oficina70.com: Tecnologia
Mostrar mensagens com a etiqueta Tecnologia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Tecnologia. Mostrar todas as mensagens

Radiestesia - método de detecção de ouro

Método de detecção de ouro por hastes radiestesistas

Já falamos sobre o método de detecção iônica em outro artigo, veja AQUI:

Métodos menos convencionais para detectar ouro:
Radiestesia

Mas antes, o que é radiestesia?
Métodos de detecção de ouro - Radiestesia
Radiestesia ou radioestesia é uma sensibilidade a determinadas radiações, como energias emitidas por seres vivos e elementos da natureza. As aplicações são, por exemplo, feitas por pessoas que podem determinar o local exato onde há poços de água subterrâneos com apenas uma vareta de madeira e/ou metal.

A radioestesia é uma pseudociência. Seus defensores alegam possuir a capacidade de captar radiações e energias emitidas por quaisquer objetos. Esta habilidade permitiria aos radiestesistas (geralmente com o auxílio de bastões, pêndulos e outros instrumentos) encontrar água e minerais, corpos enterrados ou objetos perdidos.

Vários exemplos de ferramentas de radiestesia, desde as hastes até aos pêndulos.
kit of dowsing

As ferramentas de radiestesia são empregada nas tentativas de localizar águas subterrâneas, metais enterrados ou minérios, pedras preciosas, óleo como no caso do petróleo, túmulos, e muitos outros objetos e materiais sem o uso de aparatos científicos. A radiestesia é considerada uma pseudociência e não há evidências científicas de que ela seja mais eficaz do que o acaso.

Diz-se que usando esta técnica com este artefato pode ser encontrado depósitos de ouro.

Os galhos ou hastes em forma de Y, ou dois em forma de L, individualmente chamados de varinha radiestésica, vareta adivinhadora. A radiestesia parece ter surgido no contexto da magia da Renascença na Alemanha, e permanece popular entre os crentes em Forteana ou radiestesia.

Métodos de detecção de ouro - Radiestesia
Algumas destas hastes possuem um local oco no punho onde pode-se colocar uma amostra do material ou metal de que se quer encontrar, igualmente como nos detectores iônicos.

Como fazer hastes de radiestesia caseira:
Métodos de detecção de ouro - Radiestesia
Para os iniciantes, podem começar por fazer algumas hastes com cabides de arame metálicos, seguindo os cortes da figura acima.
Depois use tubos de cobre se puder, e coloque as hastes de metal dentro deles, como na imagem acima, para iniciantes, pode-se usar tubos de plásticos a fim de se fazerem ensaios e para a aprendizagem.

Mas como funciona a detecção por meio das hastes?
O método baseia-se principalmente na detecção de mudanças na energia electromagnética e, quando uma corrente passa através das hastes, esta oscila em seguida, detectando uma alteração no ambiente.

Este método de detectar ouro não é confiável, muito menos tem uma base científica, mas no passado tribos que não tinham acesso a dispositivos eletrônicos usavam-no para encontrar água.

Outras possíveis explicações
Alega-se que o movimento dos bastões dos radiestesistas é causado pelo efeito ideomotor, que supostamente explicaria essa característica, além de outros supostos mistérios paranormais.

Alega-se também que a aparente taxa de acerto elevada é causada pelo viés de confirmação, quando lembram-se dos acertos como evidência de funcionamento de uma hipótese, e os erros não são mencionados. Essa supostamente seria uma tendência natural da mente humana e não necessariamente aplicada de má-fé pelos proponentes; contudo, a ciência prende-se pela objetividade e não pela intuição. Entretanto ela vem sendo usada há mais de 2 mil anos por diferentes povos em diferentes lugares.

Usos Militares e de segurança
Se este método de detecção não é comprovado pela ciência, então porque algumas unidades militares de diversos países usam estes tipos de equipamentos amplamente para detectarem desde água, drogas, explosivos ou produtos químicos?
Mexico Police using dowsing model GT200 for finding drugs

Mexico Police using dowsing model GT200 for finding drugs

Thailand Forces using dowsing model GT200 for finding drugs

Onde comprar:
Modelos de hastes de radiestesia vendidas no mercado para encontrar ouro e outros minerais.
 haste em L para detectar ouro
GDI set varas de ouro dowsing L! Os detectores de ouro mais acessíveis, uma ferramenta popular e notável de radiestesia, usada para radiestesia de ouro e água radicular. A técnica apropriada para radiestesia exige que o radiestesista segure as hastes radiestésicas, uma amostra do mesmo tipo de metal que ele deseja localizar. É por isso que as barras L são banhadas a ouro. Desta forma, uma amostra não é mais necessária quando procurar por ouro, e os resultados confiáveis são relatados. Também o ouro por natureza não sofre oxidação do PH da pele humana, e proporciona melhor contato elétrico entre as hastes L e o próprio usuário.

 dowsing found gold

Kit de radiestesia para encontrar minerais.

Clica nas imagens acima para obter informações sobre o produto.

Como usar:

Fontes:

Como usar o testador de diamantes JEM-II GemVue

Instruções de como usar um testador de diamantes JEM-II
testador de diamantes JEM-II GemVue
O JEM-II GemVue ™ Diamond Tester mede com precisão a condutividade térmica da pedra preciosa para determinar se é um diamante ou uma pedra semelhante ao diamante. Este testador de diamante NÃO identificará Moissanite sintético que tem uma condutividade térmica semelhante a um diamante.

O JEM-II é equipado com um alerta de metal, projetado para reduzir a possibilidade de uma leitura falsa positiva causada pelo toque no metal que segura a pedra. A calibração é fácil com o volume do medidor de nível para combinar pedras de diferentes tamanhos e pode distinguir pedras tão pequenas quanto 0,2 ct. Pode ser conectado com um adaptador A/C para uso interno em longo tempo, mas NÃO INCLUÍDO. Este modelo também é equipado com uma luz ultravioleta para testar a reação fluorescente das pedras.

Instruções para usar o Diamond Tester:
Instruções para usar o Diamond Tester
1. Deslize e abra a tampa da bateria na direção da seta.
2. Insira a bateria de 9V.
3. Deslize o botão de energia até alcançar a seleção “Diamond”.
4. A lâmpada de "alimentação" ficará vermelha e a lâmpada adjacente "pronta" piscará em verde.
5. Aguarde cerca de 30 segundos para testar a sonda para aquecer.
6. Uma vez que a lâmpada “pronta” pisca um verde sólido e faz um sinal sonoro muito curto, o ciclo de energização está completo.
instruções para usar um testador de diamantes

7. Verifique se o medidor de nível de LED está aceso até a segunda coluna (se não, ajuste o controle de volume até que a luz da barra esteja na segunda coluna), agora você pode começar a testar.

Teste:
Sempre limpe corretamente a pedra antes de testar.
Remova com cuidado a tampa protetora da ponta da sonda.
Segure o verificador de diamantes com a mão direita, com o dedo indicador tocando o painel condutor de eletricidade na parte de cima do testador de diamantes.
como usar um testador de diamantes
Pressione a ponta da sonda em um ângulo RETO (veja o exemplo na foto acima) no topo da pedra. Não pressione o testador para uma pedra em um ângulo inferior a 90 graus.
CUIDADO: Demasiada força pode partir ou dobrar a ponta da sonda!
JEM-II DIAMOND TESTER
Ao testar pedras que já estão montadas em jóias, segure a jóia com a mão esquerda.
Para pedras soltas, os melhores resultados ocorrem quando a pedra é colocada na base de teste. Segure a base de testes com uma mão.

Interpretando os resultados do teste:
Se o LED acender até a zona vermelha acompanhado com um som de (beep-beep-beep), a pedra que está sendo testada é um diamante.
Se o LED acender apenas na zona verde e / ou amarela, a pedra é semelhante mas não é um diamante.
Se a ponta da sonda entrar em contato com o metal, o testador de diamante emitirá um bipe contínuo.
As temperaturas de teste recomendadas estão entre 17.78°C a 30°C (64°F - 86°F).
Ao testar pedras pequenas (0,5 ct e abaixo), recomenda-se removê-las de suas jóias, isto se isto for possível, para deixá-las esfriar até a temperatura ambiente e, em seguida, colocá-las na base de testes para se efetuar testes adequados. Além disso, ao testar pequenas pedras (0,5 ct e abaixo), o controle de volume terá que ser aumentado para a terceira barra para garantir leituras precisas.
O JEM-II emite sinais sonoros e visuais. Consulte a tabela abaixo para interpretar esses sinais.
Aguarde até que a luz "READY" esteja verde entre cada teste.

Este sinal indica o seguinte resultado:
1. Som de bip (bip bip bip): Diamante
2. Uma ou mais barras vermelhas na caixa do medidor de nível acendem (quanto maior a pedra, mais barras vermelhas acendem): Diamante
3. Nenhum sinal sonoro: Simulante de Diamante
4. Nenhuma barra vermelha ascende: simulador de diamante
5. Som de zumbido contínuo: Alerta de Metal (retire a ponta da sonda da pedra ou do metal , depois volte a tocar apenas a pedra.)

Usando a luz ultravioleta:
como usar a luz ultra violeta
Antes de começar a usar a luz ultravioleta, queremos enfatizar que a luz ultravioleta pode ser perigosa se usada de maneira descuidada.

As informações fornecidas pela lâmpada ultravioleta podem ser uma pista importante na identificação de gemas. Ele mostrará imediatamente se a pedra fluoresce ou fosforece. Embora raramente seja um teste conclusivo, pode ser uma maneira rápida e fácil de confirmar seu diagnóstico quando usado em conjunto com outros testes. Pesssoas mais instruidas logo conhecerão uma pedra apenas pela luz UV.

Saiba como a luz UV incide sobre os diamantes:

Aqui estão algumas regras a seguir ao usar a luz ultravioleta:
Nunca olhe diretamente para a luz ultravioleta.
Evite a exposição contínua da luz ultravioleta à sua pele.
Não ligue a lâmpada UV até que tudo esteja na posição correta para o teste.
Sempre que possível, use óculos de proteção ou óculos uv.
Limpe a pedra e/ou a jóia na qual a pedra pode ser colocada.
Certifique-se de estar em um ambiente escurecido não reflexivo. Quanto mais escuro o ambiente, melhores serão os resultados.

Procedimento de teste:
Segure a lâmpada diretamente sobre o item a ser examinado, SEM LIGAR A LÂMPADA UV.
Coloque a lâmpada UV o mais perto possível da pedra. Quanto mais próxima a pedra estiver da lâmpada, mais fácil será ver qualquer tipo de reação à radiação UV.
Agora, ligue a lâmpada.
Veja a pedra de várias direções diferentes para obter melhores resultados.
Desligue a lâmpada UV.

Instruções adicionais:
JEM-II DIAMOND TESTER INSTRUCTIONS
O testador de diamantes foi projetado para detectar o nível de humidade normal na mão do usuário, portanto, se a pele estiver muito seca ou o usuário usar luvas, ela não funcionará adequadamente.
Ao testar pedras em um ambiente de metal, segure a peça na sua mão esquerda.
Ao testar pedras soltas, coloque a pedra testada na plataforma de teste de metal. Segure o testador em sua mão direita e a placa de teste em sua mão esquerda.
Testar repetidamente a mesma pedra aquecerá a pedra até que um diamante natural não leia mais DIAMANTE. Se isso acontecer, espere pelo menos três minutos para a pedra esfriar.
Após o uso, desligue sempre o testador de diamantes e guarde-o no estojo.
Evite expor o testador a poeira e humidade. Como o testador contém circuitos elétricos precisos, nunca tente abrir nada, exceto a tampa do compartimento da bateria.

Manutenção:
Se o testador de diamantes não for usado por um longo período de tempo, as baterias devem ser removidas do testador.
SEMPRE coloque a capa protetora na ponta da sonda de teste quando não estiver em uso.
Caso a luz vermelha fique fraca, substitua a bateria.

Especificações:
JEM-II usa uma bateria de 9 volts ou um adaptador AC (não incluído) 110V-240V
O tempo de aquecimento da sonda é de cerca de 30 segundos.
Tempo de trabalho: cerca de 5 horas de uso contínuo.
Temperatura de trabalho: entre 17.78°C a 30°C (64°F - 86°F)

Onde comprar testador de diamante:

Fonte:

Testador de diamantes diamond selector II

Diamond Selector II
Diamond Selector II by Culti Corporation Japan

Este é o aparelho de testar diamantes mais famoso e mais conhecido do mundo, mas também o mais copiado e falsificado.
 Culti JAPAN
O único testador de diamantes fabricado no Japão.
O nome mais confiável por muitos e muitos anos.

Não que não existam aparelhos bons denominados como "diamond selector II", mas vamos falar da marca pioneira destes aparelhos, a Culti Japan, e que hoje fabrica testadores de diamantes tão bons quanto o selector II, como foi a geração III e agora com o "diamond selector IV".
Esteja atento para os aparelhos genuínos e para os falsos, isto pode ser decisivo na hora de testar uma pedra como se trata-se de um diamante.

Vamos mostrar aqui o que precisa saber para conhecer mais sobre o aparelho testador de diamantes original mais vendido no mundo para não ser enganado ao comprar um testador de diamantes fake ou de baixa qualidade.
Desde o princípio de sua fabricação até aos dias de hoje o Diamond Selector II da Culti Japan sofreu apenas algumas mudanças estética no grafismo e na tecnologia no seu interior, no mais continua igual.
A marca "Culti" no lado inferior direito é o que dá logo nas vista, sendo que os modelos mais recentes incluem o nome deste fabricante e a sua logo.

Conheça algumas pequenas diferenças entre o Culti original e as imitações:
fake and original
Cor diferente do led do volume. No testador original da Culti JAPAN a cor do led máxima do volume deve ser azul para os aparelhos novos e branco para os mais antigos, e a luz for vermelha então é uma imitação.

fake and original´s
Cor diferente do parafuso. O parafuso genuíno deve ser preto.

fake and genuine
Cor diferente do gancho da bateria. O gancho genuíno deve ser branco.

fake and genuines
A ponta elétrica é quase a mesma. Como algumas partes elétricas importantes são diferentes, o desempenho da imitação é inferior ao genuíno.

O Testador e o Diamante
O diamante talves seja uma das pedras preciosas mais imitadas por materiais artificiais ou por outras pedras que se pareçam como um diamante desde há muitos anos. Porém com os avanços tecnológicos o desenvolvimento de testadores de diamantes estão cada vez melhores e mais fiáveis, com propriedades e capacidades cada vez mais fiáveis para distinguir diamantes originais e não falsificações. Embora a maioria destes testadores fosse acessíveis apenas para algumas pessoas que trabalhavam na área até um um certo período de tempo, com a massificação e com seus grandes volumes de produção asseguraram que no presente muitas pessoas possam ter acesso a estes tipo de equipamento. Quase todos os modelos são concebidos para o uso pretendido, o de testar pedras brutas encontradas na natureza afim de serem testadas para saber se realamente se tratam de diamantes, sendo uma das formas mais rápidas para as pessoas saberem se ficam ou não ricas ao encontrar uma pedra de diamante, algo que é meramente ilusório, uma vez que apenas 10% dos diamantes encontrados valcançam valores extraordinários. Devido ao grande volume de produção e de diferentes marcas, estes aparelhos se tornaram populares sendo que muito de nós pensamos em ter um, porem a qualidade de muitos destes aparelhos não é das melhores e quem comprou um bem baratinho vai se arrepender rapidinho quando for levar as suas pedras de diamantes analisadas e atestadas por estes tipos de testadores até uma loja de penhor ou para algum joalheiro comprar de certeza vai ter uma decepção.
É por isto que se você for testar muitas pedras ou então for trabalhar muito com isto o melhor é pagar 10x mais por um aparelho muito melhor como um da Presidium, por exemplo.

Ou então compre testadores de diamantes das gerações futuras a este modelo, como os:
Diamond Selector III
Diamond Selector III by Culti JAPAN

 Diamond Selector IV
Diamond Selector IV by Culti JAPAN

ATENÇÃO:
Se você quer mais qualidade, então pague mais por isto:
testador de diamante fake
testador de diamante selector fake

Fonte e direitos de:

Como recuperar o ouro das águas dos oceanos

O maior reservatório de superfície de ouro no mundo
 seawater gold extraction
Os oceanos são o maior reservatório de ouro na superfície da Terra, contendo aproximadamente oito vezes a quantidade total de ouro extraído até hoje. No entanto, o custo atual de extração de ouro dos oceanos é mais do que vale este mesmo ouro nos preços atuais e portanto, "ainda" não vale a pena.

Nota:
Recentemente foi partilhada uma nova técnica que permite aos poucos recuperar o ouro contido nas águas dos oceanos com a ajuda de navios.
Nós queremos simplesmente trazer a informação de que nas águas dos oceanos há muito ouro e gostaríamos de contribuir para o debate do assunto de como recuperar este ouro.

A idéia não é nova e há muito tempo se fala nisto e a cada dia mais e mais ouro se acumulam nas águas do mar.
Já em 1920, Fritz Haber, um engenheiro químico alemão e laureado com um prêmio Nobel de Química, atuou em pesquisas sobre como fazer a separação do ouro das águas do mar.
Porém Fritz só trabalhou em cima de uma idéia que vinha de alguns anos antes por Henry Clay Bull, que em meados de 1900 publicou uma patente de um método capaz de separar o ouro da água do mar.
Leia AQUI o resumo da patente deste método.

Pode até ser possível inventar algum dispositivo eletroquímico para recuperar este ouro. Porém, Fritz Haber não prosseguiu com as pesquisas pois reconheceu que não é economicamente possível (assim, fechou a porta para toda as pesquisas,... até agora) baseiando-se nos custos de bombeamento.
Então...elimine o bombeamento e pode ser lucrativo.

Ouro nos oceanos
( técnicas de recuperação)
A água do mar contém cerca de 0,1-2 mg / tonelada de ouro dissolvido em água (média de 1 mg / tonelada). E, considerando a quantidade de água do mar disponível, é uma enorme mina de ouro!
Muito já se falou mas nenhuma empresa ou grupo de investimento decidiu investir em recuperar o ouro dos oceanos, pois além do dinheiro os problemas eram práticos (o que impediu a extração lucrativa até agora), isto porque, no entanto, pode sim ser possível com uma técnica de eletrólise antiga, com a única diferença de que a diferença de tensão entre os eletrodos deve ser mantida ligeiramente inferior à diferença mínima de potencial necessária para a eletrólise da água (sim, há uma mínima diferença, digamos 1,48 volts, abaixo dos quais a água não será hidrolisada. Mas, como o ouro está abaixo do hidrogênio em séries eletroquímicas, será depositado no cátodo!). Uma vez que é impraticável bombear milhões de galões de água, é mais prático mover os eletrodos sobre vastas regiões dos oceanos.

Métodos de recuperação propostos:
(resolvendo o problema)
mediterranean seawater gold extraction
Com uma ligeira modificação, as hélices de navios poderiam ser projetadas para formar os eletrodos! Cada uma das 3 lâminas será uma pilha de 3 lâminas (como um sanduíche) com a lâmina paralela mantida + ve e os outros dois cátodo formador (é claro que eles não estarão tocando um ao outro. Haverá uma lacuna de alguns cm entre cada lâmina, suportada por borracha / rolha). A inclinação de cada lâmina será muito menor que a propulsora convencional, de modo que ele faça muito mais revolução por avanço e, portanto, analise o volume de água de forma mais eficaz. É prático fazer cada lâmina de 1,7 metros de comprimento, de modo que a área de seção transversal do círculo formada na revolução das lâminas será de 10 metros quadrados. Isso irá escanear 10 toneladas de água por 1 metro movido pelo navio. Considerando que a eficiência da extração é de apenas 0,1 mg / tonelada, chega a 1 mg / metro de distância percorrida (ou 1 grama por km ou 1 kg de ouro por 1000 km). Portanto, isso pode não ser lucrativo se o navio for projetado apenas para caçar ouro. Mas pode ser um verdadeiro bônus para os navios comerciais que tem que cobrir milhares de km de qualquer forma.

Método de luz de vapor de ouro
Este processo pode ser feito por um processo simples e muito mais lucrativo.

Plano: Assim como uma lâmpada de vapor de sódio, é possível fazer uma lâmpada de vapor de ouro, que irá excitar seletivamente Au ions, exigindo assim menor tensão (acredito que será menor do que a tensão crítica que começa a quebrar H2O em hidrogênio e oxigênio ). ... a lâmpada de vapor de ouro brilharia diretamente nas lâminas da hélice do navio (o que funcionaria como eletrodos). Será possível filtrar/limpar através deste método bilhões de toneladas de água do mar. Este processo é crítico porque, à medida que a concentração de iões (Au neste caso) começa a diminuir, a tensão requerida para extrair começa a aumentar. Mas a excitação seletiva deve ajudar muito.

(os problemas a solucionar...)
O consumo de energia seria muito grande tornando o projeto inviável.
Outro problema com a idéia é que  o ouro não ficará sozinho, mas um monte de outras coisas, pois muitos elementos e compostos encontrados na água do mar estão abaixo do hidrogênio na série eletroquímica. Muitos destes estão presentes na água do mar em concentrações muito maiores do que o ouro.
O que precisa ser feito é encontrar um material químico que se liga ao ouro ou faz o ouro se unir. Talvez em bases de frequência de vibração, pois cada átomo tem sua freqüência.

Um problema com todas essas idéias com base na deposição eletroquimica de ouro é que o ouro na água do mar não é ionizado, mas parece existir principalmente como um monohidróxido covalentemente ligado, com uma carga líquida de zero. Assim, o ouro não se moverá em direção a um cátodo. Isso sugere outra abordagem para extrair ouro. Como a maioria dos metais na água do mar são ionizados, pode ser possível separá-los usando uma membrana de diálise carregada de forma adequada, feita de um material adequadamente resistente à corrosão, como o níquel, com um corte de peso molecular suficientemente baixo para evitar a passagem de proteínas e outras gotas orgânicas. . O níquel também é tóxico para algas e outros organismos que possam colonizar e tapar a membrana. O filtrado seria isento de metais ionizados, que não os encontrados nos aniões contendo metal raro. Os metais filtrantes consistiriam principalmente em átomos raros (em água do mar) de complexos de metais, incluindo ouro e também elementos de ferro, níquel, vanádio e grupos de platina. As concentrações destes elementos no filtrado não seriam superiores às da água do mar não filtrada, mas se pudessem ser removidas seletivamente, ainda haveria um gradiente de concentração que impulsionaria a sua contínua difusão através da membrana. Mesmo que todos os metais fossem removidos, a concentração de ouro na mistura resultante seria milhões de vezes maior do que a água do mar. Não sei se o AuOH (H2O) é solúvel em mercúrio, mas pode haver / provavelmente peneiras moleculares que possam atrapalhá-lo.

Em um dispositivo real, o filtrado deveria ser processado rapidamente para que um volume suficiente de água do mar pudesse ser processado para extrair quantidades significativas de ouro e outros metais, mas também para evitar o acúmulo de um grande potencial elétrico entre o filtrado e a água do mar. Estou operando nos limites da minha competência aqui, mas parece-me que os requisitos de energia de tal configuração seriam modestos, com o trabalho de manter um gradiente de concentração em uma solução extremamente diluída. Seria necessária energia para fornecer corrente à membrana de diálise e, provavelmente, para operar uma bomba para forçar o filtrado através de uma peneira molecular. Um painel elétrico solar de um metro quadrado deve ser suficiente. Se o dispositivo simplesmente fosse deixado para deriva em um oceano por alguns anos e depois coletado, o fato de que ele operava apenas 40% do tempo não importaria.

A questão, é claro, é se o ouro recuperado pode ser suficiente para tornar a operação rentável. Um dispositivo de diálise com sua fonte de alimentação provavelmente poderia ser construído por US $ 1000, e colocá-los e recuperar do oceano aumentaria esse custo. Mas digamos que o ponto de equilíbrio seria em oz de ouro por dispositivo. A concentração de ouro na água do mar é de cerca de 13 ug / m ^ 3 (não 1,3 mg), então, para extrair uma onça troy de ouro, você teria que processar cerca de 2,3 milhões de M ^ 3 de água do mar. Se o dispositivo pudesse atingir 10 litros por segundo, ele faria isso em cerca de 7 anos. Essa é uma ordem alta.

Mas por que toda a ênfase no ouro?
Existem outros metais valiosos na água do mar. Da mesma quantidade de água necessária para produzir uma onça de ouro, você poderia extrair 21.500 onças de prata, vale 200 vezes mais do que uma onça de ouro. Um dispositivo de extração de prata que funcionasse a um valor de 0,5 litros / segundo muito mais razoável, iria mesmo em cerca de 1,5 anos. Se você colocou os dispositivos em locais fortemente poluídos pela prata, como o extremo sul da Baía de São Francisco, os rendimentos podem ser muito maiores, e reduzir os tempos ainda mais curtos. Os sedimentos na área contêm altas concentrações de vários outros tipos de minério. Além disso, a espécie dominante de prata na água do mar é um anião, AgCl-, que é ideal para uma técnica de diálise.


O método de extração do ouro da água do mar
segundo Henry Clay Bull
mediterranean seawater gold extraction plant
Sabe-se que o ouro existe na água do mar, e acredita-se que existe na forma de iodido de ouro. O objetivo da invenção de Henry C. Bull, é extrair esse ouro de forma simples e econômica, de modo que, não obstante o grande volume de água a ser tratado e as pequenas quantidades em que o ouro é encontrado, o objeto desejado pode ser efetuado com sucesso comercial.

Para a finalidade desta invenção, a água do mar é recolhida num tanque ou reservatório e é tornada alcalina pela adição de cal, de preferência sob a forma de leite de cal em estado cáustico, que combina com o iodo do iodido de ouro, formando-se iodido de cálcio, e o ouro sendo colocado livre se instala no fundo. Depois de ter sido permitido um tempo suficiente para a liquidação, a água é retirada ou de outra forma removida e o ouro é separado ou extraído da lama por qualquer meio adequado.
Veja mais sobre o método de Henry C. Bull clicando AQUI.

Amalgamador de Ouro
Esta técnica de recuperação de ouro a partir da água do mar não tem nada de novo, há muitos equipamentos com patentes desde o século XIX.
Você pode ver como um amalgamador funciona no link a seguir:
Amalgamador de ouro em tambor
(sem o uso do mercúrio)

Se trata de um grande tanque vertical com alguns eletrodos nele e uma carga de mercúrio no fundo do tanque onde a água do mar podera ser drenado para processamento. Uma tensão muito baixa como 1,5 volts excita o mercúrio para causar uma atração para ele na água do mar dentro do tanque. O plano era construir um barco e instalar a amálgama de ouro a bordo e colocar ao mar fazendo a água do mar circulando por esta unidade coletando o ouro da água. Este parecia ser um plano muito melhor, pois esta unidade pode ser montada em qualquer barco ou navio para trabalhar o tempo em que eles estivessem se movendo ou não. Qualquer tipo de bomba poderia ser usada para mover a água como uma bomba usando o movimento do vento para economizar energia.

Porém se essa fosse uma boa maneira de se enriquecer, muitos já teriam feito isso há anos atrás.

Veja as várias patentes deste tipo de máquinas clicando no link a seguir:
Amalgamator from sea gold water filter

O artigo em outros idiomas:
Seawater gold extraction, seawater gold extraction plant.
مياه البحر استخراج الذهب، مياه البحر استخراج الذهب النبات
Zeewater goudwinning, zeewater goudwinning installatie.
Extraction de l'eau de mer, Usine d'extraction d'or de l'eau de mer.
海水金抽出、海水金抽出プラント
добыча золота в морской воде, установка для добычи золота из морской воды
Meerwasser-Goldgewinnung, Meerwasser-Goldgewinnung.
Extracción de oro marino, Planta de extracción de oro marino.
Meriveden kultaus, Meriveden kultauslaitos.
समुद्री जल सोने का निष्कर्षण, समुद्री जल सोने के निष्कर्षण संयंत्र
Sjór gull útdráttur, sjó gull útdráttur álversins.
สกัดทองทะเล, โรงงานสกัดทองทะเล
Estrazione dell'oro di acqua di mare, impianto di estrazione dell'oro di acqua di mare.
Seawater ekstraksyon lò, izolè plant ekstraksyon lò.
Ekstraksi emas laut, pabrik ekstraksi emas laut.

Fontes:
http://www.creativitypool.com
https://pt.wikipedia.org
https://www.google.com/patents

Como criar seu próprio servidor caseiro

Como criar e ter um servidor em sua casa

Guardar seus arquivos de forma segura nunca foi tão fácil. Quem não gosta de armazenar seus dados com métodos tradicionais (pendrives, CDs, DVDs e HDs portáteis) pode muito bem usufruir de uma enorme variedade de serviços de armazenamento na nuvem como Dropbox, Google Drive e SkyDrive.



Contudo, digamos que você quer mais, muito mais. Não quer depender de servidores terceirizados, que podem muito bem apresentar problemas e sumir com seus documentos confidenciais em questão de pouquíssimos minutos. Embora seja pouco provável que os gigantescos datacenters da Microsoft ou da Google apresentem problemas, os mais neuróticos sempre mantêm essa possibilidade em mente.

Que tal montar seu próprio servidor de arquivos? Além de ser fácil e rápido, o procedimento é bastante barato, visto que você pode usar peças de PCs antigos que você não utilize mais (ou comprá-las em lojas de artigos usados). Além de armazenar de forma mais segura e privada os seus dados importantes, você também pode usar seu servidor para hospedar sites (economizando aquela graninha que você gastava no seu host).
O site Tecmundo ensina fazer tudo isso em apenas sete passos! Confira.

1- Monte o hardware
Caso você não tenha um computador antigo, terá que montar um PC especialmente para o servidor adquirindo algumas peças que podem ser facilmente encontradas em lojas de artigos de informática. Dar uma conferida em e-commerces de usados também é uma boa dica.
Você vai precisar de:
Uma placa-mãe (não precisa ser um modelo muito recente);
Um processador de pelo menos 2 GHz
(opte por um Intel Celeron é mais em conta ou então um Intel Dual Core E3300)
No mínimo 512 MB de memória RAM;


Um disco rígido da quantia que você desejar
(porém um HD Seagate de 1 TB e 7200 RPM seria o ideal).

2- Instale Linux

Não importa se você é um fã da Microsoft e não consegue se desapegar do clássico sistema operacional Windows: é necessário instalar o Linux para fazer seu servidor funcionar corretamente. Recomendamos que opte pelas distribuições Ubuntu ou Xubuntu. Ambas são completamente gratuitas e razoavelmente leves, não ocupando muito espaço em seu precioso disco rígido.


Instale a ISO gravando-a em um CD/DVD ou através de um pendrive bootável – clique aqui para aprender como fazê-lo, caso ainda não saiba. Importante: para os próximos passos deste tutorial, considere que utilizamos o Ubuntu 12.04 (um dos mais populares) para descrever as ações que você fará. Instalamos o SO em português.

3- Limpe o sistema operacional
Qualquer distro Linux vem repleta de softwares adicionais que devem ser desinstalados antes que você prossiga. Utilize o Synaptic (gerenciador de pacotes também incluso nas distribuições) para desinstalar programas como AbiWord, OpenOffice/LibreOffice, Thunderbird, Gaim, GIMP, Firefox, Rhythmbox etc.

Em seguida, cheque se o sistema operacional não possui atualizações disponíveis. Se houver, baixe e instale todas por questões de segurança, garantindo a estabilidade do seu servidor. Por fim, desative o bloqueio de tela (através do menu Configurações do sistema > Brilho e bloqueio).

4- Configure o compartilhamento de arquivos
Tudo pronto, hora de iniciar as configurações e todo o trabalho pesado. Antes de tudo, instale o Samba, o programa que fará seu computador atuar como servidor e permitir o compartilhamento de arquivos em rede. Você pode consegui-lo através do próprio Synaptic (pesquisando novas aplicações e marcando-o para instalação) ou pela Central de Programas do Ubuntu.
O app também está disponível no Baixaki.

Abra o terminal (Painel de controle > Terminal ou hotkey Ctrl+Alt+T) e digite sudo su para entrar no modo root. Será necessário reinserir a sua senha. Entre no diretório de instalação do Samba digitando cd /etc/samba. Escreva nano smb.conf e aperte Enter para iniciar o processo de configuração.

Apague todo o texto do documento (segure as teclas Ctrl+K até deletar tudo) e cole/digite o texto que pode ser encontrado neste link (substituindo “Name” e “Server Name” com o nome de usuário e nome da máquina). Salve o documento (Ctrl+O) e feche-o (Ctrl+X). É necessário especificar uma senha para acessar o Samba; para isto, digite o comando sudo smbpasswd -a. Por fim, reinicie os processos do programa, escrevendo sudo restart smbd e sudo restart nmbd.

5- Adicionando capacidade FTP
Abra o terminal outra vez (novamente: Painel de controle > Terminal ou hotkey Ctrl+Alt+T) e ganhe acesso root de novo (digitando sudo su e inserindo sua senha do SO). Escreva o comando sudo apt-get install proftpd para instalar o software ProFTPD. Quando você for questionado sobre o tipo de servidor que deseja configurar, escolha a opção “Standalone”.

Mude para o diretório de instalação com a mensagem cd /etc/proftpd/. Configure-o digitando o comando sudo nano /etc/proftpd/proftpd.conf. Substitua todo o conteúdo do arquivo que se abre pelo código que pode ser encontrado neste link.

Salve as configurações (Ctrl+O e em seguida Ctrl+X) e reinicie o servidor, inserindo o comando /etc/init.d/proftpd restart.

6- Configure o acesso Shell (SSH)
Ainda no terminal e em modo root, instale o OpenSSH (apt-get install openssh-server) e o VNC Server (sudo apt-get install vnc4server). Configure uma senha para este último aplicativo (digite vncpasswd e insira duas vezes uma senha de 6 caracteres). Crie um comando de login personalizado digitando sudo nano /usr/local/bin/sharex11vnc. Um novo arquivo será aberto e você deve colar/digitar o seguinte conteúdo dentro dele:

#!/bin/sh
x11vnc -nap -bg -many -rfbauth ~/.vnc/passwd -desktop "VNC ${USER}@${HOSTNAME}" \
|grep -Eo "[0-9]{4}">~/.vnc/port

Calma, ainda não acabou!
Defina os direitos do usuário através do comando sudo chmod 755 /usr/local/bin/sharex11vnc. Feche o terminal e permita que o script do VNC Server recém-criado seja iniciado junto ao Linux: percorra o caminho Painel de Controle > Aplicativos de Sessão e clique no botão “Adicionar”.
Escreva sharex11vnc nos dois primeiros campos da janela que se abre e dê um “Ok”.

Por fim, ative o login automático de sua conta no Ubuntu (percorrendo o caminho Aplicações > Configurações > Contas de Usuário e marcando a caixa de seleção “Iniciar sessão automaticamente”).

7- Divirta-se!
Finalmente, seu servidor está pronto, com todos os softwares configurados e login automático ativado! Retire todos os componentes inúteis da máquina (mouse, teclado, monitor e até mesmo o leitor/gravador de CD e DVD) e plugue o cabo de internet (não é recomendado utilizar conexão WiFi).

Para se conectar ao seu servidor, você pode usar diversos programas como o PuTTy ou o FileZilla. Na maioria das vezes, tudo o que você precisa fazer é definir o endereço IP do servidor (você deve conferir essa informação antes a partir do PC com Linux), informar a porta (5900) e o destino (localhost:5900).

Lembre-se também de que você pode instalar complementos à vontade de acordo com sua necessidade, como TorrentFlux, Apache, MySQL e phpMyAdmin

Fonte:

Como bloquear uma rede Wi-Fi ou Drone

A sua rede WI-FI anda sobrecarregada de intrusos que a invadem para roubar sinal?

Com este aparelho pode e apenas para fins educativos expulsar todos os clientes duma rede wifi.
O aparelho cabe no bolso (10x6.5x2.5cm) e utiliza uma bateria de 9v (não incluída).


Utilização:

O aparelho cria uma rede wifi virtual onde liga o seu telemóvel (ou computador), a partir daí, utilizando um interface web, pode escolher a rede wifi que pretende "testar" e o tipo de teste a fazer. 
Não necessita de saber a password da rede a testar.
Enquanto estiver a testar a rede, nenhum aparelho se conseguirá ligar a essa rede wifi.


Tipos de bloqueio:
Bloqueia todos os tipos de equipamentos que funcionam via WI-FI, como
Drones,
colunas de som, etc,etc.

Jammer Anti-Drone
Os Quadcopters UAV e os drones estão se tornando um incômodo e podem comprometer a sua privacidade à medida que estão se tornando mais baratos todos os dias e mais disponíveis. Nós carregamos uma gama especializada de interferentes projetados para distrucionar controle remoto (RC) de um drone / quadcopter ou seu sinal de gps ou wi-fi e a maioria deles será automaticamente aterrada lentamente ou subitamente.

A maioria dos drones / Quad-helicópteros comerciais de alta velocidade 3-5 km usa apenas 2.4Ghz WIFI e GPS L1. Todos os outros 5.8Ghz, 433mhz, 928Mhz podem controlar 500-1000m máx.

(este avião B737-700 da LAM colidiu com um drone antes de aterrar no aeroporto de Tete (TET) em Moçambique)

Alguns destes tipos de Jammers podem ajudar a combater drones que estejam na rota de aviões ou próximos de aeroportos.
São relatados, por pilotos, anualmente milhares de avistamentos e desvios de colisão com drones no mundo todo.
Fonte:
http://jammers4u.com/drones-jammer

Versões:
Com pilha de 9v (não incluída),
Com bateria (LiPo) recarregável (microUSB) para cerca de 12 horas de utilização.

O equipamento pode ainda vir com software de configuração zero e não é necessário smartphone ou computador, uma vez que não é necessário configurar nada. Neste caso, ao ligar o aparelho todos os clientes de TODAS as redes serão expulsos.

NOTA:
Este equipamento NÃO perturba nem provoca interferências nas comunicações e respeita todos os protocolos de comunicação.
Manual de utilização em Português (PDF).

618 visualizações

Como fazer células de combustível de hidrogênio HHO

Como transformar água em combustível para carro


...aprenda a fazer um gerador de hidrogênio paso a paso...
Como construir um gerador de combustível usando água e eletricidade que irá converter a água da torneira em um poderoso gás de queima limpa.

Um gerador oxyhydrogen, como este, usa eletricidade da bateria de carro para separar a água em gases hidrogênio e oxigênio. Juntos eles fazem um combustível que é muito mais poderoso do que a gasolina, e a única emissão liberada é vapor de água.

Como fazer gerador de hidrogênio caseiro:
Para este projeto, você vai precisar de aço inoxidável e alguns acessórios para tubos de poliuretano e de PVC
Utilize aço (304 - 316L) inoxidável de calibre 20, e com a ajuda de um punção hidráulico, faça furos precisos nas partes superiores e inferiores das placas.

Faça 12 placas medindo 3"x 6", 4 placas em 1-1 / 2"x 6", e três 1"  6", 4-1 / 2 "e 3 1/4 ".

Use uma lixadeira de cinta para suavizar as bordas irregulares ao redor dos buraco.

Em seguida use lixa de areia 100 lixa de areia cada uma das placas na diagonal. Você pode ver o padrão de "X" I lixado em ambos os lados das placas. Isto aumenta a área da superfície da placa, e irá ajudar na produção de mais gás.

As placas são unidas nesta configuração, utilizando hastes de plástico, anilhas de plástico e porcas de aço inoxidável para fazer as ligações eléctricas adequadas.

Em seguida, foi anexado no topo uma ficha ABS de 4" (101,60mm) com parafusos de aço inoxidável.

O gerador principal está terminado. Agora fazer o corpo.

O corpo é feito de dois conjuntos de parafusos de 4" ABS limpos, e com um 4 porcas e anilhas com um deles invertido e cimentado no fundo. Um tubo de acrílico grosso para o corpo e as placas do gerador e uma tampa de rosca. Um borbulhador de água é feita de forma semelhante, mas para o lado.


O borbulhador é feitos a partir de sucata de acrílico ou tubagens PVC, e colado ao lado do corpo.

O tubos de poliuretano, e uma válvula de retenção de uma via é adicionado ao topo do cotovelo, certificando-se que a válvula permitirá que o gás saia para fora, mas nada de voltar.

Eletrólito para gerador de hidrogênio:
O eletrólito é água destilada e cerca de 2-4 colheres de chá de KOH (hidróxido de potássio).

NOTA:
Sal ou bicarbonato de sódio também pode ser usado, mas podem sujar as placas ao longo do tempo.
 

A água é adicionada ao bubbler, em seguida, a tampa é colocada de volta, e os tubos de polietileno e PVC são ligados. 


Depois testá-lo com uma bateria de 12 volts e um cabo de ligação.


O gás que está se formando é recolhido em uma pequena garrafa PET para o teste.

As queimaduras de gás tão rápido que é quase explosiva, e a garrafa dispara para baixo da rua.

Instalado em um veículo, uma célula de combustível de hidorgênio se transforma em água, e isso é bom para o ambiente.

A água já neste sistema deve ser capaz de produzir vários milhares de litros de combustível hidrogênio. Para recarregá-lo, basta adicionar mais água com o eletrólito.

Assita ao video completo de como fazer uma célula de hidrogênio para carro:
(Certifique-se de adicionar as "legendas" e depois colocar a traduzi-las nas configurações do video)

Fontes:

Segue oficina70.com