Oficina70

Como saber se um metal é de prata

Quer seja para verificar a pureza de um acessório de prata, ou apenas para saber se as relíquias de família são valiosas ou não, saiba que você pode fazer testes para avaliar a qualidade e a autenticidade da sua peça de prata.

A prata é um metal precioso e um elemento químico versátil.
A prata mais utilizada na fabricação de joias e acessórios é a prata de lei, que é composta de, aproximadamente, 92,5% de prata e 7,5% de cobre. Essa composição é mais dura do que a prata pura. Isto porque a prata pura é mais mole e, muitas vezes, chamada de "prata fina". Muitos produtos folheados a prata, frequentemente, podem ser confundidos com produtos de prata pura. O banho de prata é um procedimento eletrolítico usado para revestir um objeto com uma fina camada de prata.

Nas etapas a seguir, você aprenderá como testar sua peça de prata:

Procurando por Marcas na Peça

Procure por um selo ou marcas na peça. Geralmente os artigos comercializados internacionalmente como sendo de prata devem receber um selo ou uma marca que indica a qualidade do metal. Se seu produto não possui nenhuma marca ou selo, pode ser que ele tenha sido fabricado com prata pura, mas em um país cujas normas não exigem essa indicação.

Leia a classificação internacional do selo. Com a ajuda de uma lupa, leia o selo ou a marcação da peça. As peças vendidas internacionalmente receberão a marcação de prata 925, 900 ou 800. Estes números indicam a porcentagem de prata fina usada na peça. Um selo de 925 significa que a fundição da peça é composta por 92,5% de prata pura e 7,5% de outros metais. Um selo de 800 ou 900 significa a fundição da peça é composta por 90% ou 80% de prata e, frequentemente, é chamada de "moeda" de prata, porque geralmente contém cobre em sua mistura.

Marks of contrast of the convention of vienna
Em muitos países europeus peças de pratas apresentam "Marcas Legais de Contrastarias" ao abrigo da "Convenção de Viena" na qual os fabricantes garantes a legitimidade das peças sob marcas que identificam peças e jóias produzidas em prata de lei.

Testando as Qualidades Magnéticas
Encontre um ímã. De preferência, se puder usar um ímã forte, como o ímã de terras raras chamado neodímio, você conseguirá determinar com muito mais exatidão a autenticidade da peça, porque a prata não é magnética.
A notar que nem sempre um pingente ou berloque são de prata e que todas as molas das argolas ou mosquetões que prendem a corrente de uma jóia são de aço ou outro metal e este sim vai agarrar a um imã como descrito na foto acima, isto porque como sabemos a prata é um metal macio e não iria aguentar este trabalho.

Segure o ímã próximo da prata. O ímã não deve ficar em contato com a peça. No entanto, se estiver usando um ímã potente, você perceberá um leve movimento na peça, já que, tecnicamente, a prata é paramagnética. Porém, é preciso usar um ímã realmente potente.

Tenha em mente que existem alguns outros metais que também são repelidos pelo ímã e que podem se parecer com a prata. O ideal é realizar o teste magnético juntamente com outro teste, para ter certeza de que os resultados são verdadeiros.

Tente o teste de deslizamento. Se estiver testando barras de prata, existe outra maneira de você saber se sua prata é autêntica ou não. Segure a barra de prata na posição inclinada, de forma que ela fique em um ângulo de 45 graus. Coloque o ímã sobre a barra de prata. Ao contrário do que se espera, se a barra for de prata pura, o ímã deverá deslizar lentamente sobre a superfície da barra. Isso ocorre porque o campo magnético do ímã em si causa um efeito de frenagem electromagnético que retarda o deslizamento do ímã.

Teste com Gelo
Pegue uma pedra de gelo, mas retire-a do freezer apenas quando for realizar o teste. Embora possa parecer que gelo e prata não combinam, a prata é o metal com o maior poder de condutividade térmica.

Este teste funciona bem com barras e moedas, mas é mais difícil de ser realizado em joias de prata.

Coloque a pedra de gelo dobre a prata. Não tire os olhos da prata. O gelo começará a derreter imediatamente, como se tivesse sido colocado sobre uma superfície quente, muito mais rápido do que quando é colocado sobre uma superfície com temperatura ambiente.

Teste do Som
Tente o teste do som. Quando batemos em um objeto de prata com outro metal, ela emite um som parecido com o de um sino.

Bata a sua peça de prata. Procure bater suavemente para não amassá-la, principalmente se for uma moeda. Bata levemente uma moeda na outra. Se a composição da sua peça contiver uma quantidade muito grande de metais misturados, a peça emitirá um som muito grave, mas se ela for composta de prata pura, o som será mais agudo, como a de um sino.
Impossível fazer este teste em jóias então tente outro teste para as suas jóias de prata.

Teste de Análise Química
Faça um teste químico na peça. Se a peça não tiver nenhuma marcação ou selo, faça uma análise química para verificar a sua autenticidade. Para isso será necessário utilizar luvas. Você usará um ácido corrosivo para realizar esse teste, e esse tipo de substância pode causar queimaduras na pele, portanto este teste merece muita atenção.

Se o ácido nítrico entrar em contato com sua pele, lave-a imediatamente. Essa substância é corrosiva. Após enxaguar bem a pele, aplique bicarbonato de sódio na área atingida pelo ácido nítrico afim deste cortar qualquer vestígios da ácidez.

Tenha em mente que este método poderá causar pequenos danos em sua peça de prata. Se você pretende vender a peça ou deseja submetê-la à avaliação para saber seu real valor, aconselhamos realizar algum outro tipo de teste descrito neste artigo.

Compre um teste de ácido para prata. Você pode comprar estes produtos pela internet ou em lojas para suprimentos de joalheria. Esses ácidos são ótimos para prata pura, mas se você acredita que sua peça é folheada, você terá que fazer uma marca na peça, para revelar o metal que está sob o banho de prata.

Faça um pequeno arranhão em um lugar discreto na peça de prata. Isso é necessário para a reação do ácido. Risque a peça usando um pedaço de metal. Arranhe a superfície até o ponto de conseguir ver a camada que está embaixo do banho de prata.

Se não quiser riscar sua peça, ou correr o risco de ter a peça marcada pelo ácido, use uma placa de pedra preta chamada de pedra de toque. Essa placa geralmente é fornecida com o kit de teste, ou pode ser comprada na mesma loja na qual você comprou o kit. Esfregue a peça de prata na superfície da pedra preta, de forma que fique um depósito espesso e relativamente grande na pedra na peça. Procure esfregar uma área de 2,50 cm de espessura na peça.

Aplique apenas uma gota de ácido na superfície arranhada. Se o ácido atingir qualquer área da peça que não esteja riscada, ele danificará o polimento da peça. Se você estiver usando a pedra preta, coloque também uma gota de ácido na linha que ficou na pedra depois que a peça foi esfregada nela.

Analise a cor que aparece na peça. Você terá de analisar a cor que aparece na parte arranhada, à medida que o ácido penetra na peça. Siga as instruções e a escala de cores do teste para prata.

Em geral, a escala de cores é a seguinte:
Vermelho Vivo: Prata Pura
Vermelho Mais Escuro: Prata 925
Marrom: Prata 800
Verde: Prata 500
Amarelo: Chumbo ou Estanho
Marrom Escuro: Bronze
Azul: Níquel

Teste com Água Sanitária (Q-boa, lixívia)
A prata mancha muito rapidamente quando é exposta a um agente oxidante poderoso, como a água sanitária comum.

Simplesmente coloque uma gota de água sanitária em sua peça.

Observe se surge algum tipo de mancha ou reação. Se logo em seguida aparecer uma mancha preta na peça, significa que ela é de prata.
Observe que as peças folheadas de prata ficarão manchadas.
E igualmente este teste não é recomendado para jóias ou peças de coleção.

Se por acaso isto vier a acontecer, então saiba como limpar prataria:

Dica:
Se for comprar prata, tente comprar suas jóias ou barras de prata de fontes confiáveis, como joalherias conhecidas ou de renome.

Fontes:

Como cupins e formigas podem ajudar a descobrir ouro

Cupins e formigas mineiros

Minas normalmente são encontradas por geólogos, usando técnicas como geoquímica e geofísica.
Mas agora eles estão recebendo uma mãozinha dos entomologistas, biólogos especializados em insetos.
Entomologistas australianos descobriram que cupins e formigas são excelentes indicadores da existência de minas de ouro e outros minerais.
No primeiro teste da nova técnica, um cupinzeiro com uma concentração anormal de ouro indicou a existência de um grande depósito aurífero até então desconhecido no subsolo do local.

Assinaturas minerais
"Estamos usando insetos para ajudar a encontrar ouro e outros depósitos minerais. Estes recursos estão se tornando cada vez mais difíceis de encontrar porque grande parte da paisagem australiana é coberta por uma camada de material erodido que mascara o que está escondido nas profundezas," disse Aaron Stewart, do centro de pesquisas CSIRO.

Mas nada fica escondido dos cupins e formigas, que escavam profundamente abaixo da camada erodida, alcançando estratos que revelam traços daquilo que está escondido ainda mais abaixo.

E, para sorte dos mineradores, eles trazem essas "assinaturas minerais" para a superfície.

Cupins são usados para encontrar ouro na Austrália
Termites are used to find gold in Australia
Imagens do corpo de um cupim mostrando a concentração de outros cinco metais - cobre (Cu), zinco (Zn), ferro (Fe), cálcio (Ca) e manganês (Mn). [Imagem: Stewart et al./Plos]

A expectativa dos pesquisadores é que a análise química dos cupinzeiros e formigueiros, e mesmo dos insetos, evite as caras e frequentemente infrutíferas perfurações de sondagem que são feitas em busca dos minerais no subsolo.

Afinal, os insetos já fizeram toda a perfuração e trouxeram os testemunhos de sondagem para a superfície.

Cálculos de ouro
O Dr. Stewart demonstrou também que os insetos trazem a assinatura dos metais presentes no solo bem impressa em seus corpos.

"Nós descobrimos que os metais se acumulam no sistema excretor dos cupins," diz ele.

"Ainda que os insetos não concentrem metais em seus corpos, eles se livram ativamente dos metais em excesso. Este processo se revela pela formação de pequenas pedras, muito parecidas com as pedras nos rins das pessoas. Esta descoberta é importante porque essas excreções são uma força atuante na redistribuição dos metais próximo à superfície," explicou Stewart.

E um indicador muito forte de que algo valioso pode estar se escondendo por debaixo dos cupinzeiros.

Os resultados deverão atrair a atenção de cientistas de outras partes do mundo, sobretudo em países ricos em minerais como o Brasil e a África do Sul.
Áreas de exploração de ouro com cupins na Guiné Conakri.

Notas:
Da próxima vez que ver um cupinzeiro não o ignore, observe o material de terra que agrega o cupinzeiro, retire um pedaço e leve para fazer testes caseiros moendo o agregado e utilizando o método de garimpo com bateia.

Fontes:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Segue-nos e partilhe com amigos...