Oficina70: Pietersita a pedra multicolorida

Pietersita a pedra multicolorida

Pietersite, a pedra que muda de cor
Uma Pietersite multicolorida áspera, ou seja, na forma natural cristalizada, converge em vários tons de cores, porém, quando polida ela perde a fratura e consequentemente o poder de conversão e diversidade de refração das cores.
A forma mais rara de pietersite é a de cristal bruto sendo que a maioria das pedras são cortada em cabochão para uso comercial.

Pietersite é o nome que se dá a este agregado (geralmente mesclado) de cor azul escuro, cinza, azul acinzentado, laranja, castanho, dourado ou avermelhado, composto principalmente de olho de falcão e olho de tigre.

Foi descoberto na Namíbia por um homem chamado Sid Pieters em 1962. Ele registrou sua descoberta na Grã-Bretanha e a descoberta só foi publicada em 1964, e nomeou-a de Pietersite em sua homenagem, claro.
Durante muitos anos, acreditava-se que este material só fosse encontrado na Namíbia.


Mas, em 1993, um material semelhante foi descoberto na província de Hunan, embora os espécimes não tenham chegado ao mercado até 1997.
Agora acredita-se que a mina na China tenha fechado sendo que a produção na Namíbia é limitada tornado-a uma "gema" bastante difícil de se encontrar no mercado.

Veja e compare o mineral de Pietersite nos seguintes sites:
https://www.gemrockauctions.com/auctions/pietersite-rough-575-carats-breathtaking-279601

Porém há quem confunda um pouco a Pietersite com uma outra pedra que pertence ao ramo da família do olho de tigre chamado riebeckite, mais nomeadamente o magnesio-riebeckite como a da foto abaixo.
Magnesio-riebeckite (azul), esferalerita (castanho dourado), lennilenapeite (castanho cinza) e abaixo calcie (branco) encontrada em Franklin, New Jersey, USA. Da coleção de foto de Robert A. Boymistruk.
O olho de tigre é o que os geólogos se referem como um pseudomorfo, um mineral que muda para outro. O olho de tigre começou sua vida como a crocidolita mineral, uma forma de amianto. Como o quartzo substituiu a crocidolita, tomou a forma do mineral fibroso e isso é o que causa a causalidade nas pedras preciosas dessa família.

Pietersite da China
Ao contrário dos olhos de tigre, a superfície de uma gema pietersita parece bastante caótica, com riscas e cores em todas as direções. Isso ocorre porque durante a formação do cristal, os materiais que a compõem foram quebrados, rodaram de cada lado, e depois foram reformados e cimentados juntos por quartzo. Pedras e cristais que atravessam esse processo são referidos como brecciados.
As cores Pietersite incluem tons de azuis, vermelhos enferrujados, dourados e castanhos. O azul varia de um azul bebê a uma tonalidade azul escuro da meia-noite.
Já na pietersita chinesa, geralmente ocorre em tons de ouro, segmentos de cor vermelha e azul, que às vezes também incluem um marrom dourado profundo.

Corte da Pietersita para uso na joalheria
Pietersite é mais comum e quase exclusivamente cortado e lapidado em cabochão (cabochons) para pingentes.
Isso ocorre porque um corte alto e redondo é necessário para maximizar o efeito de conversão. A orientação do corte é crítica com pietersite, pois deve ser cortada exatamente paralelamente ao comprimento das fibras.



Veja fotos da Piersite em cabochão:
https://www.pinterest.pt/haroldsunken/pietersite/?lp=true

Pietersita é uma variedade de calcedônia sendo sua fórmula:
SiO2
Calcedônia com fibras embutidas de minerais anfíboles com diferentes graus de alteração. Cores azul-cinza, marrom e amarelo. As fibras causam uma tendência semelhante à observada nos olhos de tigre, mas o olho de tigre não é feito de calcedônia, é quartzo macrocristalino.

Conheça as variedades de Pietersite:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Segue nossa oficina.