Mostrar mensagens com a etiqueta Lonsdaleita. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Lonsdaleita. Mostrar todas as mensagens

Teste da Lonsdaleita vs bola de alumina

Teste de Lonsdaleíta
(lonsdaleite test)
Teste da Lonsdaleita vs bola de alumina
Amostra analisada pelo Laboratório GIG em junho de 2020 e vendida como Lonsdaleite Diamond

Testar Lonsdaleíta
O Laboratório GIG-Gulf Institute of Gemology, recebeu de um cliente uma esfera quase redonda polida, branca e opaca, pesando cerca de 100 ct, para análise.
Mantendo a ética, o laboratório e a equipe nada perguntaram sobre o histórico da amostra antes do término dos testes realizados para identificar o material.
A equipe do laboratório realizou várias análises na amostra, desde as observações padrão, que podem ser observados na tabela 1 abaixo, até aplicações de mais alta tecnologia.
testar Lonsdaleita e bola de alta alumina

Particularmente, através do microscópio óptico, foi observado um conglomerado de estrutura de grãos muito pequenos.
Além disso, o cordão apresentou fluorescência incomum no teste da lâmpada de madeira (wood lamp, também é conhecido como teste de luz negra ou teste de luz ultravioleta): amarelo irregular com intensidade média nas ondas longas (365 nm) e azul farináceo médio nas ondas curtas (254 nm).
O teste da gravidade específica resultou em 3,53.
A composição química foi avaliada pelo ED-XRF e a distribuição relativa dos elementos é relatada na tabela 2 abaixo.
A alta concentração de Alumínio deve ser observada.
teste de Lonsdaleita e bola de alta alumina

As informações químicas foram integradas por análise micro-Raman. Esta técnica revela-se particularmente útil para identificar fases minerais, sem qualquer preparação de amostra. Graças ao microscópio óptico acoplado ao espectrofotômetro Raman, a fonte do instrumento foi focada em diferentes pontos da superfície da amostra e um espectro como o relatado na figura abaixo foi realizado.
teste de espectrofotômetro Raman
As bandas em 418 e 380 cm sem qualquer preparação de amostra.
Espectro Raman adquirido pelo espectrofotômetro Renishaw InVia, focando a fonte do laser do instrumento (514,5 nm) na superfície da amostra, na faixa entre 150 e 1800 cm-1.
espectrofotômetro Renishaw InVia
Espectrofotômetro Renishaw InVia

As bandas em 418 e 380 cm-1 observadas no espectro Raman são consistentes com aquelas relatadas para a fase mineral Coríndon.

Resultado final e conclusivo do laboratório gemológico:
Cruzando todos os dados adquiridos pelo laboratório, o diagnóstico final para a amostra resultou consistente com composto cerâmico de alumina.

Contacto com o cliente:
“Bola de alumina” ou “diamante Lonsdaleíta”?
teste de Lonsdaleita e bola de alta alumina
Para um laboratório gemológico, um dos momentos mais tristes é quando um material falsificado deve ser revelado ao cliente, principalmente se o laboratório for consultado para o serviço de laudo após a conclusão das transações e a compra do objeto.
A amostra do caso apresentada acima foi comprada como “diamante Lonsdaleita”.
Após esta descoberta, a equipe GIG (Gulf Institute of Gemology), decidiu examinar mais profundamente sobre a presença de Lonsdaleita no comércio de joias na região do Golfo. Pelo que sabemos, o número de amostras de lonsdaleíta, ou presumivelmente, não é muito alto, mas todas têm o mesmo aspecto: esfera branca redonda e quase redonda.
O que é particularmente interessante é a difusão online de vídeos que descrevem essas esferas como “diamantes lonsdaleíta”, “diamantes estrelas” ou “diamantes hexagonais”, suas características fascinantes e, em alguns casos, como distinguir entre “bolas de lonsdaleíta” e “bolas de alumina ”, usando sistemas do
 faça-você-mesmo (DIY).
Na verdade, a lonsdaleíta é uma fase extremamente rara, enquanto “bolas de alumina” são materiais muito comuns e relativamente baratos, sintetizados para fins industriais.

Portanto, a questão conseqüente é: pode a Lonsdaleita aparecer como uma esfera branca? Até onde sabemos, nenhuma referência científica de revisão por pares relata uma descrição de lonsdaleita consistente com uma esfera branca!

Esperamos ter o ajudado e esclarecido este assunto tão mau difundido na WEB.

Saiba mais sobre a Lonsdaleíta:

Esferas de alta alumina:

Lonsdaleita, saiba o porque de toda esta confusão:


Fontes:

Lonsdaleíta, porque toda essa confusão

Pedra Lonsdaleíta, porque toda essa confusão?
Pedra Lonsdaleíta, porque  toda essa confusão
Bola de alta alumina ou Lonsdaleita?

Saiba o que esta por trás de toda esta confusão sobre
a pedra Lonsdaleíte e a Esfera de Alta Alumina

Só lembrando que o nome Lonsdaleíta foi em "homenagem" a Kathleen Lonsdale, uma cristalógrafa e que ao contrário do que muitos pensam, não foi ela quem descobriu a Londaleíta.
Kathleen Lonsdale, cristalógrafa
cristalografia é a ciência que tem como objeto de estudo a disposição dos átomos em sólidos.
É também a ciência experimental que estuda o cristal, ou cristais.
Kathleen Lonsdale usava métodos de difração de raios-X para elucidar estruturas cristalinas. Ela foi a primeira a usar métodos espectrais de Fourier enquanto resolvia a estrutura do hexaclorobenzeno.

Desvendando o mistério à volta da rara pedra Lonsdaleíta
O que Kathleen Lonsdale fez foi mostrar o modelo da estrutura cristalina da Lonsdaleíta.
Dame Kathleen Lonsdale, crystallographer.
Basicamente um indivíduo "esperto", olhou para o modelo da estrutura cristalina da Lonsdaleíta e pensou que aquela bola branca de ligação da estrutura fosse a tão rara pedra vinda de um meteoro.
fake lonsdaleite
Ai associaram aquilo a isto,
bola de alta alumina

Lonsdaleita, como já escrevemos em nosso artigo, é um alótropo de carbono, é uma forma rara e mais dura de diamante encontrada em meteoritos.

Estrutura cristalina de lonsdaleíta (diamante hexagonal)
Lonsdaleíta é chamado de diamante hexagonal por causa da sua estrutura cristalina, como no modelo da imagem acima;
e na imagem a abaixo vemos a estrutura natural do diamante hexagonal, conhecido como Lonsdaleíta. Entendeu?
A rede de diamante hexagonal é um arranjo de elementos ligados por tetraedro, dentro de uma célula unitária hexagonal. Enquanto o diamante convencional (também conhecido como diamante cúbico) existe dentro de uma célula unitária cúbica, o diamante hexagonal existe dentro de uma célula unitária hexagonal. Em ambos os casos, os elementos são ligados tetrahdralmente.


Então, o que confundiu o primeiro indivíduo que difundiu tal confusão foi o modelo da estrutura do cristal de lonsdaleíta.
Os cristais de grafite naturais refletem a estrutura do cristal hexagonal.
Os cristais de grafite naturais refletem a estrutura do cristal hexagonal.

Bola de alta alumina não é Lonsdaleíta.
Saiba mais sobre bola de alta alumina no link a seguir:

Espero que desta vez este assunto esteja elucidado.
OK?
ok, alumina balls

Envia este artigo para aquele seu amigo que gastou uma fortuna comprando uma esfera de alta alumina que é usada em tambores de moagem nas industrias siderúrgicas, de mineração e outras.

Fontes:

Bola de alta alumina

 Bola de alumina ou diamante Lonsdaleíta?

esfera de alta alumina ou Lonsdaleite
Esfera de alta alumina, erroneamente nomeada como Lonsdaleita.

Densidade da Lonsdaleíta: 3,2 a 3,5.
Diamante hexagonal extremamente raro.

Bola de Alumina: densidade de 3,65 até 3,85.
Esferas de moagem, muito usado por indústrias siderúrgicas e moagem de pedras e minerais.
fake meteor, fake lonsdaleite
Bola de alta alumina.

Muito provavelmente você já tenha visto a imagem acima (esfera de alta alumina) em sites como o Mercado Livre, OLX, eBay, Marktplace, MFRural, Alibaba, AliExpress, etc, etc.
falso meteorito lonsdaleita
Falso meteorito lonsdaleite.

Elas são anunciadas e vendidas como se tratasse de Lonsdaleita, que é um raro diamante hexagonal vindo de fora da Terra via meteoro.

Lonsdaleíta, o que é?
Lonsdaleita nós já explicamos o que é no seguinte link:

Agora nós vamos explicar o que é a Bola de Alumina
As esferas de alumina são fabricadas para diversas finalidades na indústria em geral, são itens utilizados como elementos de moagem ou bolas de alta alumina para moagem, esferas de vedação, esferas para rolamento, esferas para válvulas, esfera de precisão, suporte para catalisadores, sendo que todos estes itens também podem ser produzidas em zircônia PSZ.

As esferas de alumina para moagem são utilizadas em processos de moagem a seco ou via úmido.

Quando fabricadas em zircônia, as esferas para moagem são mais densas podendo chegar a 6,1 g/cm3 quase o dobro das esferas de alumina.
Quando as esferas para moagem são fabricadas a partir de alta alumina, com teor acima de 90%, elas tem densidade de 3,65 g/cm3 até 3,85 g/cm3 muito superior às de porcelana, e tem um melhor rendimento custo/benéfico, além de serem mais resistentes do que outros similares para moagem como ágata e seixos de sílex por exemplo.

As esferas de alta alumina tem baixo coeficiente de desgaste, alta dureza 9 mohs, e excelente resistência química e térmica.

Estas esferas de alta alumina depois de servirem o propósito e reduzirem seu tamanho são jogadas fora, sendo que poucas são reaproveitadas.
Não o bastante alguém quando as encontram irá realizar uma pesquisa devido a sua alta dureza, então caem em sites que não explicam nada e acabam por confundir mais o leitor induzindo-o ao erro.

Fake lonsdaleíta
fake meteor diamond, lonsdaleite

Se você conhece alguém que esta a pesquisar sobre isto, envie este artigo.
Se você comprou ou vai comprar uma destas bolas, envie estes links de artigos à pessoa que o vendeu ou que deseja lhe vender uma destas esferas.

Não se deixe enganar, estar (bem) informado é questão de direito e conhecimento.


Fontes:

Lonsdaleíta, saiba o que é

Diamante lonsdaleíta
A lonsdaleita (diamante hexagonal) é um dos materiais mais recentes e raros pesquisados pelos cientistas e é caracterizada por propriedades surpreendentes. Uma das suas principais características é estar correlacionado com o diamante, no que diz respeito à composição química e estrutura cristalina, e com os meteoritos, devido ao seu mais conhecido processo de formação. Graças a essas propriedades, recentemente este material atraente chamado “Lonsdaleite Diamond” ou “Stars Diamond” começou a circular em alguns mercados de gemas e minerais preciosos.
O objetivo do presente artigo é puxar alguns fios e desvendar a Lonsdaleita, o que é, quais são as pesquisas e o que realmente é possível encontrar no comércio, se é que se podem ser encontrados, uma vez que o que se conhecem são muito mas muito pequenos.

Lonsdaleíta, o que é toda essa confusão?
Muito provavelmente você já tenha ouvido falar nela e até pensado em comprar um, mas não se engane com aquelas bolas brancas que vendem na internet como sendo o tão raro Diamante Lonsdaleite.
Porém, se você já comprou uma dessas bolas brancas muito duras nós vamos explicar porque é que você foi enganado.

O que é Lonsdaleíta?
Lonsdaleite (nomeado em homenagem a Kathleen Lonsdale ), também chamado de diamante hexagonal em referência à estrutura cristalina, é um alótropo de carbono com uma rede hexagonal, ao contrário da rede cúbica do diamante convencional. É encontrado na natureza em detritos de meteoritos; quando meteoros contendo grafite atingem a Terra, o grande calor e estresse do impacto transforma a grafite em diamante, mas retém a estrutura de cristal hexagonal da grafite.
Lonsdaleita foi identificada pela primeira vez em 1967 a partir do meteorito Canyon Diablo, onde ocorre como cristais microscópicos associados ao diamante comum.

A imagem acima é o que mais próximo se pode ter de idéia da Lonsdaleíta, no entanto não confunda, isto é apenas para uma comparação e se trata de um Tectito.

Lonsdaleita é translúcido, amarelo acastanhado e tem um índice de refração de 2,40–2,41 e uma gravidade específica de 3,2–3,3. Sua dureza é teoricamente superior à do diamante cúbico (até 58% a mais), de acordo com simulações computacionais, mas os espécimes naturais exibiram dureza um pouco mais baixa em uma grande faixa de valores (de 7–8 na escala de dureza de Mohs). A causa é especulada como sendo devido às amostras terem sido crivadas de defeitos de rede e impurezas.

Propriedades Físicas da Lonsdaleita
Lustre: Adamantino
Transparência: Transparente
Cor: Transparente amarelo acastanhado, acinzentado
Dureza: 7 - 8 na escala de Mohs
Dados de dureza: medido
Comentário: imperfeições na Lonsdaleita natural reduzem a dureza, o material artificial foi testado mais duro do que o diamante (> 10). "A Lonsdaleite é simulado para ser 58% mais duro que o diamante na face <100> e para resistir a pressões de indentação de 152 GPa, enquanto o diamante quebraria em 97 GPa. Isso ainda é excedido pela dureza da ponta do diamante IIa <111> de 162 GPa. ”
Densidade: 3,2 g/cm3 (medido) até 3,51 g/cm3 (calculado).

Como se forma a Lonsdaleita
lonsdaleita, sistema cristalino hexagonal
Sistema cristalino hexagonal da Lonsdaleíta.

Lonsdaleite, originalmente descreve a forma hexagonal do carbono e representa um dos polimorfos da série do carbono, incluindo o diamante e as fases do mineral grafite. Na verdade, a estrutura cristalina da Lonsdaleita é hexagonal e a composição química é C; por estes motivos também é denominado “diamante hexagonal”.
Este mineral foi descoberto pela primeira vez há cerca de 50 anos no meteorito de ferro Diablo Canyon; sua formação foi atribuída à transformação induzida por choque de grafite dentro do meteorito após o impacto com a Terra.

Sistemas cristalinos do Diamante e do Grafite.

Esses diamantes de impacto são agregados policristalinos compostos predominantemente por nanopartículas de diamante cúbico e hexagonal e grafite cristalina residual.

No entanto, essa definição é hoje fortemente discutida pelos cientistas:
Németh et al. (2014) hipotetizaram que “lonsdaleíta” não existe como um material discreto e demonstraram que é um diamante cúbico defeituoso e geminado. Ele também mostrou que outros polimorfos de carbono relatados podem ser explicados por falhas de geminação e empilhamento.
Por outro lado, Kraus et al. (2016)Turneaure et al. (2017) provaram a formação de lonsdaleíta (ao lado do diamante), como uma espécie separada, gerada por compressão de choque de grafite. A lonsdaleita também recebeu muita atenção por causa de suas propriedades mecânicas potencialmente superiores, como resistência à compressão, dureza e rigidez, que rivalizam ou excedem as do diamante cúbico. No entanto, essas propriedades excepcionais não foram provadas experimentalmente devido à incapacidade de sintetizar lonsdaleita como uma fase pura. Por exemplo, durante o processo de síntese dos diamantes nano-policristalinos (NPD), a gênese das lamelas de Lonsdaleita, fortemente associadas aos grãos de diamante cúbico, tem sido hipotetizada.

A lonsdaleíta é um material muito raro na Terra, encontrado como pequenos grãos associados a diamantes cúbicos e grafite em meteoritos de ferro, as camadas de um mesmo grão correspondentes a diamante, grafita e lonsdaleita só podem ser distinguidas por instrumentos muito sofisticados, capazes de trabalhar em escala nanométrica. Além disso, atualmente não é relatado um cristal puro massivo e relativamente grande (escala milimétrica) de lonsdaleita, nem natural nem sintético.

Lonsdaleita sintética
Além dos depósitos de meteoritos, o diamante hexagonal foi sintetizado em laboratório por compressão e aquecimento de grafite em uma prensa estática ou usando explosivos.
Lonsdaleita também foi produzida por deposição química de vapor, e também pela decomposição térmica de um polímero, poli (hidridocarbyne), à pressão atmosférica, sob atmosfera de argônio, a 1.000° C.

Locais onde ocorre a lonsdaleita
A lonsdaleita ocorre naturalmente em depósitos de diamante não-bólido na República Sakha. Material consistentes com Lonsdaleita foram encontrados em sedimentos com datas altamente incertas no Lago Cuitzeo, no estado de Guanajuato, México, pelos proponentes da controversa hipótese de impacto de Younger Dryas.
Lonsdaleita também foram encontrados ao redor do Evento de Tunguska e na cratera Popigai ambas na região da Sibéria, Rússia.
Nos EUA é encontrado no Canyon Diablo (cratera Barringer no Arizona), e em outras crateras ou áreas de 'impacto'.


Bola de alumina ou diamante Lonsdaleite?
bola de alumina ou diamante Lonsdaleite
Bola de alumina, erroneamente nomeada como Lonsdaleita.

Densidade da Lonsdaleíta: 3,2 a 3,5.
Diamante hexagonal extremamente raro.

Bola de Alumina: densidade de 3,65 até 3,85.
Esferas de moagem, muito usado por indústrias siderúrgicas.

Lonsdaleíta, saiba o porque de toda esta confusão?

    Quer saber mais sobre bola de alta alumina?
clica no link a seguir:


Fontes: