata mineral
Metais preciosos - A Prata
A prata cristaliza no sistema cúbico (como o ouro) e seus cristais podem ser cubos, dodecaedros ou octaedros. Entretanto, eles são raros e o mineral é geralmente acicular, fibroso, dendrítico ou irregular.

Tem cor cinza (prateada), inclusive quando em pó. Não tem clivagem. Sua dureza é baixa (2,5 a 3,0); e a densidade, alta (10,50), mas muito inferior à do ouro. Ocorre em filões. Possui intenso brilho metálico, o qual enfraquece se o ar contiver enxofre, o que geralmente ocorre nas cidades.

Metal
A prata é um metal muito dúctil e maleável. Permite obter lâminas com 0,003 mm de espessura e fios de 100m pesando apenas 38mg. Duas peças de prata podem ser soldadas a marteladas, desde que aquecidas a 600ºC. Seu ponto de fusão é 960 °C. É o metal que melhor conduz o calor e a eletricidade. Tem propriedades semelhantes às do Cu e do Au.

Fontes de Obtenção
A prata forma 129 minerais, sendo extraída de muitos deles, como pirargirita, argentita, acantita, cerargirita, galena argentífera, stromeyerita, tetraedrita, pearceíta, proustita, stephanita, tennantita, polibasita, silvanita e prata nativa. Pode ser obtida também como subproduto na metalurgia do zinco, do ouro, do níquel e do cobre. Ela está muitíssimo menos disseminada que o ouro na natureza.

Usos
Usa-se prata em: moedas, espelhos, talheres, joalheria, odontologia (como amálgama), soldas, explosivos (fulminato), chuvas artificiais (iodeto), óptica (cloreto), fotografia (nitrato), germicida, objetos ornamentais e ligas com cobre. Para joias e objetos ornamentais, usam-se ligas com 10% de cobre (prata 90 ou prata 900) ou, mais frequentemente, com 95% de prata (prata 950).
Outras ligas de prata: 750, 800, 875, 916, 925, 995.
Além de ser usada na indústria eletrônica, ainda é usada na música geralmente em instrumentos de sopro e em equipamento de sonorização como nas membranas e bobinas de altos-falantes e tweeters.
Na medicina  e na medicinal alternativa como prata coloidal.

Principais Produtores
O maior produtor de prata é o México, seguindo-se Peru, China e Austrália. No Brasil o maior pordutor é o estado de Minas Gerais, seguido pelo Paraná.

Como identificar prata no quartzo:

Preço
A prata geralmente vale entre 5 e 12 partes do valor do ouro.


Curiosidade
A maior pepita de prata conhecida foi encontrada em Sonora (México) e tinha 1.026 kg.

Fontes:

Como reciclar a prata dos contatos elétricos

Como recuperar a prata dos contatos elétricos

Recicle a prata e outros metais preciosos dos contatos elétricos.
Na maioria dos itens elétricos, pequenas quantidades de metais preciosos, como prata e ouro, são usados ​​como contatos elétricos. Os metais preciosos conduzem sinais digitais melhor do que os metais comuns. Em vez de jogar itens quebrados ou obsoletos com contatos elétricos, recicle a prata que eles contêm. O ácido clorídrico diluído dissolve a maioria dos materiais e deixam metais preciosos, como a prata, não serem disolvidos. O ácido clorídrico é comumente usado para reciclar metais preciosos de sucata eletrônica.

Como fazer:
Despeje 2 xícaras de ácido clorídrico a 12 por cento em um copo de vidro.
Insira o contato elétrico na solução de ácido clorídrico. Deixe que o ácido clorídrico dissolva os componentes.
Aguarde a reação entre os componentes no ácido clorídrico parar. O tempo de espera é de aproximadamente entre 12 horas a 7 dias pois vai depender muito da porcentagem de ácido que usou, da quantidade de material no frasco de vidro e dos metais contidos com os pontos de contato na prata.

A solução para de borbulhar quando somente a prata permanecer.
Reação de borbulhamento dos metais base ao ácido.

Encha um recipiente de vidro com 3 ou 4 litros com 4 xícaras de vinagre.
O vinagre é uma base que neutraliza o ácido.

Remova a prata com pinças de metal ou aquelas de cerâmica e insira a prata e as pinças num recipiente para neutralizar o ácido clorídrico por 10 minutos.

Remova a prata com as pinças e enxágue a prata e as pinças com água da torneira.

Recupere a prata fundindo-a ou vendendo para um comprador local de metais preciosos, como um joalheiro.

Materiais necessários:
2 xícaras de ácido clorídrico a 12 por cento;
Copo ou recipiente de vidro;
Recipiente de vidro de 3 litros;
4 xícaras de vinagre;
Pinças de metal;
e sucata com botões de prata.

(disjuntores residenciais)
(tipos de botões de contatos de prata dos disjuntores)
(exemplo de botão de prata de disjuntores)
(barra de disjuntor industrial com liga de prata e cobre)
(contato de prata nos chuveiros elétricos)
(contatos de prata em equipamentos de alta qualidade)

ATENÇÃO:
O ácido clorídrico é extremamente corrosivo. Se derramar ou entrar em contato com sua pele, enxague a área com vinagre e água.
(siga sempre as recomendações de segurança dos rôtulos das embalagens)

Quando o ácido clorídrico reage com outros materiais, provoca um vapor venenoso. Trabalhe em uma área bem ventilada e use luvas de proteção, óculos, máscara e roupas grossas.

Saiba mais como extrair e recuperar a prata de disjuntores:

Não sabe onde está a prata nas sucatas eletrônica e elétrica?
clica no link a seguir e saiba onde há prata:
http://www.oficina70.com/2016/10/onde-encontrar-prata-em-sucatas.html

Fonte:
Fotos de:

Fios de ouro nos semicomdutores

Aqueles fios de ligação (bond wire) que você pode observar com uma lupa ou microscópio dentro de um semicomdutor é um fio metálico que é usado para fazer as interconexões entre um microchip e outros componentes eletrônicos, como parte do processo de fabricação de dispositivos semicondutores fixados via microsoldagem.



A microsoldagem é geralmente considerada como a tecnologia de interconexão mais barata e flexível, e é usada na grande maioria dos encapsulamentos de semicondutores.

O fio é geralmente constituído por um dos seguintes metais:
gold, cuper, silver and aluminium
Ouro,
Alumínio,
Cobre ou
Prata.

O diâmetro dos fios vai de 15 µm até várias centenas de micrômetros para aplicações de alta energia.

Existem duas categorias de tecnologia de solda de fios:
Ball bonding
O ball bonding geralmente restringe-se a ouro e cobre e exige aplicação de calor na maioria dos casos.
Fio de ouro conectado a um pad de ouro com tecnologia ball bonding.

Wedge bonding
O wedge bonding pode usar ouro ou alumínio, e apenas o fio de ouro necessita ser fixado com calor.
Fios de alumínio conectados ao die de um transístor com tecnologia wedge bonding.
Este video mostra como o processo é feito.

Em ambas as tecnologias, o fio é conectado a ambas as extremidades usando alguma combinação de calor, pressão e energia ultrassônica para fazer a solda.

Então, a ligação por estes finos fios é o melhor método de se fazerem interconexões (ATJ) entre um circuito integrado (IC) ou outro dispositivo semicondutor durante a fabricação de dispositivos semicondutores. Embora menos comum, a ligação por fios pode ser usada para conectar um IC a outros eletrônicos ou conectar-se de uma placa de circuito impresso (PCB) a outra. A ligação por fio é geralmente considerada a tecnologia de interconexão mais econômica e flexível e é usada para montar a grande maioria dos semicondutores. Se projetado corretamente, a ligação de fio pode ser usada em freqüências acima de 100 GHz.

A seguir estão algumas fotos onde os fios de ouro são usados nos semicomdutores:
Fios de ouro em um chip EPROM,

Fios de ouro em um semicomdutor de chip IC de cartão de telefone,

Detalhe dos fios de ouro atrás do chip de cartão SIM,

Fios de ouro nos chips CCD e CMOS de cameras fotográficas,

Fios de ouro do chip IC no sensor CMOS de mouse pad (rato),

Fios de ouro em uma ligação na placa PCB de LED,

Diodo de germânio ligado com fio de ouro,

Fios de ouro em um transistor antigo da Motorola.

Fontes:

Segue oficina70.com