Pedras preciosas de Portugal

Pedras preciosas encontradas em Portugal
Portugal Gemstones

Esta Base de Dados apresenta a caracterização ilustrada de algumas amostras selecionadas do vasto acervo de rochas, minerais e fósseis do Museu Geológico e de outras fontes como o Mindat ou da Wikipédia.

Devido à grande ocorrência de minerais em Portugal, este artigo contém apenas algumas informações das pedras preciosas e semi preciosas como as suas principais características ou locais de ocorrências, por exemplo.
A pedra preciosa de maior valor encontrada em Portugal é o Topázio, porém só alcançam valores de tabela se os espécimes forem bem cristalinos e com qualidade gemológica. Não há diamantes em solo português.

As imagens das amostras são das Coleções de Rochas, Minerais e Fósseis do Museu Geológico - GEOBASES via GeoPortal Ineg e do Mindat.org

Pedras Preciosas de Portugal:

Âmbar
âmbar - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Âmbar
Estrada do Algueirão, lugar de Morés - Sintra

Dureza: 2 a 2,5
Cor: Amarelo-mel; Laranja; Branco amarelado a Vermelho jacinto
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Resinoso
Densidade: 1 a 1,1
Ocorrência: Abundante (localmente)
Génese: Corresponde a uma resina petrificada de coníferas mesozóicas e cenozóicas
Paragénese:
Caract.Particulares: Funde-se facilmente na chama de uma vela, libertando um odor adocicado característico; Por vezes apresenta inclusões de H2S, sendo também frequente encontrarem-se fósseis de insectos aprisionados no seu interior; Se for friccionado atrai algodão ou outras substâncias leves, devido à electricidade estática acumulada
Aplicações: Pedra preciosa; Fabrico de objectos de arte; Jóias facetadas
(âmbar é considerada uma das pedras orgânicas)

Andaluzite
andaluzite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Andaluzite (Quiastolite)
Caminha - Caminha

Dureza: 6,5 a 7,5
Cor: Cinzento; Castanho; Verde escuro; Rosado
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Baço
Densidade: 3,1 a 3,2
Ocorrência: Abundante, especialmente em gneisses, xistos micáceos e em alguns pegmatitos
Génese: Metamórfica (frequentemente associada a metamorfismo de contacto, em especial nas auréolas metamórficas que fazem o contacto entre intrusões igneas e rochas pelíticas)
Paragénese: Rútilo; Quartzo; Turmalina; Granadas; Corindo; Topázio; Cordierite; Silimanite;
Caract.Particulares: A variedade quiastolite apresenta uma tonalidade escura, que resulta do facto deste mineral conter inclusões carbonáceas, dispostas regularmente, em forma de cruz
Aplicações: Porcelanas com elevado índice refractário; Os exemplares transparentes podem ser utilizados como gemas.

Apatite
apatite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Apatite
Mina da Panasqueira - Fundão

Dureza: 5
Cor: Branco; Amarelo; Verde; Azul; Violeta; Vermelho; Castanho
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Resinoso; Gorduroso
Densidade: 3,16 a 3,22
Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática; Pegmatítico-Pneumatolítica; Hidrotermal; Sedimentar; Metamórfica
Paragénese: Fluorite; Arsenopirite; Cassiterite; Topázio; Quartzo; Actinolite; Clorite; Ortose; Nefelina; Clinocloro; Epídoto;
Caract.Particulares: Este mineral é facilmente dissolvido em ácido clorídrico
Aplicações: Adubos artificiais; Indústria química; As variedades transparentes por vezes são utilizadas como gemas.

Azurite
azurite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Azurite
Mina de Minancos - Barrancos

Dureza: 3,5 a 4
Cor: Azul
Risca: Azul claro
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo
Densidade: 3,7 a 3,9
Ocorrência: Muito abundante
Génese: É um mineral secundário que ocorre nas zonas oxidadas dos depósitos de cobre
Paragénese: Calcosite; Cuprite; Malaquite; Limonite; Calcopirite; Gesso; Cerussite; Dolomite; Quartzo; Barite;
Caract.Particulares: Faz efervescência com o ácido clorídrico
Aplicações: Minério de cobre (importância secundária); Corantes; Por vezes como pedras preciosas.

Berilo
berilo - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Berilo
Mangualde - Mangualde

Dureza: 7,5 a 8
Cor: Incolor; Branco; Amarelado; Amarelo esverdeado; Verde; Rosa; Azulado; Azul esverdeado; Vermelho; Amarelo dourado
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Baço
Densidade: 2,63 a 2,80
Ocorrência: Rara
Génese: Pegmatítico-pneumatolítica; Hidrotermal; Metamórfica
Paragénese: Ortose; Quartzo; Cassiterite; Turmalina; Topázio; Albite; Lepidolite;
Caract.Particulares: Uma curiosidade interessante diz respeito ao facto do berilo ser incolor. Assim as cores que dão grande valor económico às variedades deste mineral, sendo mesmo consideradas como gemas e pedras precisosas (e.g. esmeralda, água marinha), resultam de pequenos defeitos existentes na rede cristalina deste mineral. No caso da esmeralda a sua cor resulta da presença de crómio, enquanto que no caso da água-marinha resulta da existência de ferro
Aplicações: Indústria aeronáutica e espacial (ligas leves); Algumas variedades são lapidadas e utilizadas como pedras preciosas (e.g. esmeralda, água-marinha).
Berilo na variedade água-marinha são encontradas em Montalegre, Vila Real.

Calcite
calcite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Calcita
Serra do Monsanto - Lisboa

Dureza: 3
Cor: Incolor; Branco; Amarelo; Castanho; Avermelhado; Azulado a negro
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo a nacarado
Densidade: 2,6 a 2,8
Ocorrência: Muito abundante
Génese: Hidrotermal; Sedimentar; Metamórfica; Magmática
Paragénese: Dolomite; Quartzo; Argilas; Galena; Esfalerite (Blenda); Fluorite; Barite; Celestite; Enxofre; Ouro; Cobre; Esmeralda; Apatite; Biotite; Zeólitos; Calcopirite; Siderite; Pirite; Dióptase;
Caract.Particulares: A dureza da calcite é variável, dependendo do plano onde é observada, assim ao longo dos planos de clivagem é 3, sendo 2,5 na base do mineral; Faz efervescência quando em contacto com ácido clorídrico; Quando um cristal transparente é colocado sobre uma linha simples, através deste é possível observarem-se duas linhas. Este fenómeno é denominado por "Efeito da dupla refracção"
Aplicações: Óptica; Fabrico de cimento; Construção cívil; Metalúrgia; Vidraria; Material de decoração; Objectos de arte; Se for lapidada pode ser usada como pedra preciosa.

Cassiterite
cassiterite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Cassiterite
Mina do Massueime, Cótimos - Trancoso

Dureza: 6 a 7
Cor: Castanho; Negro; Amarelo; Cinzento
Risca: Branco; Castanho claro
Transparência: Translúcido; Raramente transparente
Brilho: Adamantino; Sub-metálico
Densidade: 6,8 a 7
Ocorrência: Frequente
Génese: Pegmatítica; Hidrotermal; Secundária nas aluviões
Paragénese: Volframite; Arsenopirite; Apatite; Fluorite; Scheelite; Topázio; Albite; Quartzo; Berilo; Moscovite; Ortose;
Caract.Particulares: Este mineral é facilmente identificado pois apresenta uma densidade elevada
Aplicações: Minério de estanho; Quando lapidado pode ser utilizado como gema.

Celestite
celestite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Celestite
Túnel de Lisboa - Poço da Legoa da Povoa - Lisboa

Dureza: 3 a 3,5
Cor: Incolor; Branco; Cinzento; Azul; Amarelo; Vermelho
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Nacarado
Densidade: 3,9 a 4
Ocorrência: Abundante
Génese: Sedimentar (existe especialmente em calcários e arenitos)
Paragénese: Enxofre; Calcite; Aragonite; Dolomite; Gesso; Halite (Salgema); Fluorite; Minerais de chumbo; Marcassite; Barite;
Caract.Particulares: Corresponde ao mineral de estrôncio mais comum na natureza
Aplicações: Fabrico de nitrato de estrôncio; Gema lapidada (muito raramente), pois como geralmente esta como geodo, muito raramente há algum cristal grande e mais resistente para lapidar.

Cianite (distena)
cianite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Distena
Serra da Freita - Arouca

Dureza: 4 a 4,5 / 6 a 7
Cor: Branco; Azul; Cinzento; Esverdeado; Amarelado
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Nacarado
Densidade: 3,6 a 3,7
Ocorrência: Abundante
Génese: Metamórfica; Pegmatítica
Paragénese: Silimanite; Andaluzite; Almandina; Estaurolite; Corindo; Quartzo; Cloritóide;
Caract.Particulares: Num mesmo cristal, o valor da dureza é variável consoante esta é observada nas superfícies prismáticas ou nas secções. Assim nas superfícies prismáticas a dureza varia entre 4 e 4.5, enquanto que nas secções apresenta valores que variam entre 6 e 7.
Aplicações: Material incombustível e resistente aos ácidos; Porcelanas com elevado índice refractário; Os cristais transparentes são utilizados como gemas.

Dolomite
dolomite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Dolomite
Mina do Braçal - Albergaria-a-Velha

Dureza: 3,5 a 4
Cor: Branco; Cinzento; Avermelhado; Azulado
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Nacarado
Densidade: 2,85 a 2,95
Ocorrência: Muito abundante
Génese: Hidrotermal; Sedimentar; Metamórfica
Paragénese: Galena; Esfalerite (Blenda); Calcite; Pirite; Quartzo; Malaquite; Barite; Fluorite; Cinábrio; Realgar;
Caract.Particulares: Faz efervescência com o ácido clorídrico aquecido.
Aplicações: Construção cívil; Adubos; Materiais incombústiveis; As variedades incolores quando lapidadas podem ser utilizadas como gemas.

Epídoto
epídoto -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Epídoto
Monforte - Monforte

Dureza: 6 a 7
Cor: Verde escuro a Amarelo esverdeado; Negro; Amarelo; Cinzento
Risca: Branco acinzentado
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo
Densidade: 3,25 a 3,45
Ocorrência: Frequente
Génese: Metamórfica (metamorfismo de contacto); Hidrotermal
Paragénese: Actinolite; Albite; Vesuvianite (Idiocrase); Grossulária; Quartzo; Apatite; Magnetite; Pirite; Prenite; Augite; Tremolite;
Aplicações: Por vezes é utilizado como gema.

Esfalerite (BLENDA)
esfalerite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Blenda, Anquerite e Quartzo
Mina do Pinheiro, Aldeia de João Pires - Penamacor

Dureza: 3,5 a 4
Cor: Castanho claro a castanho escuro; Amarelo; Vermelho; Cinzento; Verde; Amarelo esverdeado; Branco; Negro, marrom-esverdeada, marrom-amarelada ou marrom-avermelhada.
Risca: Branco quando apresenta cor clara; Castanho claro quando apresenta uma tonalidade mais escura, 
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Resinoso; Adamantino nos planos de clivagem; Vítreo nas faces cristalinas; Gorduroso; Baço
Densidade: 3,9 a 4,2
Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática; Pegmatítico- pneumatolítica; Hidrotermal; Sedimentar
Paragénese: Galena; Calcopirite; Tetraedrite; Pirite; Calcite; Quartzo; Pirrotite; Magnetite; Marcassite; Dolomite; Fluorite; Arsenopirite; Barite; Siderite;
Caract.Particulares: Dissolve-se com ácido clorídrico, produzindo um odor a ovos-podres
Caract. Particulares da amostra acima: Esta amostra corresponde a um nódulo, cujo núcleo é constituído por blenda, ao qual se segue uma orla anqueritica, sendo a periferia constituída por quartzo.
Aplicações: Principal minério de zinco; Indústria eléctrica; Tinturaria; Medicina; Os exemplares de cor clara podem ser lapidados e posteriormente utilizados como gemas.

Granada
granada -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Granadas
Serra de Sintra - Sintra

Dureza: 6,5 a 7,5
Cor: Incolor; Branco; Róseo; Verde claro; Vermelho jacinto; Vermelho violeta; Vermelho escuro; Verde escuro a Verde esmeralda; Castanho; Castanho amarelado; Castanho avermelhado; Negro
Risca: Branco ou tons coloridos claros
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Gorduroso; Acetinado; Resinoso
Densidade: 3,5 a 4,3

granada -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Granadas
Monforte - Monforte

Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática; Metamórfica; Sedimentar
Paragénese: Clorites; Biotite; Feldspatos; Quartzo; Turmalina; Calcite; Dravite;
Caract.Particulares: A fórmula química deste grupo de minerais é variável, no entanto de uma forma geral corresponde a
X3Y2(SiO4)3, em que:
- na posição X pode encontrar-se Ca, Mg, Fe ou Mn;
- na posição Y encontra-se Al, Fe e Cr;
As granadas hidratadas por vezes chegam a conter cerca de 8,5% de água. Assim a água forma grupos (OH)4-4, que substituem nos tetraedros de SiO4 a posição do Si+4 por 4H+
Aplicações: Abrasivos; Instrumentos de corte, de polimento e de perfuração; Por vezes quando são lapidadas utilizam-se como gemas.

granadas rubras - monte suímo, Belas - SINTRA
Amostras de Granadas rubras de Monte Suímo - Belas - Sintra

O monte Suímo, em Belas, é explorado há pelo menos dois milénios em busca de granadas.
Veja mais em:

Hematite
hematite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Hematite
Alvito - Alvito

Dureza: 6,5
Cor: Castanho avermelhado; Cinzento escuro; Negro
Risca: Vermelho claro a vermelho escuro
Transparência: Translúcido; Opaco
Brilho: Metálico (nos cristais); Baço (nas variedades terrosas)
Densidade: 5,2 a 5,3
Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática; Hidrotermal; Metamórfica; Sedimentar
Paragénese: Siderite; Limonite; Magnetite; Pirite; Quartzo; Quartzo fumado; Cuprite; Topázio; Rútilo; Clorite; Calcite; Fluorite;
Caract.Particulares: Torna-se fortemente magnético quando aquecido
Aplicações: Importante minério de ferro; Pó abrasivo; Corante; Os cristais mais escuros podem ser talhados e usados como gemas.

Libethenite
libethenite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Libethenite
Vila Viçosa - Évora

Dureza: 4
Cor: Verde-claro a verde-escuro, verde-escuro, verde-oliva
Risca: verde claro
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; gorduroso
Densidade: 3,6 a 4, média = 3,8
Ocorrência: Raro
Génese: zona oxidada
Paragénese: a partir do intemperismo de rochas de fosfato,apatita , monazita e xenotime.
Caract.Particulares: Solúvel em ácidos e amônia.
Aplicações: Quando cristalino e grande é usada como pedra preciosa.
Libetenita é encontrada na zona oxidada de depósitos de minério de cobre e é encontrado associado a outros minerais como: piromorfita, pseudomalaquita, malaquita, limonite, azurita, atacamita, crisocola e óxidos de ferro.

Malaquite
malaquite -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Malaquita
Mina de S. João do Deserto - Aljustrel

Dureza: 3,5 a 4
Cor: Verde
Risca: Verde claro
Transparência: Translúcido
Brilho: Adamantino a vítreo nos cristais; Sedoso nas variedades fibrosas; Baço nos exemplares terrosos.
Densidade: 3,9 a 4,03
Ocorrência: Abundante
Génese: É um mineral secundário que ocorre nas zonas oxidadas dos depósitos de cobre.
Paragénese: Cobre; Calcopirite; Cuprite; Azurite; Cerussite; Calcite; Quartzo; Barite; Dolomite;
Caract.Particulares: Faz efervescência quando em contacto com ácido clorídrico
Aplicações: É usado essencialmente como gema quando o espécime é mais cristalino.

Olivina
olivina -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Olivina
Camadas terciárias da Margueira, corte 26a. - Almada

Dureza: 6,5 a 7
Cor: Verde; Negro esverdeado; Castanho avermelhado
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo
Densidade: 3,27 a 4,37
Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática (pegmatitos básicos); Metamórfica; Aluviões; Meteoritos
Paragénese: Flogopite; Magnetite; Apatite; Diópsido; Piroxena; Plagioclase; Corindo; Cromite; Serpentina;
Caract.Particulares: É solúvel em ácido clorídrico.
Caract. da Amostra: Massa constituída por cristais de dimensões pequenas
Aplicações: Gema; Vidro técnico

No arquipelago dos Açores podemos encontrar o Peridoto, uma das varieades de Olivina. Encontra-se essencialmente em volta do cone vulcanico na Ponta da Ferraria, na Ilha de São Miguel, e em todas as Ilhas é possivel encontrar os finos grãos  de olivina nas areia das praias.

Quartzo
(em Portugal se conhecem 14 variedades de quartzo das quais algumas mostraremos a seguir)
ametista -  Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Quartzo (Ametista)
Monchique - Monchique

Dureza: 7
Cor: Branco; Cinzento; Castanho; Negro; Violeta; Esverdeado; Azulado; Amarelo; Rosa; Incolor
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Gorduroso
Densidade: 2,65

quartzo fumado - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Quartzo (Quartzo fumado)
Serra de Gerês - Montalegre

quartzo com inclusão - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Quartzo, Volframite e Apatite
Mina da Panasqueira - Fundão

Caract. da Amostra acima (Fundão): Os cristais de quartzo apresentam-se localmente hialinos, sendo possivel observar inúmeras inclusões de minerais negros com dimensões milimétricas. Observa-se ainda, a presença de cristais centimétricos de apatite e volframite, sendo ainda possível encontrar cristais milimétricos de pirite.

ágata - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Quartzo (Ágata)
Amadora - Lisboa

Caract. da Amostra acima: Amostra cuja superfície se apresenta cortada e polida.

Ocorrência: Muito abundante
Génese: Magmática; Pegmatítica; Hidrotermal; Metamórfica; Sedimentar (crostas de alteração)
Paragénese: Feldspatos; Micas; Anfibolas; Piroxenas; Fluorite; Hematite; Esfalerite (Blenda); Dolomite; Calcite; Galena; Rodocrosite; Calcopirite; Pirite; Tetraedrite;
Caract.Particulares: Com base na cor, textura e forma cristalográfica este mineral pode ser dividido em 2 grupos principais:
- Variedades fanerocristalinas (e.g. ametista, quartzo róseo, quartzo leitoso, quartzo fumado)
- Variedades criptocristalinas (e.g. calcedónia)
Aplicações: Cerâmica; Vidraria; Construção; Metalurgia; Electrotecnia; Óptica; Gemas

Siderite
siderite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Siderite
Mina da Panasqueira - Fundão

Dureza: 3,5 a 4
Cor: Amarelo; Castanho; Cinzento
Risca: Branco; Amarelado
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo
Densidade: 3,7 a 3,9
Ocorrência: Abundante
Génese: Hidrotermal; Metamórfica; Pegmatítico-pneumatolitica; Sedimentar
Paragénese: Calcopirite; Tetraedrite; Calcite; Anquerite; Barite; Pirite; Quartzo; Galena; Arsenopirite; Moscovite; Esfalerite (Blenda); Fluorite;
Caract.Particulares: Quando aquecido torna-se fortemente magnético; Faz efervescência com o ácido clorídrico aquecido
Aplicações: Importante minério de ferro; Por vezes é usada como pedra preciosa.

Topázio
topázio, serra da freita, arouca via mindat.org
Amostra de Topázio
Serra da Freita, Arouca (via mindat.org)

Dureza: 8
Cor: Incolor; Amarelo; Amarelo dourado; Rosa; Vermelho; Azulado; Violeta; Castanho
Risca: Branco
Transparência: Transparente; Translúcido
Brilho: Vítreo
Densidade: 3,4 a 3,6
Ocorrência: Rara
Génese: Magmática; Hidrotermal
Paragénese: Fluorite; Quartzo; Cassiterite; Turmalina; Apatite; Berilo; Lepidolite; Feldspatos; Elbaíte; Microclina; Opala; Quartzo fumado; Albite; Montmorilonite;
Caract.Particulares: É classificado como pedra preciosa.
Aplicações: Pedra preciosa.

Topázio é a pedra preciosa de maior valor encontrada em Portugal.
O Topázio em Portugal é encontrado em:
Braga
Vieira do Minho:
Anjos e Vilar do Chão

Castelo Branco
Covilhã:
Aldeia de São Francisco de Assis
Idanha-a-Nova:
União de Freg de Segura e Zebreira

Guarda
Almeida:
Malpartida e Vale de Coelha
Guarda:
Gonçalo e Vela

Vila Real
Montalegre:
Cabril
Sabrosa:
Souto Maior

Viseu
Vila Nova de Paiva:
Queiriga e Lagares do Estanho
Viseu:
Repeses e São Salvador

Saiba mais em:

Turquesa
turquesa - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Turquesas
Serra da Argemela - Covilhã e Fundão

Dureza: 5 a 6
Cor: Turquesa, azul, azul esverdeado, verde ou variável quanto as outras propriedades do mineral, variando de branco a azul-claro, azul-celeste e de azul-esverdeado a verde-amarelado.
Risca: Branco azulado
Transparência: opaco
Brilho: Ceroso a subvítreo
Densidade: 2,6 a 2,9
Ocorrência: Rara
Génese: deposição hidrotermal
Paragénese: feldspato, apatita, crisocola...
Caract.Particulares: É classificado como pedra preciosa. Alguns materiais naturais de azul a azul esverdeado, como a crisocola botrioidal com quartzo druso, howlita e a magnesita tingidas são ocasionalmente confundidos ou usados ​​para imitar a turquesa. A turquesa é insolúvel em todos os ácidos, exceto no ácido clorídrico aquecido.
Caract. Excepcionais: A turquesa também pode ser salpicada com manchas de pirita ou intercalada com veios escuros de limonita.
Aplicações: Pedra preciosa.

Turmalina
turmalina (schorl) - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Turmalina (schorl)
Nelas - Nelas

Dureza: 7 a 7,5
Cor: Negro (variedade escorlite); Castanho a castanho esverdeado (variedades dravite ou uvite ); Rosa a Vermelho (variedade indicolite); Verde (variedade verdelite); Incolor (variedade acroíte).
Risca: Branco
Transparência: Transparente; Translúcido; Opaco
Brilho: Vítreo; Resinoso
Densidade: 3,0 a 3,25
Ocorrência: Abundantes
Génese: Magmática; Metamórfica; Hidrotermal
Paragénese: Apatite; Ortose; Quartzo; Berilo; Topázio; Granadas;
Caract.Particulares: Quando observadas em secção apresentam uma forma triangular esférica; É fortemente piezoeléctrico.
Caract. da amostra acima: Os cristais encontram-se dispersos na superfície de um cristal de quartzo.
Aplicações: Electrotecnia; As variedades coloridas são trabalhadas como pedras preciosas.

Vesuvianite (IDIOCRASE)
vesuvianite - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Vesuvianite
1300m N60º da Igreja de Barbacena, Elvas - Elvas

Dureza: 6,5
Cor: Castanho; Verde; Azul (variedade ciprina); Amarelo; Avermelhado
Risca: Branco
Transparência: Sub-transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Resinoso; Gorduroso
Densidade: 3,35 a 3,45
Ocorrência: Muito rara
Génese: Metamórfica
Paragénese: Clorite; Diópsido; Granada; Epídoto;
Aplicações: As variedades transparentes podem ser lapidadas e utilizadas como gemas.

Zircão
zircão - Pedras preciosas de Portugal
Amostra de Zircão
Alter Pedroso - Alter do Chão

Dureza: 7,5
Cor: Incolor; Amarelo (variedade jargonite); Avermelhado a vermelho alaranjado (variedade jacinto); Esverdeado e azulado (variedade estarlite); Castanho.
Risca: Branco
Transparência: Transparente a translúcido
Brilho: Vítreo; Gorduroso; Adamantino
Densidade: 4,0 a 4,7
Ocorrência: Abundante
Génese: Magmática; Metamórfica; Sedimentar
Paragénese: Biotite; Tremolite; Quartzo; Granadas; Pirite; Calcopirite; Anatase; Ilmenite; Pirrotite;
Caract.Particulares: Este mineral por vezes apresenta alguma radioactividade, pois pode conter elementos radiactivos na sua estrutura.
Aplicações: Fonte de zircónio; Quando transparente é usada como pedra preciosa.


Outras pedras semi preciosas de Portugal:
(em actualização)

Albite,
Anatase,
Hematite,
Jaspe,
Lepidolite,
Obsidiana (Açores),
Opala - (Morais, Macedo de Cavaleiros - Bragança);
Pirite,
Purpurite...


Observação:
Nem todas a pedras preciosas ou semi preciosas encontradas em Portugal e listadas acima são cristalinas ou tem qualidade gemológica, servindo apenas de referência para colecionadores ou entusiastas.


As Pedras Preciosas de Lisboa (Belas) na História
(livro histórico sobre as pedras preciosas do aro de Lisboa)

O ouro em Portugal:


Fontes:

Técnicas de prospecção e garimpo de ouro

Técnicas de prospecção e equipamentos para garimpo de ouro
Existem muitos mais métodos para encontrar ouro, mas vamos discutir alguns dos métodos mais comuns usados pelo garimpeiro de pequena escala.
Para achar ouro você deverá além da vontade, estudar a área onde deseja fazer a prospecção e encontrar a técnica que melhor se adapta ao seu orçamento e ao local de garimpo.
Técnicas de prospecção de ouro
A maioria das técnicas aqui mostradas são para o ouro aluvionar (de rios) e para leitos secos.

Garimpo por bateia
Garimpo de bateia é o método mais comum e barato para a prospecção de ouro. É muito simples e com um pouco de prática, você vai aprender os fundamentos do garimpo de ouro. Você simplesmente coloca uma pá cheia de cascalhos na bateia e move de um lado para o outro debaixo d'água para separar o ouro dos cascalhos. Como o ouro é o elemento mais pesado do fluxo, o ouro ficará no fundo e, inclinando a panela em um pequeno ângulo, os cascalhos e outros materiais mais leves serão varridos para fora da bateia.
ouro na bateia
Eventualmente, tudo o que restará na bateia é o ouro (espero) e as pesadas areias negras. As bateias são ótimas por sua portabilidade e capacidade de tirar amostras em diferentes áreas rapidamente. Eles são limitados na quantidade de material que podem processar, pois levará vários minutos para processar uma pequena quantidade de cascalhos.
A areia preta é separada com um imã.
Caso você não tenha orçamento para comprar uma bateia, pode sempre optar por fazer uma bateia caseira com madeira, chapa ou prato de antena de satélite. Há muitos vídeos no YouTube que explicam como fazer uma Bateia caseira.

Melhores bateias para garimpar ouro:

Como encontrar ouro usando uma bateia:

Caixa de eclusa (sluice box)
sluice box for gold
Uma caixa de eclusa é uma ferramenta muito simples e eficaz projetada para encontrar ouro de aluvião em um rio ou córrego. É uma calha longa e estreita com "rifles" nas quais você joga cascalho para processar. A caixa de eclusa é colocada paralelamente ao fluxo da corrente para que a água de fluxo rápido lave o cascalho. Ele usa a ação natural da água para separar o ouro mais pesado dos cascalhos mais leves.
O ouro ficará preso nas corredeiras da eclusa, enquanto os cascalhos mais leves serão lavados a jusante com a corrente. As caixas de eclusas são usadas há centenas de anos e são uma maneira simples de processar muito mais material do que apenas usar uma panela de ouro.
O ângulo da eclusa vai depender da força e velocidade da corrente de água e do tipo de "rifles" que usa na eclusa. Além disto você deverá "ancorar" a eclusa, seja ela de aço ou de plástico reforçado como as de fibra (FRP).
Tenha atenção à velocidade do fluxo da água pois se for muito forte você provavelmente vai perder ouro.
Basicamente uma boa calha para ouro com mais de um tipo de malha (riffles), irá apanhar o ouro fino, o chamado ouro fugitivo.

A eclusa nada mais é do que uma lavadora de ouro, mas em pequena escala e manual, já uma bacia concentradora de ouro pode ser mais rápido.
Se não tiver oçamento para obter uma calha concentradora de ouro, então você pode fazer uma caseira com madeira, aço ou tubo de eletrecidade corrugado, poderá usar um rifle feito com alcatifa ou carpete.
Calha concentradora de ouro caseira com tubo corrugado
Também há muitos videos no YouTube de como fazer uma calha sluice box concentradora caseira.

Tipos e variedades de eclusas para ouro:

Como fazer uma bacia ciclone concentradora para ouro:
bacia concentradora ciclone para ouro
Bacia concentradora ciclone para ouro.


Lavadoras a seco
Em vez de usar a turbulência da água para separar o ouro pesado dos cascalhos, uma lavadora a seco usa ar e vibração. O material deve estar completamente seco para que uma lavadora a seco funcione com eficiência. Eles são normalmente usados ​​em áreas onde a água não está disponível, principalmente em desertos áridos longe de córregos e rios.
find gold in the image
No Brasil este método é pouco usado devido a não escasez de água.
Já nos EUA, eles são usados ​​extensivamente nos estados do sudoeste, como Nevada, Califórnia e Arizona onde estas áreas são geralmente secas.

Dragas de sucção
Uma draga é essencialmente um aspirador de pó subaquático. Ele suga o material do leito do rio usando uma mangueira de sucção movida a gasolina. Os cascalhos são puxados pela mangueira e passam por uma caixa de eclusa.
mini draga de sucção de ouro
Mini draga de sucção de ouro com eclusa.

Os cascalhos são processados ​​da mesma forma descrita com a caixa de eclusa. O maior benefício de usar uma draga de sucção é a bomba a gás, que literalmente suga o material para a superfície, em vez de ter que colocar manualmente os cascalhos na eclusa com uma pá e um balde.

Uma draga experiente pode processar muito material, o que resultará em uma recuperação de ouro muito maior do que os outros métodos de pequena escala listadas acima.
Já as dragas de sucção de grande porte como a da imagem abaixo, são em geral para grandes rios e requerem um mergulhador profissional para manusear a "boca" no leito destes rios sendo um trabalho muito perigoso mas bem remunerado.
draga de ouro

Quer saber mais sobre como funcionam as minis dragas de sucção?
Clica AQUI


Detectores de metais
Um detector de metais é um dispositivo eletrônico projetado para encontrar metais enterrados no solo. O detector tem um longo eixo com uma bobina de busca que você paira logo acima da superfície do solo, e quando ele passar por cima de um pedaço de metal você terá um som audível.
Gold Detector Minelab GPX5000
Gold Detector Minelab GPX5000

Embora os detectores de metal sejam extremamente eficazes para encontrar ouro, eles também têm uma curva de aprendizado muito íngreme. Para ter sucesso, é importante investir em um detector de metais de qualidade projetado especificamente para encontrar ouro. Há literalmente TONELADAS de metal no chão; velhos pregos enferrujados, latas, tachas, balas de chumbo, cápsulas de latão, etc. E um garimpeiro tem que ser capaz de distinguir o som de uma pepita de ouro dos milhares de pedaços de alvos de “lixo” por aí.

Mesmo um operador de detector de metais altamente qualificado gastará muito tempo cavando lixo. Ao contrário de outros métodos, um detector de metais perderá muito ouro pequeno porque requer um pedaço de ouro grande o suficiente para obter um tom audível, mas se você estiver realmente interessado em encontrar pepitas grandes, um detector de metais pode ser sua melhor opção.

Veja AQUI todas as informações sobre detectores de metais e suas eficiências.


Detectores Iônico, Radiestesia
Mineoro ionização eletrostática
MINEORO ionização eletrostática.

Métodos poucos utilizados pela maioria dos pequenos garimpeiros, pois requer muito estudo e técnicas de manuseio, mas uma vez superado isto é igualmente capaz de serem encontrados ouro com eles e não só.

 Frequencializadores por vibração
(ver modelo F.A.R.O.)
No caso das antenas frenquencializadoras por vibração, qualquer minério e mineral pode ser encontrado com a ajuda destes por meio das vibrações e por isto no Brasil só há uns 20 em operação e com muito boa reputação nos achados.
F.A.R.O. é uma nova antena com uma nova tecnologia por vibração.


Como funciona um detector Iônico:

Detecção de ouro por Radiestesia:

Radiestesia com hastes de ouro:
detectar ouro com hastes de ouro



Fontes: