Como recuperar ouro e cobre de cartuchos de impressora

Processamento de cartuchos de impressoras de jato de tinta para recuperação de polímeros de pláticos, cobre, ouro e outros metais.
Os cartuchos de tinta têm sido muitas vezes vendidos a empresas em troca de dinheiro, ou às vezes instituições fazem campanha a fim de arrecadar tais cartuchos. No entanto, a venda do cartucho em sua forma original não reúne uma grande quantidade de dinheiro. A melhor maneira de tirar o máximo do cartucho será extraindo o ouro nele contido. Sim, cartuchos de tinta têm de ouro em seus circuitos.

Vale a pena recuperar ouro e cobre de cartuchos?
Individualmente, um cartucho contém muito pouco ouro, mas considerando-se o elevado consumo de cartuchos de impressoras do tipo jato de tinta no país, um sistema de coleta seletiva pode permitir o acúmulo de uma quantidade que viabilize a recuperação do ouro (e demais componentes dos cartuchos). Tomando como base o número de impressoras jato de tinta vendidas no Brasil em 2010 (3,5 milhões), teríamos um total de ouro circulante no país estimado em 3,5 x 106 unidades x 5 mg Au por unidade1 = 17,5 x 106 mg (17,5 kg), e 3,5 x 106 x 125 = 437,5 x 106 mg de Cu (437,5 kg), afora as impressoras adquiridas em anos anteriores e que continuam em funcionamento. Isso sugere que, com uma escala mínima adequada, pode-se recuperar ouro e cobre de cartuchos quando a recarga não for mais possível.

Gestão dos componentes dos cartuchos e dos resíduos do processamento químico das fitas plásticas
Os solventes orgânicos destilados podem ser reutilizados para recuperar o ouro de novas porções de fitas tratadas com água régia, sendo apenas necessário repor as perdas por evaporação. As fitas picadas após tratamento com água régia (as quais não revelaram a presença de quaisquer metais de acordo com dados de WDXRF), bem como os resíduos de tinta, a esponja e a bolsa plástica podem ser coprocessados, em conformidade com a Resolução 264/99 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA).34 A solução ácida após o isolamento do cloreto CuCl2.4H2O pode se neutralizada com a solução de NaOH usada no pré-tratamento das fitas, precipitando os metais presentes, ou então reaproveitada para compor a solução ácida para o tratamento de novas fitas. As carcaças plásticas e as lâminas de aço podem ser recicladas.

Conclusões
O processamento de cartuchos de impressoras de jato de tinta mostrou aos alunos a complexidade da gestão de um resíduo multicomponente, e que a concepção de produtos mais facilmente recicláveis após o fim da vida útil deve ser uma prática a ser adotada por todos os fabricantes de quaisquer produtos com essas características. A desmontagem e a identificação da natureza de cada componente é requisito fundamental para uma gestão bem sucedida dos mesmos. A reciclagem dos cartuchos pode ser uma solução ambiental quando seu reuso (remanufatura) não for mais possível, mas isso depende de uma logística reversa eficaz de coleta desses produtos.

No isolamento do ouro e do cobre, foi necessária uma escolha criteriosa de condições que permitissem maximizar a solubilização dos mesmos. A picagem das fitas deu piores resultados do que a remoção da camada polimérica com solução de NaOH, pois esta expôs melhor a superfície dos metais ao agente lixiviante. O ouro foi extraído com menor interferência pelo solvente que tinha a menor solubilidade em água (metilisobutilcetona). A partir das soluções orgânica (Au) e aquosa (Cu) foi possível obter produtos finais com grau de pureza bastante bom.

Portanto apenas uma grande quantidade de cartuchos de impressoras de jato de tinta é viável para recuperar por exemplo o ouro e cobre que tem o maior valor comercial.

Segue-se o link contendo todas as informações de Como recuperar ouro e cobre de cartuchos de impressora

Fontes:

Em Inglês:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Segue-nos ou partilhe isto...